Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

Senado ainda indefinido

A disputa pela presidência do Senado Federal continua bastante aberta e indefinida após o Supremo Tribunal Federal (STF) proibir a recondução dos atuais presidentes do Legislativo para mais um mandato – frustrando, assim, os planos do atual presidente, Davi Alcolumbre (DEM-AP).

Um dos nomes cotados para ter o apoio de Alcolumbre, o senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG) – o escolhido pelo partido para tentar manter a liderança na Casa – viu sua candidatura perder prestígio nos últimos dias, especialmente no Palácio do Planalto. O senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), filho do presidente da República, teria resistências ao nome de Pacheco.

O mineiro é considerado como muito próximo da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e teria tido atuação rígida contra Michel Temer quando o ex-presidente foi alvo de denúncia. Em 2017, quando ainda era deputado e presidia a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, Pacheco teria contrariado seu então partido, o MDB, e facilitado a tramitação da denúncia contra Temer. Esse episódio teria minado a confiança do Executivo em Pacheco.

Com o casamento frustrado entre Bolsonaro e Pacheco, o Planalto deve demarcar certa distância da disputa no Senado, indo na contramão do que pretendia Alcolumbre. O atual presidente da Casa trabalhava para chancelar um nome praticamente unânime, com apoio de seus aliados e com o apadrinhamento do Planalto.

E Eu Com Isso?

Com a desidratação do nome de Rodrigo Pacheco, as eleições legislativas para o Senado Federal (marcadas para o dia 1º de fevereiro de 2021) continuam bastante indefinidas. Era praticamente certo que Alcolumbre poderia estender seu mandato, daí o cenário nebuloso a esta altura do campeonato.

Vale ressaltar, entretanto, que ainda não é possível descartar 100 por cento o nome de Pacheco. As negociações políticas continuam a todo vapor e Alcolumbre e seus interlocutores vão tentar reverter a posição do Planalto. Segundo alguns aliados de Pacheco, a narrativa de que o senador não apoiaria o Executivo seria falsa e imposta pelo MDB, que vai lançar candidato nas eleições para afetar a candidatura do DEM.

O mercado segue monitorando a evolução do cenário político envolvendo a sucessão das Casas Legislativas, mas a notícia não deve impactar o pregão de hoje.

Este conteúdo faz parte da nossa Newsletter ‘E Eu Com Isso’.

Para ficar por dentro do universo dos investimentos de maneira prática, clique abaixo e inscreva-se gratuitamente!

e-eu-com-isso

Leia mais: Compasso de espera.

O conteúdo foi útil para você? Compartilhe!

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Recomendado para você

CSN E Eu Com Isso
E eu com isso

CSN: IPO da mineração

Na noite da última sexta-feira (22), a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) divulgou o prospecto preliminar da oferta pública de ações (IPO) de sua subsidiária CSN

Read More »
eletrobras
E eu com isso

Eletrobras e BR Distribuidora

Após anunciar sua renúncia do comando da Eletrobras (ELET3/ELET6) na sexta-feira (22), o CEO da companhia, Wilson Ferreira Júnior, deve assumir o comando da BR

Read More »
Incerta - E Eu Com Isso
E eu com isso

Lidando com a incerteza

Vou retornar às aulas de Física, mais especificamente às de Cinemática, dos tempos de ensino médio. O movimento de um corpo sólido era provocado pela

Read More »
E eu com isso

Nova Tecnologia da Alphabet

A Alphabet, companhia de participações dona da Google, anunciou nesta segunda-feira (25) que está tendo avanços significativos em sua nova tecnologia capaz de substituir os

Read More »
Congresso nacional EECI Levante Ideias de Investimentos
E eu com isso

Reta final no Congresso

A semana foi encurtada por conta do feriado municipal do aniversário de São Paulo, mas Brasília segue a todo vapor, com as eleições para o

Read More »

Ajudamos você a investir melhor, de forma simples​

Inscreva-se para receber as principais notícias do mercado financeiro pela manhã.

Fechar Menu

Fechar Painel