cogna eeci

Resultado de Cogna

A Cogna Educação (COGN3) divulgou na quinta-feira (20) seu resultado do segundo trimestre de 2020. Os números mostraram os impactos mais severos da pandemia e vieram abaixo do esperado em termos de receita líquida, Ebitda e lucro líquido.

O principal destaque negativo foi a provisão adicional para devedores duvidosos (PDD) no valor de 328 milhões de reais no trimestre, para fazer frente à potencial ao aumento de inadimplência nos próximos trimestres devido à Covid-19.

Do lado positivo, a empresa se manteve geradora de caixa mesmo em meio ao resultado abaixo do esperado na Kroton e viu suas subsidiárias Platos, Saber e Vasta apresentarem bons números durante a pandemia.

A receita líquida caiu 21,3 por cento na comparação anual, de 1,74 bilhão de reais para 1,37 bilhão de reais.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) foi severamente afetado e saiu de um valor positivo de 624,8 milhões para um valor negativo de 139,5 milhões.

A Cogna Educação teve prejuízo líquido de 454,7 milhões no segundo trimestre deste ano, ante lucro líquido de 139,6 milhões em igual período de 2019.

Acreditamos que o mercado já esperava um resultado mais fraco para a Cogna no trimestre e que parte desse resultado ruim já estava no preço das ações. Porém, como o Ebitda veio bem abaixo do esperado devido às provisões para devedores duvidosos (PDD), esperamos impacto negativo no preço das ações COGN3 nesta sexta-feira (21).

Apesar da boa performance das suas subsidiárias, a Kroton ainda representa mais de 70 por cento da receita líquida da Cogna. Dessa forma, o resultado consolidado foi bastante afetado pelo resultado fraco da Kroton no ensino superior presencial (queda de 30,6 por cento na receita líquida).

As ações da Cogna (COGN3) apresentam desempenho bastante negativo em 2020: queda de 42,5 por cento, comparado à desvalorização de 12,3 por cento no Ibovespa.

O custo dos bens e serviços vendidos aumentou 25,4 por cento, para 205,9 milhões enquanto as despesas operacionais recuaram 23,1 por cento, para 154,8 milhões no segundo trimestre.

O Ebitda ficou negativo em 139,5 milhões de reais, impactado pelas provisões para PDD. O Ebitda recorrente “pro-forma” somou 384 milhões de reais, com margem de 29,6 por cento (34,1 por cento no mesmo período de 2019).

O resultado financeiro ficou negativo em 194,7 milhões no segundo trimestre deste ano, 11 por cento abaixo do resultado negativo de 219,5 milhões do mesmo período de 2019.

A pós-graduação EAD avançou 2,7 por cento, resultado do forte crescimento da captação (+22,8 por cento), enquanto a pós-graduação presencial declinou 11 por cento por conta do impacto da pandemia de coronavírus na captação (queda de -45,9 por cento).

No pilar financeiro, a empresa tem sólida posição de caixa de 3,7 bilhões de reais. Embora a dívida líquida some 4,8 bilhões, apenas 15 por cento dela vencem nos próximos 12 meses (720 milhões), sendo o pagamento mais relevante datado para agosto de 2021. A relação dívida líquida/Ebitda ficou pouco abaixo de 3,0 vezes em junho de 2020.

O nível de endividamento ainda não considerada o IPO da Vasta que ocorreu no final de julho deste ano. O IPO da Vasta levantou 2 bilhões de reais para a Cogna, dinheiro importante para a companhia manter sua estratégia de seguir crescendo via aquisições.

Além do IPO da Vasta, a Cogna já havia levantado outros 2,6 bilhões de reais com a realização de uma oferta de ações (follow-on) em fevereiro de 2020.

Segundo a companhia, a operação presencial da Kroton demandará um amplo processo de reestruturação para se adequar à nova realidade do mercado. Pretende-se reduzir o tamanho da operação, reduzir a quantidade de unidades, reposicionar o portfólio com foco em cursos mais nobres e reposicionamento de marca em algumas praças, visando o foco em produtos premium. A expectativa é ter uma empresa mais enxuta, com mais margem e geração de caixa.

O mundo pós-pandemia deve trazer mudanças nos sistemas de ensinos 100 por cento presenciais. Entendemos que o processo de hibridização do ensino que já vinha acontecendo no ensino superior será fortemente acelerado neste novo cenário e a Cogna está em uma boa posição para capturar valor com essa nova realidade no médio e longo prazo.

* Este conteúdo faz parte do nosso boletim diário: ‘E Eu Com Isso?’. Todos os dias, o time de analistas da Levante prepara as notícias e análises que impactam seus investimentos. Clique aqui para receber informações sobre o mercado financeiro em primeira mão.

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Ajudamos você a investir melhor, de forma simples​

Inscreva-se para receber as principais notícias do mercado financeiro pela manhã.

Recomendado para você

Artigos

Números da Vivo

A Telefônica Brasil (VIVT3/VIVT4) apresentou nesta terça-feira (27), após o fechamento do mercado, o seu resultado do 3T20 e que, na nossa avaliação, foi regular

Read More »
Artigos

BTG compra corretora Necton

Na onda de consolidação do mercado em busca de capturar o número crescente de CPFs na bolsa, o BTG Pactual fechou a aquisição da Necton

Read More »
Política Sem Aspas

O desafio do teto – parte II

Na primeira parte dessa dupla de textos, concentrei-me em elencar e dissertar acerca das principais regras fiscais em voga hoje no Brasil. Naquela ocasião, deixei

Read More »
Artigos

Política acima de tudo!

O mercado vive uma certa trégua em relação à volatilidade mais acentuada de algumas semanas atrás. Discussões importantes foram adiadas para depois das eleições. Quem

Read More »
Fechar Menu

Fechar Painel