bancos

Bancos centrais em foco

A quarta-feira (17) será um dia em que as atenções estarão voltadas para os banqueiros centrais, no Brasil e nos Estados Unidos. Por aqui, a reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) vai sancionar um novo corte nos juros. Acredito que teremos uma queda de 0,75 ponto percentual na taxa Selic, que vai cair dos atuais 3 por cento para 2,25 por cento ano. Porém, a questão é se esse será o fim do processo de corte da Selic, ou se essa jornada prosseguirá mais um pouco.

Há razões para que o Copom não pare por aí. Os dados mostram o desaquecimento da economia real. Nesta quarta-feira, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou uma forte queda no setor de serviços (leia mais abaixo). Na terça-feira (16), o Instituto havia informado uma queda de 16,8 por cento nas vendas do varejo em abril. Esses números desaconselham qualquer gradualismo da autoridade monetária na adoção de uma política expansionista (ou “estimulativa”, como gosta de escrever o redator das atas do Copom).

Nos Estados Unidos, Jerome Powell, presidente do Federal Reserve (FED, o banco central americano) terá seu segundo dia de depoimento diante do Parlamento. Na terça-feira (16), primeiro dia de depoimento, Powell reconheceu que “o pior já passou” para a economia dos Estados Unidos, mas ele voltou a alertar os parlamentares de que a recuperação do nível de atividade será lenta e instável, apesar dos indicadores de retomada das atividades tanto no varejo quanto na produção industrial americanas.

No caso do Copom, não há dúvidas no corte dos juros. O que os investidores esperam ansiosamente é o comunicado que deve acompanhar a notícia do corte da Selic. Sua intenção é decifrar as entrelinhas do texto, para saber se o Copom está discutindo cortes mais profundos na Selic nos próximos meses, ou se reconhece que o nível de atividade já chegou ao fundo do poço e agora é questão de esperar para ver quanto o remédio do dinheiro mais barato vai atuar para recompor a saúde da economia.

INDICADORES – O setor de serviços recuou 11,7 por cento em abril em comparação com março, ainda sob forte influência das medidas de distanciamento social para conter a pandemia do coronavírus, informou nesta manhã o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que divulgou a da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS). Foi o terceiro recuo consecutivo do nível de atividades, e também foi a queda mais intensa desde o início da série histórica, iniciada em janeiro de 2011. A PMS indica que o setor acumula uma perda de 18,7 por cento nos últimos três meses. Todas as cinco atividades pesquisadas tiveram quedas recordes, com destaque para transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (-17,8 por cento) e serviços prestados às famílias (-44,1 por cento).

INTERNACIONAL – Além da atenção voltada aos banqueiros centrais, os olhares dos investidores estarão voltados para a tensão entre a Índia e a China. As duas nações mais populosas do mundo trocaram tiros devido a uma disputa de fronteira. Pelo menos 20 soldados indianos morreram em um confronto entre tropas chinesas e indianas em uma região disputada da cordilheira do Himalaia. O confronto ocorreu quando as forças indianas tentaram verificar se a China havia cumprido uma promessa de desocupar territórios fronteiriços disputados.

As ações aqui no Brasil e lá nos Estados Unidos começam o dia com leves altas, na expectativa de que os comunicados e as declarações dos banqueiros centrais virão ao encontro das expectativas. Apesar de não se descartar uma certa volatilidade durante o pronunciamento de Powell, a tônica geral é positiva no início dos negócios.

* Este conteúdo faz parte do nosso boletim diário: ‘E Eu Com Isso?’. Todos os dias, o time de analistas da Levante prepara as notícias e análises que impactam seus investimentos. Clique aqui para receber informações sobre o mercado financeiro em primeira mão.

Leia também: Privatização do Banco do Brasil

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Ajudamos você a investir melhor, de forma simples​

Inscreva-se para receber as principais notícias do mercado financeiro pela manhã.

Recomendado para você

tipos de ações da bolsa de valores
Artigos

Empresas preparam IPOs

Nas últimas semanas, o número de prospectos de IPO protocolados na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) aumentou em quase dez, com as companhias “aspirantes” ao

Read More »
Artigos

Resultados da WEG

A Weg (WEGE3) apresentou nesta quarta-feira (21), antes da abertura dos mercados, os seus resultados referentes ao 3T20. Os números vieram bons e acima das

Read More »
Artigos

Resultados do 2T20 da CVC

A CVC (CVCB3) apresentou nesta segunda-feira (20), após o fechamento do mercado e com atraso, seus resultados do segundo trimestre de 2020. Como era de

Read More »
Política Sem Aspas

O desafio do teto – parte I

No Comentário de nº 9 da Instituição Fiscal Independente, “Considerações sobre o teto de gastos da União”, Felipe Salto, Daniel Couri e Josué Pellegrini recortam

Read More »
Fechar Menu

Fechar Painel