A Levante traz as melhores ideias de investimento

Crédito bancário cresce

Os empréstimos bancários líquidos totalizaram 74,8 bilhões de reais no primeiro trimestre deste ano, 32 por cento acima do observado no último trimestre de 2019 e bem diferente do observado no mesmo período do ano passado, quando o saldo das operações bancárias ficou negativo em 6,1 bilhões de reais.

O saldo de crédito bancário superou o saldo da captação das companhias via mercado de capitais (emissão de ações e dívidas), uma conjuntura bem diferente da constatada em todos os trimestres de 2019, quando o mercado de capitais superou o crédito via instituição financeira em todos os períodos.

Com a injeção de mais de 1 trilhão de reais no sistema financeiro por parte do Banco Central (BC) e a necessidade das companhias de reforçar sua liquidez e reduzir a alavancagem devido a Covid-19, houve uma corrida das grandes empresas para captar créditos pré-aprovados nos bancos. Esses empréstimos são um instrumento adicional para aumentar a posição de caixa, honrar seus compromissos de curto prazo e de se proteger dos desdobramentos da crise.

Além disso, diversas companhias acessaram o mercado de crédito para realizar a rolagem das suas dívidas, uma forma de obter fôlego no desafiador cenário de curto prazo e postergar seus compromissos para os próximos anos, contraindo uma nova dívida com prazo mais longo e com custo financeiro maior.

Contudo, a tendência é que haja um arrefecimento das captações nos meses seguintes, posto que há um efeito antecipação das operações anteriormente planejadas para o segundo trimestre deste ano. Além disso, o mercado de capitais voltou com força após abril e acelerou a partir de junho. Sem dúvidas o protagonismo do mercado de capitais no Brasil é algo que veio para ficar. Os números foram divulgados pelo Centro de Estudos de Mercado de Capitais (Cemec-Fipe).

A notícia é positiva para o setor bancário da bolsa, a citar, principalmente, os grandes bancos (Banco do Brasil, Bradesco, Itaú e Santander) que juntos representam 17,06  por cento do índice Bovespa (desconsiderando a Itaúsa). Contudo, acreditamos que o impacto positivo deverá vir combinado com outros fatores nos seus resultados e que serão demonstrados apenas na temporada de resultados do segundo trimestre de 2020.

Por esse motivo, esperamos que o desempenho das ações dos grandes bancos fique em linha com o Ibovespa na sessão desta quinta-feira (9).

Embora o setor seja parte da solução nesta crise, o desempenho das suas ações no ano segue abaixo da média do mercado, reduzindo o desempenho do índice mais importante do mercado acionário no Brasil. O Índice Setorial Financeiro (IFNC), que contempla não apenas os bancos, mas inclui outras instituições como seguradoras, meios de pagamento e a própria B3, recua 19,6 por cento no ano, desempenho inferior ao do Ibovespa, que tem perdas de 13,7 por cento.

O panorama do aumento do crédito bancário é uma das poucas notícias positivas para o setor neste ano. Se já não bastasse o cenário desafiador no setor financeiro com o aumento da concorrência, open-banking e o PIX, os bancos seguem sendo atormentados pelo risco regulatório, dado que o Congresso e o Senado se mostram bastante favoráveis a interferência no setor, com o aumento da taxação ou via imposição de taxas limites em algumas linhas de crédito ligadas às pessoas físicas.

Os principais catalisadores das ações dos bancos são: i) avanço das pautas “bomba” para o setor no Congresso e no Senado e; ii) resultados do segundo trimestre de 2020, em especial as linhas relacionadas às carteiras de crédito, a inadimplência e a Provisão para Devedores Duvidosos (PDD).

* Este conteúdo faz parte do nosso boletim diário: ‘E Eu Com Isso?’. Todos os dias, o time de analistas da Levante prepara as notícias e análises que impactam seus investimentos. Clique aqui para receber informações sobre o mercado financeiro em primeira mão.

Leia também: Bancos centrais em foco

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Ajudamos você a investir melhor, de forma simples​

Inscreva-se para receber as principais notícias do mercado financeiro pela manhã.

Recomendado para você

Política Sem Aspas

O desafio do teto – parte I

No Comentário de nº 9 da Instituição Fiscal Independente, “Considerações sobre o teto de gastos da União”, Felipe Salto, Daniel Couri e Josué Pellegrini recortam

Read More »
E eu com isso

Redução de jornada até dezembro

O presidente Jair Bolsonaro assinou, ontem (13) a prorrogação da redução proporcional de jornada e salários e suspensão temporária do contrato de trabalho, medidas previstas

Read More »
Fechar Menu

Fechar Painel