Levante Ideias - eletrobras

Avanço na capitalização da Eletrobras

Em sua primeira entrevista no cargo, realizada em 9 de junho, o atual presidente da Eletrobras (ELET3/ELET6), Rodrigo Limp, anunciou que a aguardada capitalização da companhia deverá ocorrer em janeiro ou fevereiro de 2022.

Com a capitalização, estima-se que a estatal levante cerca de R$ 25 bilhões em recursos privados. A estimativa já considera o pagamento a ser realizado pela Eletrobras ao Tesouro Nacional para ter direito a suas usinas hidrelétricas, este chamado de bônus de outorga.

O valor final da capitalização, porém, ainda está sendo analisado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e pela companhia.

Além do pagamento do bônus de outorga, a companhia deverá também assumir outros passivos no futuro, incluindo contribuições anuais à Conta de Desenvolvimento Energético (CDE).

O objetivo desta contribuição consiste principalmente em assegurar o desenvolvimento do setor, amenizando tarifas de energias e investindo na recuperação de bacias hidrográficas nos próximos dez anos.

Ainda na entrevista, Limp anunciou a intenção de realizar uma nova rodada do plano de demissão consensual (PDC) em 2021.

Alinhada com seu processo de reestruturação, a iniciativa tem como objetivo deixar a companhia em uma posição mais ordenada para a mudança de controle.

Com atuais 12 mil funcionários em seu quadro (dados de março 2021), a estimativa é alcançar um número de 11,6 mil, reduzindo seu corpo em cerca de 3,94%.

E Eu Com Isso?

Apesar de as declarações do atual presidente ressaltarem o caráter mais competitivo e dinâmico da companhia pós-capitalização e estarem alinhadas com os interesses de mercado, acreditamos que a tramitação da Medida Provisória (MP) da Eletrobras no Senado e sua aprovação devem continuar sendo os principais responsáveis pelas oscilações de preço das ações da companhia (ELET3/ELET6) no curto prazo.

A MP 1.031, cuja aprovação viabiliza a privatização da companhia, está em reta final de discussão no Senado.

O texto-base da mesma indica que a União vai capitalizar a Eletrobras sem participar da operação, com o governo reduzindo sua participação de 61% para 45%.

O governo ainda ficará com uma “golden share”, que lhe permitirá vetar decisões mais sensíveis à empresa. No futuro, com as ações da companhia já mais valorizadas, o governo deve se desfazer de suas posições, realizando lucro.

Com a aprovação da MP, a expectativa é que a oferta subsequente de ações (follow on, na expressão em inglês) da mesma ocorra entre janeiro e fevereiro do próximo ano.

Este conteúdo faz parte da nossa Newsletter ‘E Eu Com Isso’.

e-eu-com-isso

Leia também: MP da Eletrobras no Senado.

O conteúdo foi útil para você? Compartilhe!

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Recomendado para você

Política sem Aspas, por Felipe Berenguer
Política Sem Aspas

Recesso, pero no mucho…

Existe, no imaginário popular, uma ideia fixa que procura associar o recesso parlamentar à inatividade de políticos de Brasília. De fato, os corredores do Congresso

Read More »
Levante Ideias - Inflação
E eu com isso

Inflação supera expectativas

A sexta-feira começa com a divulgação do IPCA-15 (Índice de Preços ao Consumidor Amplo – 15) de 0,72% em julho, levemente abaixo do 0,83% de

Read More »

Ajudamos você a investir melhor, de forma simples​

Inscreva-se para receber as principais notícias do mercado financeiro pela manhã.

Fechar Menu

Fechar Painel