Levante Ideias - Inflação

Ganhe com a inflação

A divulgação, nesta quarta-feira (25), de um Índice de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) de 0,89% referente a agosto, a maior para este mês desde 2002, mostra que a aceleração da inflação está sendo um fenômeno mais resiliente e duradouro do que se imaginava há alguns meses.

Na ponta do lápis, os números deixam claras as pressões sobre o IPCA-15.

Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), no ano, a alta acumulada é de 5,81%. Em 12 meses, a variação é de 9,30%.

Vamos analisar esses números.

Ao longo do segundo trimestre, a alta da inflação teve duas causas bem definidas.

Uma foi a alta dos preços dos combustíveis e da energia, e outra foi a valorização das commodities no mercado internacional.

Apesar de menos influente nos índices de preços ao consumidor (como o IPCA) e mais nítida nos índices gerais de preços (como o IGP-M) essa alta das commodities pressionou as estruturas de custos de muitas empresas dos setores agrícola e industrial.

Agora, já passada a metade do terceiro trimestre, os vetores da inflação mudaram.

A seca persistente e as geadas decorrentes da onda de frio recente prejudicaram as lavouras. Produtores de cana de açúcar, de café e de milho foram bastante afetados, e as pastagens também sofreram.

Isso reduziu a oferta de alimentos e também a produção do setor de carnes. E esses fenômenos devem ficar bastante visíveis nesta divulgação.

Não é o único problema.

Os preços da eletricidade e dos combustíveis também estão pressionados, devido aos mesmos fatores internos e também à alta internacional dos preços do petróleo.

Com a seca, uma fatia maior da eletricidade consumida tem de ser gerada em usinas termelétricas, movidas a petróleo e gás e cujo produto é mais caro.

Uma pitada de teoria econômica.

Trabalhadores de todos os setores – agricultura, indústria e serviços – comem e precisam de energia elétrica. Se os preços aumentam, profissionais do setor de serviços vão tentar repassar parte dessa alta de custos para o que cobram por seu trabalho.

É a chamada difusão inflacionária.

Ou seja, o fenômeno em que a alta dos preços de um determinado setor se “espalha” pelos demais setores do índice, mesmo que não haja correlação direta.

E é isso que vem ocorrendo.

Nesse cenário, quais as ações mais promissoras?

Para responder essa questão, o time de analistas da Levante Ideias de Investimentos traçou um cenário.

Uma de suas premissas é que o BC (Banco Central) adotará uma atitude dura contra a inflação.

As publicações mais recentes do BC já admitem que, muito provavelmente, o IPCA de 2021 vai romper o teto da meta.

Assim, será preciso muito esforço para fazer a inflação de 2022 baixar.

Ou seja, o BC deverá elevar de maneira consistente os juros para fazer as curvas futuras de juros retornarem a patamares mais normais.

Teoricamente, esses juros mais altos levariam a uma apreciação do real em relação ao dólar, fazendo a taxa de câmbio retornar aos patamares de equilíbrio.

Porém, fatores exógenos como a instabilidade política e o temor com relação à estabilidade fiscal, vêm fazendo a moeda americana ganhar valor em relação ao real.

Ou seja, a economia brasileira poderá conviver com juros e dólar altos, uma situação incomum.

Nesse ambiente, é difícil dizer quais setores serão beneficiados e quais serão prejudicados.

Por isso, a estratégia mais sábia é comprar empresas sólidas, que sejam boas geradoras de caixa e tenham resultados recorrentes, e esperar por uma retomada dos fundamentos econômicos à normalidade.

E, claro, conte com os analistas da Levante Ideias de Investimento para tomar as melhores decisões.

Indicadores

O ICC (Índice de Confiança do Consumidor) da FGV (Fundação Getulio Vargas) recuou 0,4 ponto em agosto, para 81,8 pontos.

Em médias móveis trimestrais, o índice subiu 1,89 ponto, para 81,6 pontos, na terceira alta seguida.

O ISA (Índice de Situação Atual) caiu 1,1 ponto, para 69,8 pontos, enquanto o IE (Índice de Expectativas) ficou praticamente estável ao variar 0,1 ponto, para 90,9 pontos.

Segundo a FGV, o resultado de agosto mandou o ICC para um patamar considerado baixo em termos históricos.

“Há maior dificuldade entre os consumidores de menor poder aquisitivo, que enfrentam uma combinação de desemprego e inflação elevados e de crescimento do endividamento nos últimos meses”, informou a Fundação.

E Eu Com Isso?

A alta da inflação está pressionando os contratos futuros de Ibovespa, que iniciam o dia em baixa. O cenário deve ser marcado por uma tendência negativa, com volatilidade.

As notícias são negativas para a Bolsa em um cenário de volatilidade.

Este conteúdo faz parte da nossa Newsletter ‘E Eu Com Isso’.

e-eu-com-isso

Leia também: Autonomia do Banco Central.

O conteúdo foi útil para você? Compartilhe!

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Recomendado para você

Levante Ideias - NFT
E eu com isso

Os NFTs são a arte do lucro

NFT parece ser a sigla de um título público. Algo como Notas Financeiras do Tesouro. Nada disso. NFT é a abreviatura de Non-Fungible Tokens, ou

Read More »
Levante Ideias - Dinheiro
E eu com isso

PEC dos precatórios

Nesta quinta-feira (16), a CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara dos Deputados votou e aprovou, por 32 votos a 26, a PEC (Proposta

Read More »

Ajudamos você a investir melhor, de forma simples​

Inscreva-se para receber as principais notícias do mercado financeiro pela manhã.