Braskem - BRKM5 - Levante Investimentos

Gestora Mubadala aparece como nova interessada na Braskem (BRKM5)

Poucos dias após o início de conversas com interessados em comprar a participação da Novonor (ex-Odebrecht) na petroquímica Braskem (50,1 por cento do capital votante), a gestora de fundos Mubadala já aparece como uma das interessadas.

A venda da participação da Novonor na Braskem faz parte do requisito a ser cumprido em seu plano de recuperação judicial, sendo o dinheiro levantado na venda utilizado para o pagamento de parte das dívidas bilionárias da companhia.

O Mubadala recentemente arrematou a Refinaria Landulpho Alves (RLAM) da Petrobras na Bahia por cerca de 1,65 bilhão de dólares (cerca de 9,24 bilhões de reais com o último fechamento do câmbio) e parece estar com apetite para ganhar espaço na cadeia de derivados de petróleo, incluindo o braço petroquímico em seus ativos.

A Petrobras também possui participação relevante na Braskem com 47 por cento do capital votante e 36,1 por cento do capital total e a participação já se encontra na lista de ativos a serem vendidos pela estatal desde o início do plano de redução de endividamento.

Com o último fechamento de mercado, a Braskem está avaliada em cerca de 38,6 bilhões de reais. As ações (BRKM5) fecharam em forte alta de 3 por cento na última sexta-feira (16), já refletindo a veiculação desta notícia.

E Eu Com Isso?

A notícia é positiva para as três companhias. Para a Novonor, a venda permitiria cumprir com uma fatia grande de seu compromisso com credores. Para a Petrobras, seria uma importante entrada de caixa e um avanço em seu plano de venda de ativos e de redução do endividamento. E a Braskem finalmente poderia destravar o processo de migração para o Novo Mercado, dando um toque final à sua estrutura de Governança Corporativa que passou por importantes melhorias nos últimos anos.

O câmbio favorável para os estrangeiros ainda deve esquentar a disputa pelo controle da petroquímica, o que pode elevar o preço das ações da Braskem (BRKM5) no curto prazo. Tanto o Mubadala quanto a holandesa LyondellBasell têm poder de fogo para adquirir a totalidade da companhia, com o valor total da Braskem beirando os 7 bilhões de dólares, abaixo dos 10 bilhões de dólares negociados em 2019 com a holandesa.

Em 2019 a gigante holandesa LyondellBasell estava em conversas avançadas para a compra da totalidade da Braskem, porém cancelou após o incidente geológico em Alagoas. Em 2020 apareceu o problema com a operação no México, com impasse nos contratos de fornecimento de insumos importantes para a produção da Braskem Idesa.

Ambos os problemas da petroquímica já foram devidamente endereçados, o que pode inclusive fazer a empresa holandesa retornar à mesa de negociação, ainda mais em um momento favorável da indústria petroquímica, com franco crescimento de volumes e margens no mundo todo, com a Braskem sendo um dos principais players do setor na América Latina.

Este conteúdo faz parte da nossa Newsletter ‘E Eu Com Isso’.

Para ficar por dentro do universo dos investimentos de maneira prática, clique abaixo e inscreva-se gratuitamente!

e-eu-com-isso

Leia mais sobre o caso: Venda de fatia da Braskem.

O conteúdo foi útil para você? Compartilhe!

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Recomendado para você

Levante Ideias - Selic
E eu com isso

Até onde os juros podem subir?

Será uma surpresa gigantesca se o Copom (Comitê de Política Monetária) anunciar outra decisão nesta quarta-feira (04) a não ser uma elevação de 100 pontos-base

Read More »
Levante Ideias - Câmara dos Deputados
E eu com isso

Segundo parecer

Com um dia de atraso no cronograma inicialmente previsto, o deputado Celso Sabino (PSDB-PA) apresentou seu segundo parecer sobre o Projeto de Lei 2.337/2021, que

Read More »

Ajudamos você a investir melhor, de forma simples​

Inscreva-se para receber as principais notícias do mercado financeiro pela manhã.