bandeira-eua-div

Geração de empregos nos EUA surpreende o mundo

A primeira semana de junho se encerra sob o signo da retomada econômica. Os pregões ao redor do mundo, Brasil incluído, mostraram que investidores de vários portes e perfis decidiram comprar a ideia de uma normalização sustentável da economia.

A trajetória de alta já vinha se desenhando desde o início da semana. No entanto, na quinta-feira (4), o Banco Central Europeu (BCE) anunciou um pacote suplementar de estímulos de 600 bilhões de euros. Com isso, o total injetado na economia pode chegar a 1,35 trilhão de euros por meio da recompra de títulos. Além desses gastos, o governo alemão aprovou um pacote de 130 bilhões de euros em gastos públicos. Há também a expectativa de pacotes adicionais de estímulo dos Estados Unidos que podem chegar a um trilhão de dólares. Um influxo tão intenso de liquidez na economia global muda as perspectivas dos investidores e proporciona as condições para a alta das cotações.

O otimismo domina o mercado. Pouco antes da abertura dos mercados por aqui, foi divulgado o payroll (geração de empregos) nos EUA, o esperado era uma destruição de 8 milhões de empregos e o que se viu foi uma geração de 2,5 milhões de empregos, o que surpreendeu e muito a expectativa. Além disso, também foi divulgado o desemprego nos EUA (pelo Bureau of Labor Statistics), o número de maio caiu para 13,3 por cento ante os 14,7 por cento registrados em abril, um número muito melhor do que o esperado que era um desemprego de 19,7 por cento. O foco é a reabertura e os estímulos, em vez dos impactos negativos do vírus sobre as economias durante os primeiros meses deste ano.

No Brasil, apesar de a curva de infectados e vítimas fatais do coronavírus não parar de subir, os investidores também têm mostrado estar convencidos de que há espaço para uma retomada sustentável da economia, com a volta das empresas à quase normalidade. Não por acaso, nos quatro primeiros pregões de junho, o Ibovespa valorizou-se 7,3 por cento, avançando dos 87,4 mil pontos do fim de maio para 93,8 mil pontos na quinta-feira (4), maior fechamento desde o dia 10 de março. No melhor momento do pregão, o principal indicador do mercado acionário brasileiro superou 94 mil pontos. Até mesmo a aceleração da inflação pode ser considerada uma boa notícia. Os preços subiram no atacado, puxados pelo avanço de preços importantes para a pauta de exportações brasileira, como a soja e o minério de ferro (leia mais abaixo)

INDICADORES – A alta da inflação foi uma boa notícia para os investidores. O Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) subiu 1,07 por cento em maio, bastante acima dos 0,05 por cento de abril, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta sexta-feira. Até maio, o índice acumula alta de 2,89 por cento no ano e de 6,81 por cento em 12 meses. Em maio de 2019, o índice havia subido 0,40 por cento e acumulava elevação de 6,93 por cento em 12 meses. Segundo a FGV, a aceleração do IGP-DI foi sustentada pela recuperação dos preços das commodities, como soja (cujos preços subiram 8,59 por cento) e do minério de ferro (alta de 12,32 por cento).

O último pregão da semana começa com o mesmo entusiasmo das sessões anteriores e o dia hoje será de forte alta no Brasil e no Mundo. O Ibovespa abrirá  acima dos 96 mil pontos. Essa alta vem principalmente dos dados de emprego nos EUA.

* Este conteúdo faz parte do nosso boletim diário: ‘E Eu Com Isso?’. Todos os dias, o time de analistas da Levante prepara as notícias e análises que impactam seus investimentos. Clique aqui para receber informações sobre o mercado financeiro em primeira mão.

Leia também: BCs compradores

O conteúdo foi útil para você? Compartilhe!

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Recomendado para você

E eu com isso

STF decide reeleição

Como esperado, já se iniciou o julgamento do Supremo Tribunal Federal (STF) para definir se os presidentes da Câmara e do Senado podem concorrer à

Read More »
eletrobras
E eu com isso

Privatização da Eletrobras

Uma das medidas mais urgentes para conter o avanço da dívida pública nos próximos anos é a venda de ativos e privatizações por parte do

Read More »
E eu com isso

Aquisição do Grupo Dasa

Na quinta-feira (03), após o fechamento do mercado, o grupo Dasa (DASA3) comunicou a aquisição do Grupo Leforte, dono de três hospitais e de cinco

Read More »

Ajudamos você a investir melhor, de forma simples​

Inscreva-se para receber as principais notícias do mercado financeiro pela manhã.

Fechar Menu

Fechar Painel