Divulgação

Oi (OIBR3, OIBR4): Resultados do primeiro trimestre

A operadora de telecomunicações Oi (OIBR3, OIBR4) anunciou na segunda-feira (15), após o fechamento do mercado, os resultados referentes ao primeiro trimestre de 2020. O resultado foi regular, em linha em termos de receita líquida, mas abaixo do esperado em termos de Ebitda e lucro líquido.

O principal destaque negativo foi o prejuízo líquido no período de 6,2 bilhões de reais, bem acima do esperado, impactado pela variação cambial no resultado financeiro, cuja contribuição negativa em 2,6 bilhões de reais.

O destaque positivo foi o avanço das suas operações de fibra ótica (FTTH) no segmento residencial, cuja receita no período foi de 194 milhões de reais, equivalente a 4 por cento da receita total.

A receita no segmento móvel pós-pago foi uma surpresa positiva e cresceu 12,2 por cento no período, demonstrando o seu potencial de conversão dos clientes pré-pago para planos mais robustos e a assertividade na oferta de planos mais voltados ao consumo de dados.

Dessa forma, a receita do segmento de mobilidade pessoal total (que considera o pós-pago, pré-pago e outros) obteve leve queda de 2,5 por cento, impactada pela quarentena do final de março que dificultou a comercialização física de crédito no pré-pago.

Os resultados da Oi (OIBR3, OIBR4) vieram satisfatórios e em linha com esperado no desempenho operacional, exceto o prejuízo líquido maior devido à variação cambial.

Esperamos impacto levemente positivo no preço das ações no curto prazo, pois o mercado deverá prestar mais atenção ao processo de venda de ativos.

Como a companhia é obrigada a divulgar mensalmente um relatório de fluxo de caixa, boa parte das informações agora dispostas já estão “no preço”.

Ademais, a expectativa que a proposta de aditamento que busca dividir a companhia em quatro (ativos móveis, torres, data center e infraestrutura) é uma boa notícia para os acionistas e deve refletir positivamente nas ações hoje, pois uma vez aprovada facilitará a gestão das operações, a venda de ativos bem como simplificar e limpar a sua estrutura societária atual.

A receita líquida período foi de 4,7 bilhões de reais, uma queda de 7,4 por cento na comparação anual, enquanto o Ebitda consolidado de rotina alcançou 1,5 bilhão de reais, com queda de 5,8 por cento em relação ao primeiro trimestre de 2019. O resultado, contudo, não foi capaz de suprir os seus investimentos no período (Capex) de 1,78 bilhão de reais.

Com isso, o prejuízo líquido ajustado foi de 6,2 bilhões de reais, com forte impacto da variação cambial no período devido à alta do dólar.

Por fim, o endividamento líquido da companhia encerrou o trimestre em 18,1 bilhões de reais, representando cerca de 5,7x a sua capacidade de geração de caixa operacional (Ebitda). A companhia, que vendeu a sua participação na Unitel por 1 bilhão de dólares no trimestre, também captou um empréstimo de 2,5 bilhões de reais, o que levou a um aumento do endividamento líquido.

O consumo de caixa totalizou 2,2 bilhões de reais no trimestre. A posição de caixa da Oi era de 6,3 bilhões em março de 2020.

Os catalisadores das ações da Oi são: sucesso na operação de fibra ótica e geração de caixa via venda de ativos para conseguir continuar realizando seus investimentos.

* Este conteúdo faz parte do nosso boletim diário: ‘E Eu Com Isso?’. Todos os dias, o time de analistas da Levante prepara as notícias e análises que impactam seus investimentos. Clique aqui para receber informações sobre o mercado financeiro em primeira mão.

Leia também: Telefônica Brasil (VIVT4) e TIM (TIMP3) – Resultado do 1T20

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Ajudamos você a investir melhor, de forma simples​

Inscreva-se para receber as principais notícias do mercado financeiro pela manhã.

Recomendado para você

tipos de ações da bolsa de valores
Artigos

Empresas preparam IPOs

Nas últimas semanas, o número de prospectos de IPO protocolados na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) aumentou em quase dez, com as companhias “aspirantes” ao

Read More »
Artigos

Resultados da WEG

A Weg (WEGE3) apresentou nesta quarta-feira (21), antes da abertura dos mercados, os seus resultados referentes ao 3T20. Os números vieram bons e acima das

Read More »
Artigos

Resultados do 2T20 da CVC

A CVC (CVCB3) apresentou nesta segunda-feira (20), após o fechamento do mercado e com atraso, seus resultados do segundo trimestre de 2020. Como era de

Read More »
Política Sem Aspas

O desafio do teto – parte I

No Comentário de nº 9 da Instituição Fiscal Independente, “Considerações sobre o teto de gastos da União”, Felipe Salto, Daniel Couri e Josué Pellegrini recortam

Read More »
Fechar Menu

Fechar Painel