Arthur Lira na Câmara dos Deputados - Levante Investimentos

Reforma em fatias

Está marcada para essa segunda-feira (24) uma reunião entre os presidentes da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), e o ministro da Economia, Paulo Guedes, a fim de decidir o cronograma da reforma tributária de uma vez por todas.

Quem deu a informação foi o líder da minoria no Senado, Jean Paul Prates (PT-RN), em reunião do colégio de líderes na última sexta (21).

O encontro entre o ministro e os presidentes do Legislativo deve ocorrer na parte da manhã de hoje, uma vez que, em seguida, o tema deve ser levado para a tradicional reunião de líderes de segundas-feiras e alinhado entre parlamentares.

Com apoio do presidente da Câmara e do Executivo, a tendência é que a reforma seja mesmo fatiada.

Nesse contexto, deve haver mais de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) em tramitação no Congresso e também projetos de lei comuns, tratando de matérias infraconstitucionais.

É provável, ainda, que sejam criadas duas frentes legislativas em um primeiro momento, com tópicos distintos tramitando na Câmara e no Senado Federal ao mesmo tempo.

A reforma tributária está paralisada desde meados de outubro do ano passado, quando se iniciou a corrida eleitoral nos municípios e o Congresso Nacional ficou esvaziado.

Em seguida, houve eleições legislativas e o tema ficou de lado, com a comissão mista da reforma tributária sendo posteriormente dissolvida a mando do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL).

E Eu Com Isso?

Espera-se algum encaminhamento sobre o cronograma da reforma tributária ainda hoje e o fatiamento pode ser uma maneira de contornar as dificuldades impostas por diferentes setores da economia. É uma tentativa de aprovar pontos mais consensuais da reforma, deixando aqueles mais polêmicos com maior tempo de debate e tramitação.

Ainda assim, as perspectivas para a reforma tributária são menos positivas do que, por exemplo, para a reforma administrativa.

Há a preocupação de alguns deputados e senadores, inclusive, de que a aprovação parcial da reforma criaria ainda mais distorções no sistema tributário brasileiro.

Do ponto de vista econômico, de fato, a melhor solução seria aprovar uma proposta ampla e profunda – mas esse cenário está praticamente já descartado dada a conjuntura.

Este conteúdo faz parte da nossa Newsletter ‘E Eu Com Isso’.

Para ficar por dentro do universo dos investimentos de maneira prática, clique abaixo e inscreva-se gratuitamente!

e-eu-com-isso

Leia também: Entrega de relatório da Reforma Tributária.

O conteúdo foi útil para você? Compartilhe!

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Recomendado para você

Levante Ideias - Eletrobras
E eu com isso

A última votação

Com a aprovação da Medida Provisória 1.031/21 no Senado Federal, na semana passada, a privatização da Eletrobras está praticamente garantida do ponto de vista legislativo,

Read More »
Levante Ideias - Banco Central
E eu com isso

Refazendo as contas dos juros

A semana se inicia com os investidores tendo de enfrentar uma dúvida: o que as sinalizações do BC (Banco Central) e do Federal Reserve (Fed,

Read More »
Levante Ideias - Banco Votorantim
E eu com isso

Venda do Banco Votorantim

Após ter seu IPO adiado pela segunda vez em 2021, o Banco Votorantim, recém rebatizado de BV, gerou especulações quanto a uma possível venda para

Read More »

Ajudamos você a investir melhor, de forma simples​

Inscreva-se para receber as principais notícias do mercado financeiro pela manhã.

Fechar Menu

Fechar Painel