Lojas americanas

Fusão entre Lojas Americanas (LAME4) e B2W (BTOW3)

Na sexta-feira (19), após o fechamento do mercado, as companhias Lojas Americanas (LAME4) e B2W (BTOW3) anunciaram ao mercado que seus comitês executivos aprovaram a análise de uma fusão das companhias. Um comitê independente será formado pela B2W para negociar os termos e condições do acordo com os executivos das Lojas Americanas, posteriormente, esse acordo será avaliado pelos executivos da B2W para somente então serem submetidos à aprovação dos acionistas de ambas as companhias. Ainda não há nenhum prazo definido para todo o processo.

A fusão tem como objetivo criar uma plataforma multicanal consolidada de ambas as companhias, de forma a aumentar as sinergias entre os negócios. No comunicado divulgado pelas empresas, a companhia destaca que escolheu estudar essa fusão, já há muito tempo esperada pelo mercado, devido às rápidas mudanças dos hábitos dos consumidores com a aceleração da digitalização devido a pandemia do COVID-19.

Apesar de não haver nenhuma definição quanto aos termos do acordo até aqui, é esperado que a B2W incorpore a Lojas Americanas devido aos créditos fiscais (imposto de renda e contribuição social) que a companhia vem acumulando ao longo dos anos devido aos sucessivos prejuízos, uma fusão neste formato permitiria o uso desses créditos na operação da nova companhia.

E Eu Com Isso?

Acreditamos que a notícia é positiva para ambas as companhias e por isso esperamos impactos positivos nos preços de ambas as ações (LAME4 e BTOW3) no curto prazo.

A fusão entre as companhias cria uma série de sinergias, com uma plataforma omnicanal que consolida os dados dos clientes, permitindo uma melhor inteligência para monetizar e fidelizar seus clientes, com uma abordagem comercial unificada, com estratégias de marketing e precificação única também deve gerar valor para as companhias.

Além disso, a unificação das mais de 1.700 lojas com a plataforma digital em uma estratégia multicanal deve trazer não só economia de custos como uma melhor experiência para o cliente, algo visto na estratégia de concorrentes como o Magazine Luiza (MGLU3).

Atualmente a Lojas Americanas possui 62 por cento das ações da B2W e ambas as companhias possuem os mesmos controladores: Jorge Paulo Lemann, Carlos Alberto Sicupira e Marcel Telles.

Apesar de ser a maior plataforma de e-commerce do Brasil em termos de GMV, a B2W negocia com desconto quando comparamos seus múltiplos com nomes como Magazine Luiza (MGLU3) e Mercado Livre (MELI34). Na nossa visão, parte desse desconto é devido a separação entre o negócio físico e digital, uma vez que a companhia opera o e-commerce da Lojas Americanas. A fusão traria a empresa a um modelo de negócios mais atraente e por isso, ao ser concluída, deve trazer um aumento significativo nos múltiplos.

Este conteúdo faz parte da nossa Newsletter ‘E Eu Com Isso’.

Para ficar por dentro do universo dos investimentos de maneira prática, clique abaixo e inscreva-se gratuitamente!

e-eu-com-isso

Leia mais sobre as empresas: Números da B2W; Lojas Americanas: JCP e emissão de ações.

O conteúdo foi útil para você? Compartilhe!

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Recomendado para você

Levante Ideias - Telecomunicação
E eu com isso

Onda de M&A na telecom

Um estudo publicado pela consultoria RGS Partners mostra que o Brasil movimentou mais US$ 92 bilhões em fusões e aquisições em 95 transações entre 2010

Read More »
Levante Ideias - Banco Central
E eu com isso

Semana decisiva para os juros

A próxima semana será decisiva para a trajetória dos juros brasileiros de agora em diante. Em circunstâncias normais, o prognóstico seria de alta das expectativas

Read More »

Ajudamos você a investir melhor, de forma simples​

Inscreva-se para receber as principais notícias do mercado financeiro pela manhã.

Fechar Menu

Fechar Painel