eneva2-div-enveva

Novos capítulos da possível fusão entre Eneva (ENEV3) e AES Tietê (TIET3/TIET4/TIET11)

Novos capítulos da possível fusão entre Eneva (ENEV3) e AES Tietê (TIET3/TIET4/TIET11)

A AES Tietê informou, em fato relevante na noite da segunda-feira (13), que recebeu um conjunto de minutas de documentos preparados pela Eneva contendo a oferta de combinação de negócios com validade até 30 de abril.

Também via fato relevante divulgado ontem, a Eneva questionou a AES Tietê se haveria interesse na prorrogação do prazo e confirmou que há uma reunião do conselho de administração da Eneva convocada para o próximo dia 21 para tratar da operação. 

A Eneva confirmou que a AES Tietê já tem conhecimento, em detalhe, dos termos propostos para a operação, inclusive quanto à estrutura para sua implementação.

A AES Tietê informou no comunicado que levará os documentos à análise do seu Conselho de Administração e de seus respectivos assessores contratados e que se manifestará a respeito de seu conteúdo bem como sobre a prorrogação do prazo.

Enquanto a AES Tietê parece se manter numa posição defensiva, a Eneva parte para o ataque. Ontem, esta informou que concluiu uma emissão de debêntures no valor de 410 milhões de reais, com prazo de um ano e custo de CDI + 2,5 por cento ao ano. 

A Eneva já tinha uma posição de caixa confortável de 1,8 bilhão de reais e a nova captação de debêntures é mais uma sinalização da capacidade financeira da companhia, que demonstra que tem condições de concretizar a fusão mesmo diante de nebulosidade do cenário devido à Covid-19. Por isso, esperamos impacto ligeiramente positivo no curto prazo principalmente sobre as ações da Eneva (ENEV3).

Entretanto, a aquisição foi classificada como hostil pela AES Tietê e as empresas continuam a negociar sem previsão de conclusão. A proposta da Eneva é de pagamento de 2,75 bilhões de reais em dinheiro mais a troca de 91,9 milhões de ações.

Os executivos da Eneva entendem que se a assembleia de acionistas da AES Tietê não for convocada pelo conselho de administração, esta pode ser solicitada por um acionista relevante, como o BNDES. O banco é o maior acionista considerando o capital total da companhia, com 28 por cento, ante 24 por cento da subsidiária do grupo americano.

A combinação dos negócios pode ser excelente para ambas as companhias devido à complementaridade de seus negócios e altos ganhos de sinergia. Caso a fusão seja consumada, a nova companhia seria a segunda maior geradora de energia privada do País, com capacidade de geração de 6,2 mil megawatts (MW) e faturamento anual de 5 bilhões de reais.

Com a AES, além de aumentar a capacidade, a geração será mais diversificada. A matriz energética da nova empresa terá 44 por cento da energia obtida por meio de hidrelétricas, 44 por cento por térmicas, 7 por cento serão de energia eólica e os 5 por cento restantes serão de energia solar. Dessa forma, a Eneva poderá ofertar energia durante todo o ano e não somente quando as térmicas são acionadas

* Este conteúdo faz parte do nosso boletim diário: ‘E Eu Com Isso?’. Todos os dias, o time de analistas da Levante prepara as notícias e análises que impactam seus investimentos. Clique aqui para receber informações sobre o mercado financeiro em primeira mão.

Leia também:Eneva (ENEV3) envia segunda carta à AES Tietê

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Ajudamos você a investir melhor, de forma simples​

Inscreva-se para receber as principais notícias do mercado financeiro pela manhã.

Recomendado para você

Política Sem Aspas

O desafio do teto – parte II

Na primeira parte dessa dupla de textos, concentrei-me em elencar e dissertar acerca das principais regras fiscais em voga hoje no Brasil. Naquela ocasião, deixei

Read More »
Artigos

Política acima de tudo!

O mercado vive uma certa trégua em relação à volatilidade mais acentuada de algumas semanas atrás. Discussões importantes foram adiadas para depois das eleições. Quem

Read More »
tipos de ações da bolsa de valores
Artigos

Empresas preparam IPOs

Nas últimas semanas, o número de prospectos de IPO protocolados na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) aumentou em quase dez, com as companhias “aspirantes” ao

Read More »
Artigos

Resultados da WEG

A Weg (WEGE3) apresentou nesta quarta-feira (21), antes da abertura dos mercados, os seus resultados referentes ao 3T20. Os números vieram bons e acima das

Read More »
Fechar Menu

Fechar Painel