auxilio emergencial eeci

O dilema do auxílio emergencial

O auxílio emergencial de 600 reais, posteriormente prorrogado até o fim deste ano com metade do valor inicial, foi um dos poderosos instrumentos que possibilitou a recuperação mais robusta da economia brasileira frente à pandemia de Covid-19. Sua potência fez jus ao custo fiscal para o exercício orçamentário deste ano, sendo estimado em mais de 300 bilhões de reais para as contas públicas.

Nesse contexto – diante de um Brasil altamente endividado e que sofre com sucessivos déficits primários, ou despesas correntes maiores que receitas correntes –, a prorrogação do benefício emergencial seria bastante nociva à política fiscal do País, que precisa retomar a trajetória de austeridade da forma mais breve possível.

Paulo Guedes, o ministro da Economia, tem reiterado que o auxílio tem data para ser extinto: após o dia 31 de dezembro de 2020, junto com o fim do Orçamento de Guerra e o estado de calamidade pública instaurado no País. Guedes tem tentado tranquilizar investidores em meio aos receios de uma segunda onda brasileira de contaminação e mortes, que poderia levar à necessidade de um amparo mais extenso por parte do governo.

Nos bastidores, contudo, o governo vai fazendo a lição de casa para lidar com o pior cenário possível. Segundo o próprio ministro, a equipe econômica já identificou a parcela de beneficiários que precisaria, imprescindivelmente, continuar recebendo o auxílio no caso de uma segunda onda. Agora, os técnicos do ministério estudam como, eventualmente, estender o pagamento sem furar o teto de gastos. Ainda há dúvidas se seria possível lançar mão de créditos extraordinários para abarcar uma possível prorrogação do auxílio.

Impactos na prática

Nesse momento, o nosso cenário-base não contempla a ampliação do benefício concedido emergencialmente em 2020 para o ano de 2021. Diferentemente dos outros países (a exemplo dos europeus), o Brasil teve um platô de contaminação por um longo período, o que ameniza a possibilidade de novos picos de casos. Naturalmente, espera-se que haja um leve aumento na curva, à medida que as restrições de circulação e comércio vão sendo eliminadas, mas esse movimento não deve ser suficiente para promover um novo lockdown da maneira que conhecemos no primeiro semestre deste ano.

Ao mesmo tempo, o governo sabe que os elevados gastos devem ficar restritos ao exercício de 2020, em um esforço para retomar a trajetória de ajuste fiscal iniciada após a crise econômica de 15-16. Acreditamos também em um desfecho positivo, em breve, envolvendo uma vacina para o vírus – mais um motivo para desconsiderar a prorrogação do auxílio. Ao mesmo tempo, o governo deve, pelo menos, apresentar uma nova versão para o Bolsa Família para aumentar a gama de beneficiários – muito mais restrita, porém, no comparativo com o benefício distribuído durante a pandemia.

Investidores ficam à espera de uma apresentação oficial das medidas a serem tomadas para o governo neste fim de ano e início de 2021. Nela, possivelmente, deve-se confirmar que o auxílio realmente chegará ao fim. Enquanto isso, o grau de incerteza sobre o fiscal continua elevado e contamina as expectativas sobre variáveis macro brasileiras. Passando o segundo turno das eleições municipais, será a hora do Planalto entrar em cena.

—— ——

Este conteúdo faz parte da nossa Newsletter ‘E Eu Com Isso’.

Para ficar por dentro do universo dos investimentos de maneira prática, clique abaixo e inscreva-se gratuitamente!

e-eu-com-isso

—— ——

Leia também: As indicações de Biden: começa a transição americana

O conteúdo foi útil para você? Compartilhe!

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Recomendado para você

Empresa Vale
E eu com isso

Vale (VALE3): Resultado do 4T20

Na noite desta quinta-feira (25), a mineradora Vale divulgou seus resultados referentes ao 4T20 e do ano consolidado de 2020. A divisão de minério de

Read More »
Localiza - E Eu Com Isso - Levante
E eu com isso

Localiza (RENT3): Resultado do 4T20 

A companhia Localiza (RENT3) divulgou seus números referentes ao quarto trimestre de 2020 na noite de quinta-feira (25). A companhia apresentou resultados sólidos, com lucro

Read More »
Selic
E eu com isso

A Selic sobe em março?

Fevereiro se encerra com incertezas e questionamentos. A principal incerteza é a trajetória da taxa de juros. Em pouco menos de três semanas, nos dias

Read More »
E eu com isso

Números da Salesforce

A Salesforce (CRM) apresentou nesta quinta-feira (25), após o fechamento dos mercados, os seus resultados do quarto trimestre do ano fiscal 2021, o que equivale

Read More »

Ajudamos você a investir melhor, de forma simples​

Inscreva-se para receber as principais notícias do mercado financeiro pela manhã.

Fechar Menu

Fechar Painel