Magazine Luiza MGLU3 EECI

Magazine Luiza (MGLU3): Resultado do 4T20

O Magazine Luiza (MGLU3) apresentou nesta segunda-feira (8), após o fechamento do mercado, seus resultados do último trimestre de 2020. Os números vieram bons e em linha com o que é esperado da companhia, com forte crescimento das vendas brutas apresentado ao longo dos últimos trimestres.

Os principais destaques positivos foram: i) crescimento forte de vendas em todos os canais, em especial no físico e no varejo digital direto (1P); ii) taxa de crescimento das vendas online três vezes superior ao do mercado, o que significa ganhos de participação (market share) e iii) geração operacional de caixa de 2,1 bilhões de reais.

Não houve grandes destaques negativos no resultado. Porém, as margens bruta, Ebitda e líquida apresentadas não foram tão empolgantes como o crescimento na linha de receita líquida.

As vendas brutas totais (GMV) foram de 14,9 bilhões de reais, 66 por cento a mais que no mesmo período de 2019. Com isso, a receita líquida foi de 10,0 bilhões de reais, aumento de 57,6 por cento na comparação com o mesmo trimestre do ano anterior.

Enquanto o Ebitda, métrica utilizada para medir o potencial de geração de caixa da companhia foi de 504,7 milhões de reais, um aumento mais discreto de 1,1 por cento na comparação anual. A margem Ebitda caiu de 7,8 por cento no 4T19 para 5,2 por cento neste trimestre. Vale ressaltar que a maior participação do e-commerce nas vendas totais, junto ao aumento da estrutura da companhia para manter o alto nível de serviço devem continuar a pressionar as margens da companhia no curto prazo.

Por fim, o lucro líquido ajustado foi de 232 milhões de reais, 39,8 por cento a mais que no 4T19.

E Eu Com Isso?

O resultado do Magazine Luiza foi bom, porém em linha com as expectativas. O forte crescimento, mesmo dentro do esperado, junto ao desempenho, no mínimo trágico, da bolsa nesta segunda-feira (8) deve trazer impactos positivos para as ações da companhia (MGLU3) no curto prazo.

O grande destaque do resultado foi o varejo físico, cujas vendas cresceram 15,7 por cento em relação ao 4T19. O indicador de Vendas Mesmas Lojas, que expurga as lojas inauguradas nos últimos 12 meses da comparação, apresentou crescimento de 10,9 por cento, um resultado ainda mais impressionante considerando a diminuição da circulação devido à pandemia e o maior valor no ano deste indicador.

No varejo digital direto (1P), o crescimento das vendas foi de 120 por cento, taxa de crescimento extremamente positiva, porém em linha com o que o mercado já esperava da companhia. O marketplace (3P) cresceu também cerca de 120 por cento, algo que de longe deve ser considerado ruim, contudo, a taxa veio bem abaixo dos últimos trimestres. Segundo a consultoria E-bit, o mercado de e-commerce cresceu cerca de 32 por cento no mesmo período em que as vendas online do Magalu cresceram cerca de 4 vezes mais.

Entre os principais acontecimentos de 2020, a companhia destacou a criação de novas fontes de receita, entre elas os segmentos de produtos de Supermercado, Delivery de restaurantes, moda e Beleza, Fintech, e publicidade digital, entre outros. Isso reforça a tese de que a companhia consegue se reinventar continuamente para manter seu forte ritmo de crescimento.

O Magazine Luiza encerrou o ano de 2020 com crescimento superior a 100 por cento no preço de suas ações pelo quinto ano consecutivo. A companhia vem se mostrando capaz de consolidar o mercado de e-commerce, como vem demonstrando através de seu crescimento acima da média dos outros players.

O começo de 2021 parece se mostrar mais desafiador para a companhia, além do fato de continuar o forte ritmo de crescimento se tornar mais difícil conforme a empresa se torna maior, a incerteza macroeconômica e fiscal do país vem se mostrando um obstáculo para empresas de forte crescimento. Além disso, a competição no e-commerce tem se mostrado cada vez mais intensa, com nomes como Mercado livre (MELI34), Via Varejo (VVAR3) e B2W (BTOW3) se mostrando cada vez mais preparados para também consolidar este mercado.

Apesar dos obstáculos, o Magalu segue como o principal nome do setor de e-commerce no Brasil, com a melhor logística e, em nossa visão, a estratégia de longo prazo mais interessante. Esperamos que a companhia continue a crescer, consolidando cada vez mais o setor que ainda tem espaço para crescer bastante no país.

Este conteúdo faz parte da nossa Newsletter ‘E Eu Com Isso’.

Para ficar por dentro do universo dos investimentos de maneira prática, clique abaixo e inscreva-se gratuitamente!

e-eu-com-isso

Leia mais sobre a empresa: Magazine Luiza adquire Hub.

O conteúdo foi útil para você? Compartilhe!

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Recomendado para você

Política sem Aspas, por Felipe Berenguer
Política Sem Aspas

Qual Terceira Via? | Política sem Aspas

Expressão largamente utilizada nos noticiários e na política brasileira, especialmente nesta última década, a “Terceira Via” foi consagrada a partir de teoria elaborada por um

Read More »
Levante Ideias - Câmara dos Deputados
E eu com isso

Rumo ao plenário

Na esteira do que antecipamos nesta quinta-feira (23), a comissão especial da Câmara dos Deputados aprovou a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) 32/2020, que

Read More »

Ajudamos você a investir melhor, de forma simples​

Inscreva-se para receber as principais notícias do mercado financeiro pela manhã.