Levante Ideias - Revisão do Deficit

Revisão do déficit primário

O ministério da Economia revisou para melhor a previsão de déficit primário do governo central para 2020. Anteriormente estimado em 861 bilhões de reais, agora o rombo deve ficar na casa dos 844,6 bilhões, como apontam os novos cálculos do 5º Relatório Bimestral de Avaliação de Receitas e Despesas – divulgado pelo próprio ministério.

No mesmo documento, as estimativas para a retração do Produto Interno Bruto (PIB) de 2020 ficam na casa dos 4,5 por cento, um resultado melhor que a previsão anterior, que era de um encolhimento de 4,7 por cento. A inflação, medida pelo IPCA, saltou de 1,8 por cento para 3,1 por cento. Com o recuo de 16,4 bilhões, o déficit primário deve equivaler cerca de 11,7 por cento do PIB brasileiro. A porcentagem ainda é bastante elevada e o número deve ser, de longe, recorde na série histórica do Tesouro Nacional – evidentemente, o gasto extraordinariamente elevado se justifica por conta da pandemia de Covid-19 e suas consequências.

A título de comparação, a projeção do déficit primário feita pela Instituição Fiscal Independente, do Senado Federal, está em 779,8 bilhões de reais, após revisão divulgada no último Relatório de Acompanhamento Fiscal. O montante anterior era de 877 bilhões de reais, mas a melhora se deu por conta da arrecadação neste terceiro trimestre, nos (inesperados) pagamentos de diferimentos de tributos – já em meados de setembro/outubro – e em um melhor cenário para as receitas públicas também no quarto trimestre deste ano.

Impactos na prática 

Com a tendência de menor queda do PIB se confirmando no quarto trimestre, o rombo das contas públicas em 2020 deve ser até menor que a projeção revisada do ministério da Economia. Isso implica diretamente no patamar da relação dívida pública/PIB, que pode ser menor que as estimativas. Essa seria uma boa notícia para o mercado e para a economia.

Com mais uma semana de pouquíssimas notícias vindas do cenário político, o humor dos investidores deve se voltar para outros temas e qualquer novidade de Brasília deve vir por meio de declarações. A agenda legislativa será retomada somente após o segundo turno das eleições, marcado para o próximo domingo.

A perspectiva de resultados melhores nas contas públicas deste ano é levemente positiva para os mercados.

—— ——

Este conteúdo faz parte da nossa Newsletter ‘E Eu Com Isso’.

Para ficar por dentro do universo dos investimentos de maneira prática, clique abaixo e inscreva-se gratuitamente!

e-eu-com-isso

—— ——

Leia mais: Autonomia do Banco Central

O conteúdo foi útil para você? Compartilhe!

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Recomendado para você

Levante Ideias - Eletrobras
E eu com isso

A última votação

Com a aprovação da Medida Provisória 1.031/21 no Senado Federal, na semana passada, a privatização da Eletrobras está praticamente garantida do ponto de vista legislativo,

Read More »
Levante Ideias - Banco Central
E eu com isso

Refazendo as contas dos juros

A semana se inicia com os investidores tendo de enfrentar uma dúvida: o que as sinalizações do BC (Banco Central) e do Federal Reserve (Fed,

Read More »
Levante Ideias - Banco Votorantim
E eu com isso

Venda do Banco Votorantim

Após ter seu IPO adiado pela segunda vez em 2021, o Banco Votorantim, recém rebatizado de BV, gerou especulações quanto a uma possível venda para

Read More »

Ajudamos você a investir melhor, de forma simples​

Inscreva-se para receber as principais notícias do mercado financeiro pela manhã.

Fechar Menu

Fechar Painel