oquesaotitulospublicosequaisosofertadosnotesourodireto

O que são títulos públicos e quais os ofertados no Tesouro Direto

Saber o que são títulos públicos é muito importante para aqueles que desejam ter um conhecimento amplo e diversificado do mercado financeiro. Além disso, eles podem representar boas oportunidades para a composição de uma carteira diversificada de investimentos.

Há diversos títulos do Tesouro Direto, como são conhecidos, e cada um deles tem suas especificidades e se encaixam melhor em diferentes objetivos. Conhecer tais particularidades é de extrema importância.

Por isso, explicaremos, neste artigo, as características dos títulos emitidos pelo Tesouro Nacional. Assim, você terá muito mais segurança na hora de selecionar aquele mais alinhado à sua estratégia de investimento.

O que são títulos públicos?

Em suma, títulos públicos consistem em títulos de dívida emitidos pelo Governo. Eles são disponibilizados no Tesouro Direto.

Ao comprar um título público, você está “emprestando” dinheiro ao Governo; este, por sua vez, emite os títulos como uma forma de captar dinheiro para o financiamento de suas atividades, tais como construção de obras públicas, projetos de educação, segurança, saúde etc.

No fim das contas, você receberá o valor investido acrescido de juros após o intervalo determinado pela data de vencimento. Há, entretanto, algumas particularidades importantes de cada título que interferem na forma como se ganha com esses papéis.

Agora, falado o que são títulos públicos, partamos aos seus tipos.

Quais são os títulos públicos disponíveis no mercado?

Basicamente, existem 3 grupos de títulos públicos no Tesouro Direto. É importante que você saiba qual é a rentabilidade e a liquidez de todos, a fim de evitar aplicações equivocadas.

Tesouro Prefixado (LTN)

No caso do Tesouro Prefixado, o retorno do investimento é informado na data da compra do papel; isto é: você sabe o quanto irá receber no vencimento antecipadamente.

Entretanto, é importante ressaltar o seguinte: caso resgate sua aplicação antes do vencimento, haverá a possibilidade de você ter prejuízo ou ganho acima do esperado. Isto se deve ao fato de o valor do título oscilar ao longo do tempo, conforme variam as expectativas para os juros. Assim, ocorre o que chamamos de “marcação a mercado”.

Tesouro Selic (LFT)

Considerado um dos títulos públicos mais populares do Governo, o Tesouro Selic costuma ser o primeiro investimento de muita gente. Isso porque ele é um título pós-fixado que acompanha a taxa básica de juros da economia (Selic). Além disso, a liquidez é imediata e a volatilidade, baixa.

Como pós-fixado, caso você faça o resgate antes do vencimento, não haverá perda de dinheiro – será pago o retorno até a data de retirada da aplicação. Assim, esse título pode ser uma boa opção para a sua carteira de investimentos, além de servir, na maioria dos casos, como reserva de emergência.

Tesouro IPCA+ (NTN-B Principal)

O IPCA é um título de categoria híbrida: parte de sua rentabilidade, como acontece nos prefixados, é definida no momento da compra; outra parte, porém, é atrelada à inflação – medida pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo).

Desse modo, a remuneração do IPCA+ sempre será real, acima da inflação, posto que ela fica protegida pela sua parte pós-fixada. Entretanto, vale ressaltar: a parte prefixada só é integralmente paga na data de vencimento do título.

Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais (NTN-B)

A diferença dessa versão para a anterior é que você recebe rendimentos semestrais. Isto é: duas vezes por ano ocorre o pagamento do proporcional à remuneração combinada.

Atente-se, entretanto, à questão do Imposto de Renda: no primeiro pagamento, a tributação será de 22,5%; após isso, ela irá regredir semestralmente até a mínima, de 15%, após 720 dias.

Tesouro Prefixado com Juros Semestrais (NTN-F)

Semelhantemente ao que ocorre no caso do IPCA+ com juros semestrais, o Tesouro Prefixado também paga juros a cada seis meses, por meio do chamado cupom (há também a cobrança regressiva de IR, citada acima).

Além disso, neste caso, você sabe o rendimento do papel até seu vencimento no momento da compra.

De forma resumida e direta, neste artigo você viu o que são títulos públicos e quais as principais diferenças entre eles. Assim, conforme sua estratégia de investimentos, você já pode escolher o título que mais condiz com seus objetivos.

Por fim, vale dizer que é importante, para a composição de uma carteira diversificada de investimentos, que você conheça outros tipos de investimentos, tais como ações, fundos imobiliários e fundos multimercado, por exemplo.

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Ajudamos você a investir melhor, de forma simples​

Inscreva-se para receber as principais notícias do mercado financeiro pela manhã.

Recomendado para você

tipos de ações da bolsa de valores
Artigos

Empresas preparam IPOs

Nas últimas semanas, o número de prospectos de IPO protocolados na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) aumentou em quase dez, com as companhias “aspirantes” ao

Read More »
Artigos

Resultados da WEG

A Weg (WEGE3) apresentou nesta quarta-feira (21), antes da abertura dos mercados, os seus resultados referentes ao 3T20. Os números vieram bons e acima das

Read More »
Artigos

Resultados do 2T20 da CVC

A CVC (CVCB3) apresentou nesta segunda-feira (20), após o fechamento do mercado e com atraso, seus resultados do segundo trimestre de 2020. Como era de

Read More »
Política Sem Aspas

O desafio do teto – parte I

No Comentário de nº 9 da Instituição Fiscal Independente, “Considerações sobre o teto de gastos da União”, Felipe Salto, Daniel Couri e Josué Pellegrini recortam

Read More »
Fechar Menu
Fechar Painel