logo-mitre

Mitre (MTRE3) – Resultado do primeiro trimestre de 2020

A Mitre (MTRE3) divulgou nesta segunda-feira (11), após o fechamento dos mercados, o resultado do primeiro trimestre de 2020 que foi regular e em linha com o esperado em termos de receita líquida e de geração de caixa. A empresa já havia divulgado o resultado operacional sem lançamentos no trimestre.

Entre os destaques positivos, a Mitre informou que, embora no mês de março as vendas da companhia tenham caído 50 por cento em comparação com o volume de fevereiro, em abril as vendas apresentaram uma evolução de 42 por cento em relação a março, reforçando a qualidade e capacidade da equipe de vendas.

Além disso, o baixo estoque reportado é outra boa notícia. O estoque pronto reportado é de apenas 12 milhões de reais, representando apenas 9,7 por cento do estoque total.

Do lado negativo, houve um forte aumento das despesas de vendas, gerais e administrativas (SG&A), principal motivo para o prejuízo líquido de 6,4 milhões de reais no trimestre.

Esperamos um impacto neutro no preço das ações da Mitre (MTRE3) no curto prazo. Apesar do impacto inegável do coronavírus, os números nos mostram que a empresa tem se esforçado para manter o nível de vendas mesmo com os seus estandes de vendas fechados devido à quarentena.

A receita líquida atingiu 48,0 milhões de reais no trimestre, aumento de 2,5 por cento em relação ao primeiro trimestre de 2019, mas queda de 60,7 em relação ao trimestre anterior. O baixo crescimento da receita líquida é explicado pela ausência de lançamentos no trimestre.

A margem bruta ajustada caiu para 30,7 por cento, inferior aos 39,5 por cento no mesmo período de 2019, mas superior aos 29,3 por cento no quarto trimestre de 2019.

Sob a perspectiva financeira, não houve impacto significativo de aumento de inadimplência por parte dos clientes, com 6 distratos relacionados aos problemas decorrentes da pandemia, além de uma pequena quantidade de clientes (cerca de 3 por cento do número total de clientes, ou 0,3 por cento da carteira total) que solicitaram alguma flexibilização no cronograma de pagamento de curto prazo das suas parcelas, os quais não tiveram impacto no fluxo de caixa da Companhia.

A companhia fechou o primeiro trimestre com uma posição de caixa líquido de 907,6 milhões de reais, comparado a 40,3 milhões no 4T19. O aumento registrado deve-se principalmente a entrada dos recursos provenientes da oferta pública inicial de ações (IPO) concluída em fevereiro de 2020. 

Sobre os impactos da Covid-19, a empresa informou que todas as suas obras seguem sem interrupção. Na última quinta (7), o presidente Jair Bolsonaro assinou o decreto colocando o setor de construção civil na lista de atividades essenciais. A maioria dos lançamentos esperados para este ano está prevista somente para o segundo semestre. 

Os principais catalisadores das ações são: reabertura da economia e dos estandes de vendas e; comportamento dos cancelamentos de vendas que dependem da deterioração da renda e emprego da população.

* Este conteúdo faz parte do nosso boletim diário: ‘E Eu Com Isso?’. Todos os dias, o time de analistas da Levante prepara as notícias e análises que impactam seus investimentos. Clique aqui para receber informações sobre o mercado financeiro em primeira mão.

Leia também: B2W (BTOW3): Resultados do primeiro trimestre de 2020

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Ajudamos você a investir melhor, de forma simples​

Inscreva-se para receber as principais notícias do mercado financeiro pela manhã.

Recomendado para você

Artigos

Resultados do 2T20 da CVC

A CVC (CVCB3) apresentou nesta segunda-feira (20), após o fechamento do mercado e com atraso, seus resultados do segundo trimestre de 2020. Como era de

Read More »
Política Sem Aspas

O desafio do teto – parte I

No Comentário de nº 9 da Instituição Fiscal Independente, “Considerações sobre o teto de gastos da União”, Felipe Salto, Daniel Couri e Josué Pellegrini recortam

Read More »
Fechar Menu

Fechar Painel