Levante Ideias - Manifestações

Discursos no feriado

Enquanto os mercados permaneciam fechados devido ao feriado do Dia da Independência, o cenário político foi agitado.

O presidente Jair Bolsonaro reuniu uma multidão de apoiadores em duas manifestações públicas de grandes proporções, uma delas em Brasília pela manhã e a outra em São Paulo durante a tarde.

O grande número de presentes nas manifestações mostra que o governo ainda conta com um expressivo apoio popular, e que uma parcela ampla da população e do eleitorado permanece fiel às teses que foram vitoriosas na eleição de 2018.

Bolsonaro proferiu dois discursos fortes, com críticas ao Judiciário e, em especial, o STF (Supremo Tribunal Federal). E as declarações do presidente poderão ampliar a tensão nas relações entre os Executivo e Judiciário.

A avaliação é que esse aumento da tensão poderá dificultar o andamento de pautas importantes para a solução da crise fiscal, como a questão dos pagamentos de precatórios. Os precatórios são dívidas do governo decorrentes da perda de processos judiciais.

Em 2021, a estimativa é que a União terá de arcar com cerca de R$ 50 bilhões nesses pagamentos, ao passo que a cifra para 2022 quase dobra. A estimativa é que a conta dos precatórios poderá chegar a R$ 90 bilhões.

Para fazer frente a esses 40 bilhões a mais no Orçamento, o governo vinha negociando parcelar essa parte da dívida.

As conversas se iniciaram no Congresso.

O governo enviou uma PEC (Proposta de Emenda à Constituição) nesse sentido, mas que encontrou resistências do presidente da Câmara, deputado Arthur Lira (PP-AL), e do senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG), que preside o Senado.

Como as principais lideranças políticas resistiram à ideia, o governo passou a conversar diretamente com Luiz Fux, presidente do STF. As declarações presidenciais durante o feriado podem tornar essa conversa mais difícil.

Numa demonstração de desagrado, Pacheco cancelou as votações no Senado agendadas para esta quarta-feira (08) e para a quinta-feira (09), por considerar que não há ambiente político para a realização de votações. A avaliação é de que o clima para os projetos do governo ficou mais complicado.

O parcelamento dos precatórios é essencial para que o governo federa consiga equilibrar suas contas e também pagar o Auxílio Brasil, programa que pretende suceder o Bolsa Família.

Sem ele, ou o Auxílio Brasil ou o teto de gastos serão prejudicados, com consequências potencialmente negativas tanto para o crescimento real da economia quanto para a percepção dos investidores quanto ao risco do mercado brasileiro.

E Eu Com Isso?

Os contratos futuros de Ibovespa iniciaram a quarta-feira pós-feriado com uma forte baixa de quase 1%, com o mercado se ajustando após um dia sem negociações.

A sessão deverá ser marcada por forte volatilidade decorrente do noticiário, especialmente as notícias políticas.

As notícias são negativas para a Bolsa.

Este conteúdo faz parte da nossa Newsletter ‘E Eu Com Isso’.

e-eu-com-isso

Leia também: Sem clima.

O conteúdo foi útil para você? Compartilhe!

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Recomendado para você

Levante Ideias - NFT
E eu com isso

Os NFTs são a arte do lucro

NFT parece ser a sigla de um título público. Algo como Notas Financeiras do Tesouro. Nada disso. NFT é a abreviatura de Non-Fungible Tokens, ou

Read More »
Levante Ideias - Dinheiro
E eu com isso

PEC dos precatórios

Nesta quinta-feira (16), a CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara dos Deputados votou e aprovou, por 32 votos a 26, a PEC (Proposta

Read More »

Ajudamos você a investir melhor, de forma simples​

Inscreva-se para receber as principais notícias do mercado financeiro pela manhã.