Levante Ideias - Congresso Nacional

Desoneração da folha

Criada no governo Dilma e dor de cabeça para as equipes econômicas do governo Temer e Bolsonaro, a política de desoneração da folha de salários para os 17 setores que mais empregam no país foi prorrogada pela Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados.

O texto, que prevê a desoneração da folha até 2026 – com empresas pagando um percentual sobre o faturamento como contribuição previdenciária, em substituição aos 20% que seriam cobrados sobre os salários –, teve apoio de praticamente todos os partidos na comissão, inclusive dos governistas.

Agora, a matéria segue para a CCJ (Comissão de Constituição e Justiça), mas há a possibilidade de as lideranças partidárias chegarem a um acordo e acelerarem a tramitação, enviando-a diretamente ao plenário por meio de requerimento de urgência.

No ano passado, o Planalto, a pedido de Guedes e do ministério da Economia, havia resistido à prorrogação da desoneração da folha por mais um ano (2021).

O custo anual da desoneração da folha às contas públicas é estimado em cerca de R$ 10 bilhões. No ano passado, Bolsonaro chegou a vetar o projeto, mas o Congresso derrubou o veto presidencial.

Neste ano, contudo, não houve resistências, uma vez que o fim do programa poderia levar a cerca de 500 mil demissões, segundo os setores envolvidos.

No contexto de alto desemprego no Brasil, e tendo em vista as eleições de 2022, a medida atingiria duramente o governo.

Grande parte das lideranças admitiu que a questão da desoneração da folha de salários deve ser endereçada de maneira alternativa, mas que “até lá, é preciso manter a atual política de estímulo ao emprego”.

E Eu Com Isso?

Com a aprovação na comissão, o projeto deve receber regime de urgência e ser aprovado no plenário da Câmara, para que senadores possam se debruçar sobre a matéria no mês de outubro.

Do ponto de vista fiscal, a provável prorrogação da desoneração da folha é notícia negativa, mas inevitável do ponto de vista político.

Este conteúdo faz parte da nossa Newsletter ‘E Eu Com Isso’.

e-eu-com-isso

Leia também: Novo parecer.

O conteúdo foi útil para você? Compartilhe!

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Recomendado para você

Ajudamos você a investir melhor, de forma simples​

Inscreva-se para receber as principais notícias do mercado financeiro pela manhã.