Levante Ideias - Dinheiro

Tributação de dividendos

O ministério da Economia bateu o martelo sobre a proposta de tributação de dividendos, a ser enviada dentro das alterações no sistema tributário de renda, uma das frentes da reforma tributária.

Segundo a equipe econômica, a tributação sobre esse tipo de distribuição de lucro deve ficar em 20%, mas com isenção de R$ 240 mil por ano – o equivalente a R$ 20 mil por mês.

A inclusão da faixa de isenção foi um pedido exclusivo do Palácio do Planalto. O ministro Paulo Guedes esteve nesta segunda (22) com o presidente Bolsonaro para calibrar os detalhes finais do texto.

A proposta de reforma do Imposto de Renda ainda deve reduzir o IRPJ de 25% para 20% e extinguir a modalidade de JCP (Juros sobre Capital Próprio) das formas de distribuição de lucros.

A cobrança sobre dividendos também deve financiar parte do reajuste nas faixas de tributação do IRPF – a ideia é aumentar a isenção do tributo para cerca de R$ 2,4 mil, sendo hoje esse limite um pouco abaixo dos R$ 2 mil.

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), espera que o texto seja encaminhado aos seus pares ainda nesta semana, para que seja possível designar os respectivos relatores e dar início, junto ao Senado Federal, à tramitação dos projetos.

Especialistas da área do direito tributário, contudo, temem que a nova regra de tributação sobre dividendos – com faixa de isenção – torne o sistema ainda mais complexo.

A ex-assessora do ministério da Economia para a reforma tributária, Vanessa Canado, sugere como alternativa à criação de uma nova regra o uso da tabela progressiva do IRPF para definir as isenções sobre dividendos.

E Eu Com Isso?

A proposta inicial da equipe econômica era de tributar os dividendos em 15% e evitar a criação de uma faixa de isenção.

No entanto, grupos políticos já sinalizavam que pressionariam esse percentual para 20% durante a tramitação do texto e, por isso, o governo se antecipou e deve apresentar o projeto nesses novos moldes.

Será necessário, de fato, deixar bastante claro e detalhado como se dará a isenção de tributos, para evitar distorções alocativas e criar incentivos negativos para companhias, diante de um sistema já complexo e cheio de exceções quando do pagamento de impostos de Pessoas Jurídicas.

No entanto, como haverá compensação na outra ponta, com diminuição da alíquota de IR para as empresas, o mercado não deve reagir negativamente ao novo desenho de tributos.

Ficamos à espera da redação final para reunir mais detalhes sobre as propostas.

Fique atento aos novos desdobramentos.

Este conteúdo faz parte da nossa Newsletter ‘E Eu Com Isso’.

e-eu-com-isso

Leia também: Dividendos Itaúsa: vale a pena investir na empresa?

O conteúdo foi útil para você? Compartilhe!

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Recomendado para você

Levante Ideias - Juros
E eu com isso

A nova narrativa dos juros

A divulgação da edição mais recente do Relatório Focus nesta segunda-feira (26) mostra uma mudança nas expectativas. Não foi um movimento de ruptura. Ao contrário,

Read More »
Levante Ideias - Congresso Nacional
E eu com isso

Bola da vez

Com a reunião entre Bolsonaro e Ciro Nogueira (PI), o Partido Progressistas é a bola da vez em Brasília. O presidente da sigla deve mesmo

Read More »
Levante Ideias - Economia China
E eu com isso

Sell-off prossegue na China

Na madrugada desta segunda-feira (26), o sell-off (movimento forte e generalizado de venda dos ativos) das ações chinesas do setor de educação privada e tecnologia

Read More »

Ajudamos você a investir melhor, de forma simples​

Inscreva-se para receber as principais notícias do mercado financeiro pela manhã.

Fechar Menu

Fechar Painel