b2w

Números da B2W

A B2W (BTOW3) divulgou nesta quinta-feira (29), após o fechamento de mercado, seu resultado do terceiro trimestre deste ano. O resultado foi bom, levemente acima do esperado em termos de receita líquida, Ebitda, e resultado líquido. 

Os principais destaques positivos foram:

i) crescimento das vendas brutas (GMV) e da receita acima do esperado;

ii) geração de caixa positiva de 160,7 milhões de reais no período. de acordo com a companhia;

iii) aumento de 270 por cento no sortimento de itens na plataforma 3P;

A receita líquida totalizou 2,6 bilhões de reais, representando um crescimento de 58,5 por cento comparado ao mesmo trimestre de 2019, um pouco acima das nossas expectativas. Já o EBITDA atingiu a marca de 252,3 milhões de reais, crescimento de 65,7 por cento comparado ao 3T19, com um aumento de 0,4 ponto percentual na margem desta linha.

Já os destaques negativos vieram da i) adição de novos sellers de 10,1 mil (lojistas, varejistas e até mesmo pessoas que vendem seus produtos no marketplace da B2W), abaixo do esperado ii) queda na margem bruta: redução de 1,4 ponto percentual em relação ao terceiro trimestre de 2019 e iii) resultado líquido (prejuízo) negativo -36,8 milhões de reais, 64,1 por cento a menos que o ano passado, marginalmente pior que as demais linhas do resultado.

Os resultados da B2W vieram um pouco acima do esperado pelo mercado. Assim, esperamos que as ações da B2W (BTOW3) apresentem desempenho acima do Ibovespa nesta sexta-feira (30).

Apesar das nossas observações negativas, acreditamos que o tom positivo deve prevalecer, principalmente a geração de caixa no período, que merece especial destaque.

Ao olharmos o GMV (Gross Merchandise Volume), que metrifica o volume bruto de mercadorias inseridas na companhia, houve um aumento significativo de 56,2 por cento na comparação anual, totalizando no trimestre, 7,26 bilhões de reais, reflexo do crescimento de vendas online.

Na parte de vendas diretas, conhecida como 1P, que inclui as lojas Americanas, Submarino, Shoptime e Sou Barato, foi observado um crescimento de 59 por cento no trimestre, enquanto no marketplace (3P), onde varejistas utilizam seus canais de venda para alavancar o volume de vendas, houve um crescimento de 55 por cento e 270 por cento no sortimento, comparados ao 3T19.

A B2W está investindo fortemente em soluções para o seu marketplace, uma vez que esta fonte de receita aumenta a cada trimestre consideravelmente. Vemos incentivos como isenção na cobrança de alguns parceiros que vendem através da sua plataforma pelos serviços prestados durante a Black Friday, que ocorrerá no final de novembro. Isso, além de outros posicionamentos, podem ajudar a companhia a aumentar o número de vendedores na sua base e a taxa de comissão (take rate) extraída do 3P.

Em relação a logística, que é fundamental para o negócio da B2W, vemos que a LET’S, serviço de entrega da companhia, conseguiu realizar 33 por cento das entregas no mesmo dia. Outro ponto importante, foi a integração do Supermercado Now, empresa adquirida em janeiro deste ano, junto a Americanas, lançando a categoria de mercado, que se tornou a maior em unidades vendidas.

Os principais catalisadores das ações da B2W são: a continuidade do crescimento do varejo digital no Brasil, captação de novos sellers e geração de caixa e lucros de forma recorrente.

* Este conteúdo faz parte do nosso boletim diário: ‘E Eu Com Isso?’. Todos os dias, o time de analistas da Levante prepara as notícias e análises que impactam seus investimentos. Clique aqui para receber informações sobre o mercado financeiro em primeira mão.

O conteúdo foi útil para você? Compartilhe!

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Recomendado para você

Ajudamos você a investir melhor, de forma simples​

Inscreva-se para receber as principais notícias do mercado financeiro pela manhã.