Supermercados e shoppings (PCAR3, CRFB3, MULT3, ALSO3, IGTA3, BRML3)

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Especial – Impactos do coronavírus

As últimas semanas foram marcadas por um aumento na demanda nos supermercados e pelo movimento fraco nos shopping centers, refletindo os impactos do coronavírus no comportamento da população e seus desdobramentos em tais setores.

Com o aumento da prática do “home-office” e cancelamento das aulas nas escolas e universidades, há uma migração natural do consumo de alimentos e bebidas de estabelecimentos comerciais para dentro das residências, o que favorece o volume de vendas das “mercearias”. Além disso, o receio de um desabastecimento em larga escala leva à corrida pela estocagem de materiais básicos, como itens de higiene pessoal e alimentação básica. Já os shopping centers, bares e restaurantes têm sofrido com a restrição da circulação das pessoas e menor “apetite” à lazer e entretenimento, com fechamento de cinemas e cancelamentos de eventos culturais.

A tendência é que o movimento daqui para frente se concentre nos lugares que oferecem serviços e produtos essenciais, como farmácias, grandes supermercados e hospitais.

A notícia é negativa para toda a economia brasileira, pois demonstra os sintomas iniciais do coronavírus no dia a dia das empresas. No curto prazo, a receita dos supermercados (CRFB3, PCAR3) pode aumentar devido à migração no local de consumo da população, enquanto o efeito estocagem deve ser mitigado com menores compras nas próximas semanas.

As ações do Pão de Açúcar (PCAR3) tiveram desempenho superior ao Ibovespa na segunda-feira (16) com queda de 4,8 por cento em comparação com a queda de 13,9 por cento no Ibovespa.

Já no caso dos shoppings centers (IGTA3, ALSO3, BRML3, MULT3), o movimento deve ser drasticamente reduzido nas próximas semanas, com queda no volume de vendas e necessidade de descontos nos aluguéis para não aumentar a vacância dos lojistas nos shoppings.

Embora a tendência seja haver um efeito repique pós coronavírus, dificilmente ele será capaz de cobrir toda a perda das próximas semanas, dado que parte do consumo é apenas adiado (roupas, acessórios, etc) enquanto outra parte é irrecuperável (estacionamento, praça de alimentação, cinemas).

No médio prazo, o coronavírus é ruim para ambos setores, dado que a perspectiva é de revisão para baixo do Produto Interno Bruto (PIB) e desaceleração no ritmo de queda das taxas de desemprego, mas os supermercados (PCAR3, CRFB3) podem ter um desempenho relativo melhor do que o Ibovespa.

* Esse conteúdo faz parte do nosso boletim diário: ‘E Eu Com Isso?’. Todos os dias, o time de analistas da Levante prepara notícias e análises que impactam seus investimentos. Clique aqui para receber informações sobre o mercado financeiro em primeira mão.

Leia também: Multiplan (MULT3) – Resultado do quarto trimestre de 2019

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Recomendado para você

Resultados da CVC

A CVC (CVCB3) apresentou nesta quarta-feira (30), após o fechamento do mercado, os seus resultados do 1T20. Como era de se esperar, os resultados vieram

Petrobras: STF decidirá sobre refinarias

Nesta quarta-feira (30) recomeça o processo de julgamento e votação dos ministros do Supremo Tribunal Federal a respeito da legalidade do processo de venda da

Risco fiscal e aumento da dívida pública

Na coluna de hoje, vou falar sobre a deterioração das contas públicas do Governo Federal, o aumento do déficit público, a consequente alta nas taxas

Fechar Menu

Fechar Painel