Como funciona o IPO

O que é e como funciona o IPO?

Se você está chegando agora no mundo dos investimentos, talvez esteja se perguntando sobre o que é e como funciona o IPO. Traduzindo do inglês Initial Public Offering, a sigla significa Oferta Pública Inicial e, como o nome diz, é o momento em que a empresa vende ações para o público pela primeira vez.

Outra definição para o termo é a abertura de capital. Neste caso, os donos da empresa abrem mão de uma parte da empresa para disponibilizá-la aos futuros acionistas.

Para explicar em detalhes essa operação, preparamos esse texto com as principais vantagens e desvantagens do IPO para as empresas e para os investidores que estão interessados.

Como o IPO afeta o mercado?

Como o principal objetivo do IPO é captar recursos para que a empresa realize novos investimentos quitar dívidas ou ajustar as suas contas, o dinheiro que será captado tende a fazer o negócio crescer. Mas com um número maior de sócios que irão dividir os lucros futuros.

Por isso, para quem gosta de investir na Bolsa, é uma excelente oportunidade ter a chance de comprar ações em um momento estratégico das empresas para lucrar com o seu crescimento.


Para saber tudo sobre ações e investir melhor na Bolsa de Valores em 2021, baixe agora o nosso e-book exclusivo e gratuito sobre o assunto! 

e-book-ações-levante


Vantagens do IPO para a empresa

Empresas que fazem suas primeiras ofertas de ações na Bolsa estão em expansão e precisam de mais dinheiro para continuar o ritmo de crescimento. Na grande maioria das vezes, abrir capital é a única forma de bancar a expansão planejada. Por isso, algumas vantagens podem ser listadas:

  • Lucros: é neste momento que os donos conseguem desfrutar do sucesso da empresa, podendo até mesmo ganhar milhões no dia que o IPO é realizado com sucesso.
  • Contratações de peso: o sucesso da empresa pode ajudar a colocá-la como objeto de desejo por profissionais qualificados que podem até mesmo receber ações como forma de pagamento.

Desvantagens do IPO para a empresa

Nem tudo são flores durante esse processo, que pode ser muito longo, caro e desgastante.

  • Burocracias: por ser um processo caro e cheio de detalhes, a empresa precisa contratar um banco de investimentos para ajudar a desvendar as complexidades que todo o processo exige.

O processo todo leva cerca de um ano e custa em torno de R$ 2 milhões em taxas, honorários e demais despesas. A equipe formada para cuidar de tudo conta com banqueiro de investimento, advogados, contadores e especialista da CVM (Comissão de Valores Mobiliários).

  • Donos sem a grana no bolso: o que pode acontecer neste caso é que os investidores iniciais da empresa obriguem os donos a investir todo o dinheiro no negócio, ao invés de retirar parte para uso pessoal. E mesmo que as ações fiquem na mão dos proprietários, eles podem ser obrigados a manter os papeis para sempre.
  • Sem controle: neste caso, os proprietários perderiam o controle de seus negócios.

Vale a pena entrar em um IPO?

Vantagens para os investidores

Quem entra logo na abertura da empresa na Bolsa tem algumas vantagens importantes.

  • Lucro pode ser maior: em muitos casos, o valor inicial oferecido aos primeiros acionistas é baixo. Com isso, as ações se valorizam e quem entrou primeiro, ganha mais do que quem entra em um momento futuro.
  • Maior transparência: ao se tornar pública, a empresa fica na mira das apurações e regulamentações intensas da CVM e dos acionistas, por isso os investidores têm acesso a diversas informações importantes para o negócio.


Desvantagem para os investidores

Por se tratar de um mercado de renda variável onde a empresa ainda nunca foi negociada publicamente, as ações podem sofrer com a volatilidade e a demanda. Por isso, nem todo IPO é um bom negócio.

Preços imprevisíveis: é comum que o valor das ações dispare no dia do IPO, mas caia depois de alguns dias. Então se você não fica confortável com as oscilações que podem ocorrer, ligue o sinal de alerta e pense bem antes de investir.


Para ficar por dentro do universo dos investimentos de maneira prática, clique abaixo e inscreva-se gratuitamente!

e-eu-com-isso


Como investir em IPO na Bolsa de Valores?

Antes de entrar de fato no IPO, primeiro é preciso analisar detalhadamente os balanços e informações que a empresa divulga antes da abertura oficial de capital.

Mas se você não sabe como fazer isso e teme entrar em uma fria, fique tranquilo. Os especialistas da Levante se debruçam sobre todas as informações divulgadas, como no caso dos bancos Inter e BMG em 2018. Com base em uma análise detalhada sobre a empresa, fica mais fácil saber se vale a pena ou não entrar no IPO.

Se a análise apontar que é um bom negócio, você terá de acessar a sua conta na corretora que está participando do IPO. (Ainda não tem conta em corretora? Saiba aqui como abrir). Quando estiver na plataforma da corretora, informe o valor que deseja comprar, de acordo com a faixa de preço estabelecida no processo de bookbuilding.

Feita a reserva, não será mais possível desistir da operação e ainda será preciso pagar um percentual do valor das ações reservadas para garantir a participação no IPO. Após a realização do IPO, as ações serão negociadas no mercado secundário, podendo sofrer oscilações na Bovespa.

Depois de ler esse texto, temos certeza que você já sabe bem o que é e como funciona o IPO. Por isso, esteja atento a todos os detalhes que apresentamos antes de investir de fato na abertura de capital da empresa. Assim, será possível aumentar a sua lucratividade na Bolsa de Valores.

O conteúdo foi útil para você? Compartilhe!

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Recomendado para você

Levante Ideias - E-Commerce
E eu com isso

Infracommerce adquire concorrente

A Infracommerce (IFCM3), companhia integrada de soluções para o e-commerce desde a gestão das operações online até o fluxo logístico, anunciou um acordo final para

Read More »
Levante Ideias - Banco Central
E eu com isso

O BC dará a tônica da semana

A última semana do terceiro trimestre de 2021 será pautada pelas declarações do Banco Central (BC). Além do Relatório Focus divulgado nesta segunda-feira (27), na

Read More »
Senado - Levante Investimentos
E eu com isso

Relator critica pressão

Designado para ser relator da Reforma Tributária que trata de mudanças no Imposto de Renda (IR), o senador Angelo Coronel (PSD-BA) afirmou que não tem

Read More »

Ajudamos você a investir melhor, de forma simples​

Inscreva-se para receber as principais notícias do mercado financeiro pela manhã.