bancos

Bancos: proibição de distribuição de dividendos acima do mínimo (ITUB4, BBDC4, BBAS3, SANB11)

O Conselho Monetário Nacional (CMN) vedou na segunda-feira (6), de maneira temporária, a distribuição por instituições financeiras (bancos) de dividendos acima do mínimo obrigatório previsto em estatuto social. Além disso, proibiu, também temporariamente, a distribuição de juros sobre capital próprio (JCP) e o aumento de remuneração dos administradores dessas instituições.

As proibições valem até o dia 30 de setembro de 2020 e tem o objetivo de “evitar o consumo de recursos importantes para a manutenção do crédito e para a eventual absorção de perdas futuras”

Segundo o Banco Central, as instituições financeiras estão com níveis de capital e liquidez em patamares confortáveis, “bem acima dos requerimentos mínimos estabelecidos”.

De acordo com o presidente do Itaú Unibanco, Candido Bracher, a decisão do BC neste momento de crise provocada pela pandemia do coronavírus é “sensata” e “compreensível”. O Bradesco e a Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) também se posicionaram a favor da medida, pois o BC garante a estabilidade da economia para, no pós-crise, o país ter condições de uma volta segura dos financiamentos para consumo e novos investimentos.

A medida seria negativa dentro de um contexto de normalidade econômica pois reduz a flexibilidade de distribuição de dividendos/JCP pelos bancos (ITUB4, BBDC4, BBAS3, SANB11). Porém, dado o cenário de incerteza, não acreditamos que o impacto no valor de mercado dos bancos será grande, pois estimamos que bancos já tenderiam a ser conservadores ao distribuir dividendos/JCP.

As ações dos bancos tiveram um excelente pregão na última segunda-feira (6). Todos os grandes bancos (Itaú, Banco do Brasil, Bradesco e Santander) avançaram entre 7 a 11 por cento no pregão de ontem, sendo os principais responsáveis pela alta de 6,5 por cento do Ibovespa. A reação de ontem deixou claro que o mercado também enxerga a medida da mesma forma que os executivos dos grandes bancos, uma medida temporária e necessária para preservar a liquidez do sistema financeiro e de crédito às empresas.

Muitas outras empresas também suspenderam e/ou adiaram os pagamentos de dividendos/JCP para preservar caixa, medida sensata devido ao momento de incerteza com a pandemia do coronavírus.

O momento de aperto na liquidez pode ser propício para os grandes bancos fazerem aquisições de fintechs e de bancos digitais. Nessa linha, o Bradesco está em negociações para comprar uma participação minoritária no banco digital C6.

Em relação à aquisições, o CEO do Itaú afirmou: “não me preocupo se o BC vai permitir que os bancos façam aquisições neste momento, pois não estamos olhando para aquisições, expansão de negócios neste momento. Não digo que não faremos no futuro.”

* Este conteúdo faz parte do nosso boletim diário: ‘E Eu Com Isso?’. Todos os dias, o time de analistas da Levante prepara as notícias e análises que impactam seus investimentos. Clique aqui para receber informações sobre o mercado financeiro em primeira mão.

Leia também: Open banking é prioridade para BC e Inter (BIDI4/BIDI11) divulga prévia operacional

O conteúdo foi útil para você? Compartilhe!

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Recomendado para você

E eu com isso

STF decide reeleição

Como esperado, já se iniciou o julgamento do Supremo Tribunal Federal (STF) para definir se os presidentes da Câmara e do Senado podem concorrer à

Read More »
eletrobras
E eu com isso

Privatização da Eletrobras

Uma das medidas mais urgentes para conter o avanço da dívida pública nos próximos anos é a venda de ativos e privatizações por parte do

Read More »
E eu com isso

Aquisição do Grupo Dasa

Na quinta-feira (03), após o fechamento do mercado, o grupo Dasa (DASA3) comunicou a aquisição do Grupo Leforte, dono de três hospitais e de cinco

Read More »

Ajudamos você a investir melhor, de forma simples​

Inscreva-se para receber as principais notícias do mercado financeiro pela manhã.

Fechar Menu

Fechar Painel