Tudo o que você precisa saber sobre o mercado financeiro!

Você sabe como comprar ações ou em fundos imobiliários? O que é melhor para ver seu dinheiro render, fazendo aplicações pela sua conta bancária ou com uma corretora? Se ainda não sabe essas respostas, é melhor se apressar. O mercado financeiro já está na era dos investimentos baseados em análises otimizadas e trazendo bons frutos para seus investidores antenados.

Sabemos que muitas pessoas, por acreditarem que esse aprendizado é muito complexo, decidem aplicar seus recursos em velhas estratégias, fazer o básico, ou, mesmo, deixarem seu dinheiro parado com receio de tomar uma decisão errada que traga prejuízos.

Com as variações da economia, porém, essa atitude, ou ausência dela, pode ser prejudicial para os objetivos e finanças do investidor, sabia? A remuneração de algumas aplicações podem ficar abaixo da inflação e o seu dinheiro ser desvalorizado mais do que se estivesse no seu bolso. Imaginou?

Por isso é importante compreender o mercado, saber avaliar os indicadores, entender as melhores opções de investimento do momento e como fazer seu acompanhamento. Neste post, reunimos informações que vão ajudar nesta jornada, tais como:

  • o que é e como funciona o mercado financeiro?
  • que tipo de transação pode ser realizada no mercado financeiro?
  • como o investidor pode atuar nesse mercado para obter melhor rentabilidade?
  • quais as perspectivas para o mercado financeiro em 2020?
  • o que é preciso avaliar para saber o momento certo para investir?

Com essas informações, o noticiário econômico vai ficar mais claro e útil. Além disso, você vai conseguir ampliar suas opções de investimento sem o receio de aplicar seus recursos no escuro. Confira.

O que é e como funciona o mercado financeiro?

O mercado financeiro é o ambiente onde os agentes regulamentados vendem produtos financeiros, emissores de títulos de dívidas buscam recursos, tomadores buscam oferta de crédito, e os investidores, escolhem aplicações buscando remunerações satisfatórias para seu dinheiro.

Esses agentes de venda podem ser considerados as instituições financeiras, consultorias e startups que oferecem os produtos e prestam serviços de acordo com a regulamentação dos órgãos fiscalizadores do mercado financeiro, como é o caso da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e o Banco Central (BC).

Isso é importante para a segurança dos seus investimentos, pois, da mesma forma como acontecem em outros mercados, existem ofertas de produtos e serviços genéricos, não regulamentados e que colocam em xeque a idoneidade dos envolvidos.

O mercado financeiro é amplo, e, a partir dele, uma série de serviços auxiliares são associados fortalecendo ainda mais sua importância para a economia do país, e, claro, a sua.

Como ele funciona?

Se você quer comprar um chocolate para seu sobrinho, negocia com o vendedor a compra, paga o produto, e as duas partes da negociação se satisfazem, certo? O mercado financeiro também funciona de forma similar, contudo, podem existir alguns intermediários nesse processo, como é o caso da Bolsa de Valores e a corretora que funcionam como um supermercado cheio de alternativas.

No mercado financeiro, o objetivo do investidor é fazer com que seu dinheiro gere mais dinheiro, e, para isso, ele precisa escolher quais as guloseimas, ou melhor, aplicações, são mais vantajosas no momento.

Pensando ainda no supermercado, podemos dizer que o mercado financeiro tem algumas seções para que o investidor realize suas compras:

  • mercado monetário, regulado pelo BC para garantir a oferta da moeda brasileira seja satisfatória para o uso comum dos cidadãos. Nele são feitas alguns investimentos de curto prazo, como a oferta do Certificado de Depósito Bancário (CDI) pelos bancos;
  • mercado de câmbio, onde são feitas as trocas de moedas para negociações internacionais, turismo ou estratégia de investimento;
  • mercado de crédito é aquele em que soluções como cartão de crédito, empréstimos e cheque especial são oferecidos aos clientes, que devem pagar o valor utilizado, com juros remuneratórios se forem aplicáveis;
  • mercado de capitais é aquele em que as empresas que precisam de recursos para investir em seus negócios oferecem ações de seus negócios.

Em cada uma dessas seções, o investidor deve seguir os procedimentos para a aplicação de seus recursos, sendo que eles podem ser realizados por meio dos bancos, corretoras de valores e Bolsa de Valores.

Em cada uma delas, os trâmites serão personalizados de acordo com suas diretrizes, mas, algumas etapas são fundamentais, como:

  • fazer um cadastro para criar um vínculo oficial com a instituição, como uma conta de investimentos vinculada a conta-corrente do cliente do banco;
  • ter acesso ao sistema que permite a realização das aplicações, como o site do banco ou o home broker da corretora;
  • realizar o teste que identifica o perfil do investidor.

Para comprar títulos do Tesouro Direto, por exemplo, é preciso ter um cadastro em uma instituição financeira habilitada como Agente de Custódia da Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia (CBLC). Ao fazer isso, o investidor recebe uma chave de acesso para analisar as opções disponíveis e escolher aquelas mais vantajosas.

Mas, o que é o perfil do investidor?

Trata-se de um formulário com uma série de questionamentos que ajudam a definir qual o estilo e perfil de investimento de cada indivíduo considerando seus objetivos, entendimento do mercado financeiro, comportamento, etc.

As Instruções Normativas da CVM nº 539/2013 e nº 554/2014 tornaram obrigatória a aplicação do questionário e sua constante revisão, pois, assim, a instituição pode oferecer aos clientes os investimentos mais adequados ao seu perfil.

Eles podem ser classificados como:

  • conservador, que prefere investimentos que vão preservar seu dinheiro, abrindo mão de oportunidades de ter maiores ganhos por não ficar confortável com oscilações de preços;
  • moderados, que são aqueles investidores que querem ampliar seu patrimônio, e, para isso, fazem aplicações mais arrojadas com uma parte de seus recursos visando alavancar os ganhos;
  • arrojado é aquele investidor que deseja aumentar consideravelmente seu patrimônio por meio de estratégias complexas de investimento e, assim, conseguem lidar com a volatilidade de algumas operações por entender que os ganhos obtidos serão percebidos no longo prazo.

Com esses perfis, o investidor pode identificar quais os tipos de investimentos são mais adequados aos seus propósitos já que eles também são classificados dessa maneira.

Quais os tipos de transações realizadas no mercado financeiro?

O mercado financeiro obedece uma lógica simples: existem pessoas, físicas ou jurídicas, que precisam captar recursos, e, outras, que têm o capital disponível e querem valorizá-lo.

Assim, existem algumas transações no mercado financeiro que são tradicionais, como o empréstimo bancário ou financiamento, por exemplo. Nele, o tomador de crédito recebe o recurso que solicitou, e faz seu pagamento em parcelas acrescidas de juros para remunerar quem emprestou.

Mas, o foco deste post são as transações de investimento, então, podemos concentrar naquelas que ocorrem com o objetivo de trazer ganhos para o investidor no curto, médio e longo prazo.

Transações de curto e médio prazo

As transações que ocorrem no curto e médio prazo são aquelas que oferecem um equilíbrio entre a rentabilidade e a facilidade de resgatar o recurso, também chamado de liquidez.

Ou seja, o investidor aplica seu recurso nessa modalidade de investimento quando acredita que possa vir a resgatar o dinheiro em um futuro breve ou, emergencialmente. Assim, ele opta por aplicações que não demandam o resgate programado.

Entre elas, estão:

  • poupança;
  • fundos de Renda Fixa referenciados em DI;
  • Tesouro Selic;
  • Letra de Crédito Imobiliário (LCI).

Algumas estratégias de investimento, especialmente na Bolsa de Valores, também são feitas no curtíssimo prazo, como é o caso do Day Trade e Swing Trade. No primeiro, a compra e a venda de uma ação são realizadas no mesmo dia, enquanto na segunda, a permanência pode durar algumas semanas. O objetivo, é claro, é obter lucros nessa operação, mas exige conhecimento e análises de gráfico para seu sucesso.

Não existe um período rígido que determine o que são curto e médio prazo. O primeiro, no entanto, tem uma duração média de 360 dias e o outro de 1 a 4 anos. Independentemente de sua escolha, você precisa se certificar que os investimentos de sua reserva emergencial estão disponíveis para o resgate imediato, no mesmo dia ou, no máximo, no dia seguinte.

O que são transações de longo prazo?

As transações e investimentos de longo prazo têm regras de aplicações que, para oferecer um bom retorno, precisam permanecer mais tempo na mesma estratégia.

Isso acontece porque o mix de aplicações sofrem variações na cotação mais frequentemente, podem ter regras para o abatimento do Imposto de Renda mais severas no início e demandarem um tempo para o pedido de resgate, ou seja, têm uma liquidez reduzida.

Entre elas, estão:

  • previdência privada;
  • Letras de Crédito;
  • fundos de investimento multimercado, imobiliário, cambiais etc.

Para finalizar esse tipo de transação é preciso solicitar o resgate do investimento. Porém, a maioria deles demanda um tempo para que as cotas ou ações sejam convertidas em dinheiro pronto a ser sacado.

Então, como funciona esse prazo para resgate?

O prazo de resgate é dividido em prazo de cotização, que é a análise do valor real das cotas no momento do pedido de saque, e prazo de liquidação, que é o tempo gasto para a transferência do recurso para a conta do investidor.

Assim, transações de curto prazo normalmente têm liquidez diária, também chamada de D+0, que é uma sigla que representa o dia do pedido acrescido do tempo necessário para a liberação completa do recurso.

As transações de longo prazo, no entanto, têm prazos que variam de acordo com a sua composição. Fundos multimercados, por exemplo, são formados por produtos de investimentos de diferentes setores do mercado financeiro, assim, o tempo para resgate completo será referente àquele que demora mais tempo para a liberação, sendo representado por D+5, D+15 e assim por diante.

De que forma é possível atuar nesse mercado?

Com esses conceitos e processos compreendidos, podemos sistematizar a forma de atuar no mercado financeiro em algumas etapas básicas.

Determine quais são seus objetivos e potencial de investimento

Os investimentos no mercado financeiro devem ser realizados a partir do objetivo traçado para cada recurso. Ou seja, sabendo a destinação que será dada ao dinheiro, é possível escolher quais os investimentos mais adequados para cada ocasião.

Dessa forma, o mais interessante é identificar o quanto é possível investir mensalmente, e, a partir desse valor, determinar quanto será destinado para uma reserva emergencial, compras no médio prazo e o conforto de uma aposentadoria, por exemplo.

Escolha como fazer seus investimentos

O interesse e a necessidade de investir nem sempre caminham juntos, por esse motivo, é muito comum que as pessoas comecem investindo seus recursos na instituição bancária que têm conta-corrente, seja pela facilidade, seja pelo convencimento do gerente da conta.

No entanto, quando o interesse pelo investimento e sua importância ganham espaço, o investidor começa a entender que existem outras soluções para seus investimentos que não estão viciadas nas metas comerciais da organização. Em outras palavras, a oferta de aplicações não são restritas as opções que também interessam o banco.

Por isso, depois de traçar os objetivos, é muito importante entender que o banco da sua conta-corrente não é o único caminho para realizar investimentos, nem mesmo o mais barato. Algumas corretoras de valores oferecem serviços mais completos com taxas mais vantajosas.

Descubra qual seu perfil de investidor

As instituições financeiras que seguem as diretrizes da CVM e recomendações da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (ANBIMA) aplicam, obrigatoriamente, o formulário para a identificação do perfil do investidor, ou, pedem a assinatura do responsável abrindo mão desse procedimento.

Isso mostra como ele é importante e pode auxiliar na escolha e entendimento dos tipos de investimentos que podem ser realizados para cada um dos seus objetivos.

Estude os produtos de investimento e acompanhe a economia

Entender as regras, funcionamento e os indicadores que influenciam a performance dos investimentos também é essencial. Isso ajudará o investidor a identificar o momento favorável ou não do mercado financeiro.

Ao investir, é preciso considerar os indicadores que vão influenciar na remuneração das aplicações, quais são suas características de investimento, eventuais cobranças de taxa de administração, performance e a forma mais correta para fazer seu lançamento no Imposto de Renda.

O case da Previdência Privada

Um exemplo simples é a escolha de uma Previdência Privada. Existem duas modalidades, a chamada Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL) e a Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL).

A PGBL é vantajosa para quem realiza a Declaração do IR na modalidade completa, pois permite que o investidor deduza 12% de sua renda para o cálculo do imposto, e o restante será tributado.

A VGBL traz mais benefícios para quem realiza a Declaração Simplificada já que a tributação é feita somente no rendimento, ou seja, no lucro obtido no período.

O tipo de tributação também pode variar como regressiva e progressiva, onde, via de regra, o primeiro é mais vantajoso para aplicações de longo prazo, afinal de contas, a tributação inicial é de 35% de Imposto de Renda.

Ainda é preciso considerar se o plano de previdência cobra:

  • taxas de administração, que se refere aos custos para a gestão do investimento
  • taxa de carregamento, cobrada a cada novo aporte na previdência;
  • taxa de saída, quando ocorre o saque;
  • taxa de performance, que é previamente acordada para o caso da gestão da previdência privada atingir uma meta de desempenho.

Viu como existem muitos detalhes a serem considerados até mesmo em produtos tradicionais? Os outros tipos de investimentos, como fundos, ações, debêntures, opções do mercado futuro, entre outras, também têm suas particularidades que precisam ser integralmente compreendidas pelo investidor.

Otimize seus investimentos com análises de mercado

Ao estudar esses produtos de investimento, o investidor começará entender que existem outras estratégias para a proteção e otimização das suas aplicações. Assim, ele vai querer buscar soluções que permitam fazer suas movimentações com mais eficiência, certo?

Quais as perspectivas do mercado financeiro em 2020?

Esse conteúdo trouxe a motivação necessária para você mudar sua estratégia de investimentos? Então, o que esperar no mercado em 2020 e como buscar as melhores alternativas de acordo com o seu perfil? Aqui vão alguns insights e tendências.

Boletim Focus

O Boletim Focus é um relatório sobre o mercado produzido pelo Banco Central e divulgado semanalmente, com dados sobre perspectivas dos principais indicadores para os próximos meses e anos.

Como avaliar o momento certo para investir?

Se essa é a sua dúvida, a resposta é simples: o momento certo para investir é agora, pois isso ajudará na formação do seu patrimônio no longo prazo. A questão mais importante, na verdade, é como fazer uma composição de investimentos alinhada com os seus objetivos e oportunidades do mercado, não é mesmo?

Por isso, a diversificação dos investimentos deve ser, regularmente, avaliada e atualizada para otimizar resultados.

É claro que, para toda e qualquer transação no mercado financeiro, sua percepção se é o momento de ser ousado ou cauteloso é essencial, mas, com as informações certas, ela será fundamentada e isso pode fazer toda a diferença, não é mesmo?

Entender o mercado financeiro, suas divisões, produtos de investimentos, instituições é muito importante para consolidar seus objetivos financeiros, assim como ter acesso a análises e indicações das melhores estratégias.

Quer avançar nesse sentido? Então, entre em contato com o atendimento Levante Ideias de Investimentos e entenda como ela pode ser a parceira ideal para a conquista dos seus objetivos.

 

 

 

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Ajudamos você a investir melhor, de forma simples​

Inscreva-se para receber as principais notícias do mercado financeiro pela manhã.

Recomendado para você

tipos de ações da bolsa de valores
Artigos

Empresas preparam IPOs

Nas últimas semanas, o número de prospectos de IPO protocolados na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) aumentou em quase dez, com as companhias “aspirantes” ao

Read More »
Artigos

Resultados da WEG

A Weg (WEGE3) apresentou nesta quarta-feira (21), antes da abertura dos mercados, os seus resultados referentes ao 3T20. Os números vieram bons e acima das

Read More »
Artigos

Resultados do 2T20 da CVC

A CVC (CVCB3) apresentou nesta segunda-feira (20), após o fechamento do mercado e com atraso, seus resultados do segundo trimestre de 2020. Como era de

Read More »
Política Sem Aspas

O desafio do teto – parte I

No Comentário de nº 9 da Instituição Fiscal Independente, “Considerações sobre o teto de gastos da União”, Felipe Salto, Daniel Couri e Josué Pellegrini recortam

Read More »
Fechar Menu
Fechar Painel