Denise Campos de Toledo EECI

Definições adiadas na área econômica

Nada decidido. Fechamos mais uma semana sem definição sobre a PEC da transição, cuja votação no Senado ficou para a próxima semana,  e sem nomes para os Ministérios, apenas com muitas especulações e articulações políticas, onde partidos cobram maior participação, até pra viabilizar o apoio à PEC.

A proposta em tramitação é a mesma apresentada inicialmente, que causou muita turbulência, pelo tamanho e prazo da licença para gastos acima do teto. Mas o mercado, desta vez, não teve maior reação, muito por confiar em uma desidratação da proposta. O prazo deve ser mais curto, talvez dois anos e se espera que o excedente do teto fique perto dos R$ 100 bilhões. A articulação política vai ter peso relevante na proposta final. Sabendo disso, Lula já viabilizou o apoio de boa parte da frente que esteve junto com ele no segundo turno à reeleição de Arthur Lira. Ainda conversa com outras lideranças partidárias, que podem assegurar não apenas a tramitação da PEC, mas uma base maior de apoio ao futuro governo. Conversas que acabam envolvendo até a formação do Ministério. Apesar das pressões pela divulgação dos nomes, isso pode ocorrer só após a diplomação da chapa Lula/Alckmin no dia 12.

Fernando Haddad, tido como provável ministro da Fazenda, continua próximo de Lula, tanto que foi ele que informou da visita do presidente eleito aos Estados Unidos, para encontro com Biden antes da posse, e agora também participa da equipe de transição. Mas pode acabar ocupando cargo ministerial mais político. Se for na Fazenda, o mercado gostaria de um secretariado mais técnico, focado também no ajuste das finanças, ou uma dobradinha com alguém no Ministério do Planejamento com esse perfil. Mas arcabouço fiscal, segundo Haddad, só no ano que vem, quando também deverá avançar a Reforma Tributária.

Mas no caso da PEC, há uma corrida contra o tempo. Já estamos no último mês do atual governo, tem o recesso parlamentar e a PEC vai definir os rumos da gestão do orçamento em 2023. A data limite para aprovação em dois turnos na Câmara e no Senado parece ser o dia 20. Já se cogitou a abertura da brecha orçamentária via Medida Provisória mas o alcance seria muito menor do que de uma PEDC, sob risco até de questionamento legal.

Em meio a essas incertezas, embora se conte ainda com um cenário externo pior no próximo ano, houve também alívio, nesta semana, com indicações do FED quanto a uma redução do ritmo de elevação dos juros nos EUA, evitando assim queda mais abrupta da atividade.

Pra ajudar no humor, ainda saíram indicadores positivos da economia brasileira, como a deflação do IGPM, dados de melhora do emprego, no Caged e na PNAD, balanço favorável das contas públicas e a expansão do PIB em 0,4% no terceiro trimestre, a quinta variação positiva consecutiva. Vamos combinar que os números são bons, mas em desaceleração, abaixo do previsto, como PIB e Caged, sem refletir mudanças estruturais. A retomada do emprego e do crescimento, puxados, principalmente, por Serviços, já dão sinais de perda de ritmo, que pode se intensificar pelo impacto acumulado da alta dos juros. E juros que devem permanecer em patamar ainda elevado por um bom tempo. Sendo que não se descarta a possibilidade de novos ajustes, para cima, caso o futuro governo não consiga passar o recado de efetivo compromisso com a responsabilidade fiscal, gerando pressões que possam se refletir nas expectativas inflacionárias. 

Fato é que, de qualquer modo, maiores definições não devem demorar muito. Como já ressaltei, há uma corrida contra o tempo, diante da virada, cada vez mais próxima, de ano e de governo. O mercado ainda pode ter mais dias de turbulência, só que antes de entrar nas ondas ou lutar contra a maré, correndo o risco de errar a mão, é bom pensar em prazo um pouco mais longo. O saldo final de novembro, por exemplo, não foi tão ruim como anteciparam os momentos de maior tensão. E a renda fixa, com toda a pressão da curva de juros, ofereceu boas oportunidades para quem soube aproveitar.

O conteúdo foi útil para você? Compartilhe!

Recomendado para você

Crypto 101

Altcoins: A melhor opção para o Halving? | Crypto 101

Participe da Comunidade Levante Crypto agora mesmo e fique por dentro das principais notícias desse mercado: https://lvnt.app/uvwfup

Hoje em dia, com o Bitcoin já tendo ocupado seu espaço de mercado, muitas pessoas buscam outras moedas digitais para investir.

Afinal, criptos mais baratas – e fora do radar – possuem um potencial muito maior que o vovô das criptos.

É aí que entram as Altcoins, que cada vez mais vêm ganhando espaço no mercado cripto.

Read More »
Crypto 101

3 Criptos de Inteligência Artificial com alto potencial em 2024 | Crypto 101

Atualmente, é necessário ir além do Bitcoin e do Ethereum para conseguir lucrar de verdade no mercado Cripto, que já começa a se movimentar como uma indústria cada vez mais robusta.
Neste contexto, o setor de Inteligência Artifical em Criptomoedas se apresenta como um dos mais promissores na nova indústria, e projetos como $OCEAN (Ocean Protocol), $FET (Fetch.ai) e $PAAL (Pluto Protocol) emergem como líderes na integração dessas tecnologias de ponta.

Participe da Comunidade Levante Crypto agora mesmo e fique por dentro das principais notícias desse mercado: https://lvnt.app/uvwfup

Read More »
Crypto 101

Ganhe Criptomoedas DE GRAÇA: Conheça os Airdrops de Criptos | Crypto 101 

Airdrops de Criptomoedas é o assunto que vem parando o mercado cripto. Como assim, é possível ganhar criptomoedas DE GRAÇA?!

Basicamente, Airdrops são caracterizados pela distribuição gratuita de tokens para detentores de uma determinada criptomoeda ou membros de uma comunidade específica.

Pela importância que o assunto vem tomando, no Crypto 101 de hoje, vamos abordar as principais características dos airdrops em artigo exclusivo.

Read More »
Crypto 101

O que é Staking de Criptomoedas e como fazer na prática? | Crypto 101

Staking de criptomoedas é um processo pelo qual os detentores de determinadas moedas digitais participam da validação e do consenso das transações em suas respectivas redes blockchain. Em essência, é a prática de bloquear uma certa quantidade de criptomoedas em uma carteira específica para apoiar as operações da rede.

Hoje em dia, para quem busca novas maneiras de operar Cripto, o Staking de Criptomoedas é uma maneira inovadora e com alto potencial.

Participe da Comunidade Levante Crypto agora mesmo e fique por dentro das principais notícias desse mercado: https://lvnt.app/uvwfup

Read More »
Crypto 101

Como Montar uma Carteira de Criptomoedas | Crypto 101

Com o avanço do universo cripto, saber como montar uma Carteira de Criptomoedas se torna cada vez mais importante.
Afinal, não é só escolher qualquer moeda digital e investir, certo?
Por isso, no Crypto 101 desta semana, vamos passar pelos tópicos mais importantes sobre o assunto.

Read More »

Ajudamos você a investir melhor, de forma simples​

Inscreva-se para receber as principais notícias do mercado financeiro pela manhã.