reforma da previdência

Tributação de renda

Na literatura especializada, são identificadas três formas de tributação direta: tributação sobre o consumo, tributação sobre a renda e tributação sobre o patrimônio. Ao longo de décadas, houve uma intensa discussão sobre qual seria a melhor forma de aumentar a arrecadação de governos por meio de aumento de impostos. Hoje em dia, sabe-se que tributar patrimônio é o pior caminho, pois os contribuintes ficam mais sensíveis à tributação de algo que é, nominalmente e juridicamente, deles.

O mesmo raciocínio vale para a renda: por ser um fluxo constante e fruto de trabalho ou empreendimento exercido pelo contribuinte, a tributação sobre renda também traz alguma resistência. Nesse sentido, é mais comum que especialistas de direito tributário entendam que a forma mais eficiente de aumentar a arrecadação é por meio da tributação do consumo – já que o contribuinte tem livre acesso a uma gama de produtos e serviços, além de concentrar o poder de decisão.

Os debates recentes sobre a reforma tributária têm foco nos impostos que incidem sobre o consumo no Brasil. Como já comentamos por aqui, esse sistema é altamente distorcido, pouco transparente e muito custoso. Há, porém, ajustes a serem feitos também em outras áreas da tributação, como a da renda. Entre eles, podemos citar o debate sobre a progressividade do Imposto de Renda, que envolve alíquotas e faixas de isenção.

Nesta semana, o governo federal finalizou o desenho do projeto de lei que deve trazer mudanças neste tributo, tanto das famílias como das empresas. Segundo o texto preliminar, a intenção é, de fato, elevar a faixa de isenção do IRPF, mas corrigindo outras faixas da tabela e rever benefícios tributários, como aqueles que isentam as Letras de Crédito Agrícola (LCA) e Imobiliário (LCI).

Do lado das empresas, a maior mudança defendida pela equipe econômica é a de reduzir o IRPJ e compensar parte dessa frustração de receitas com a cobrança de impostos sobre lucros e dividendos.

Do ponto de vista político, as mudanças no regime tributário de renda fariam parte da reforma tributária fatiada no Congresso, defendida pelo governo e pelo presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL). Esse Projeto de Lei, juntamente com a unificação de impostos sobre o consumo em nível federal e o “passaporte tributário” – que prevê mudanças na renegociação de dívidas –, devem ser os primeiros passos da reforma defendida pelo Planalto.

E Eu Com Isso? 

Assim como a tributação sobre o consumo, a tributação sobre a renda no Brasil carrega consigo algumas distorções significativas. Como mencionado, contudo, a sensibilidade a mudanças nesse segmento tributário é ainda maior, tornando a janela para mudanças bastante estreita.

Seguimos cautelosos quanto ao avanço da reforma tributária no Congresso, mesmo com seu escopo sendo reduzido, após o governo sinalizar que não vai aproveitar o relatório da comissão mista – que trazia uma reforma mais ampla na tributação sobre o consumo. Ainda assim, é comum que o mercado reaja positivamente sempre que se noticie algum tipo de avanço quando o tema é reforma. É o caso do pregão desta sexta (14), que deve ser positivo em função desta e de outras notícias.

Este conteúdo faz parte da nossa Newsletter ‘E Eu Com Isso’.

Para ficar por dentro do universo dos investimentos de maneira prática, clique abaixo e inscreva-se gratuitamente!

e-eu-com-isso

Leia mais sobre a empresa: Diários da CPI | Política sem Aspas.

O conteúdo foi útil para você? Compartilhe!

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Recomendado para você

Levante Ideias - Banco Central
E eu com isso

O Copom endurece o jogo

O Banco Central (BC) divulgou, nesta terça-feira (22), a Ata da reunião de número 239 do Copom (Comitê de Política Monetária), realizada nos dias 15

Read More »
Levante Ideias - Dinheiro
E eu com isso

Tributação de dividendos

O ministério da Economia bateu o martelo sobre a proposta de tributação de dividendos, a ser enviada dentro das alterações no sistema tributário de renda,

Read More »
Levante Ideias - Google
E eu com isso

Google investigado na Europa

A Comissão Europeia abriu mais uma investigação antitruste para avaliar se o Google (GOOG) violou as regras de concorrência da União Europeia ao favorecer seus

Read More »

Ajudamos você a investir melhor, de forma simples​

Inscreva-se para receber as principais notícias do mercado financeiro pela manhã.

Fechar Menu

Fechar Painel