Levante Ideias - Vivara

Vivara (VIVA3): Resultados do 4T20 e de 2020

Na noite desta quarta-feira (17), a Vivara apresentou seus resultados do 4T20 e do consolidado do ano de 2020, após o fechamento de mercado.

A companhia se manteve como um dos varejistas do setor de moda mais resilientes em termos de resultado no ano de 2020, com o setor sendo um dos mais afetados pela pandemia.

Os dados operacionais vieram fortes no período e no ano como um todo, se levarmos em consideração os efeitos negativos da pandemia. As vendas em lojas físicas, mesmo com restrições de circulação, apresentaram crescimento de cerca de 2,2 por cento no 4T20 na comparação anual.

No trimestre, o indicador Vendas em Mesmas Lojas (SSS – Same Store Sales) apresentou crescimento de 11,3 por cento, com geração de caixa operacional de 63 milhões de reais positivos no trimestre. No ano consolidado o SSS caiu 12,2 por cento, puxado pelo segundo trimestre (2T20), período de pico do isolamento no ano passado, porém a geração de caixa operacional foi de 239 milhões de reais no consolidado de 2020, muito superior ao ano de 2019, no qual a companhia consumiu 3,11 milhões de reais em caixa operacional.

A companhia apresentou forte desempenho no seu comércio eletrônico, com crescimento de 159 por cento na comparação anual, o que elevou a participação do canal digital nas vendas totais para 18,1 por cento (8,4 por cento no 1T20).

Os principais destaques financeiros ficam com o crescimento de receita líquida no 4T20 de 13,2 por cento alcançando 461 milhões de reais, com recorde de vendas totais em um trimestre. No ano de 2020 a companhia faturou 1,047 bilhão de reais, uma redução de 10,61 por cento na comparação anual.

A margem bruta se manteve em patamares elevados de 69 por cento no trimestre, 3,4 pontos percentuais abaixo do 4T19, porém acima do nível consolidado do ano de 2019 e 2020 (68,1 e 68,5 por cento respectivamente).

O Ebitda Ajustado (métrica para a geração de caixa operacional) apresentou crescimento de 15,6 por cento e melhora de margem em 0,6 pontos percentuais em relação ao 4T19, alcançando 29,8 por cento no trimestre e 137,4 milhões de reais. No ano, o Ebitda ajustado ficou em 216,3 milhões de reais, uma queda de 20,5 por cento em relação ao ano de 2019.

O lucro líquido ajustado no 4T20 veio abaixo do resultado do 4T19 ficando em 93,2 milhões de reais, porém há efeitos de contabilização de tributos relativos ao exercício anterior. No ano o lucro líquido contábil ficou em 146,6 milhões de reais, queda de 32,4 por cento em relação a 2019.

E Eu Com Isso?

Apesar do cenário adverso, com preços de metais preciosos crescentes (ouro e prata), câmbio em patamares elevados e demanda mais fraca, a companhia foi capaz de gerar caixa livre em todos os trimestres, além de apresentar melhoras de margens operacionais, crescimento de receita e aumento da participação dos canais digitais nas vendas neste 4T20.

Esperamos uma reação positiva no preço das ações no curto prazo (VIVA3) devido ao bom resultado, com melhoria de margens neste trimestre com a companhia provando que é rentável mesmo em cenário de dificuldades. As ações da Vivara acumulam queda de 19,7 por cento em 2021, comparado ao recuo de 2 por cento do Ibovespa.

As vendas digitais seguiram crescendo 3 dígitos na comparação anual (+191,2 por cento em 2020) atingindo 309,4 milhões de reais no ano, fruto da rápida adaptação da operação e realocação de investimentos para o e-commerce, com o sucesso do “Projeto Joias em Ação”, com vendedores realizando as vendas de maneira personalizada via aplicativos de mensagens e entrega de produtos via drive-thru, entre outras medidas de aproximação do cliente via meio digital.

A iniciativa possui um ticket médio e margens melhores que as vendas tradicionais, com participação de 67 por cento da categoria de joias, em comparação com outros meios como loja física e website que contam com cerca de 41 por cento de joias no mix.

A redução forte de despesas e ganho de eficiência nas fábricas (custos de produção), além da versatilidade no uso de seus estoques (metais e pedras preciosas) com a integração de mais de 50 lojas no sistema de gestão, a companhia foi capaz de absorver a alta forte de custo de insumos no trimestre (cerca de 31 por cento na comparação anual) e manter a margem bruta em patamares altos e saudáveis. Mesmo com o evento de Black Friday no fim do ano, que visa aumentar o volume de vendas via promoções em detrimento de uma parte da margem bruta, a companhia seguiu com sua rentabilidade intacta.

A Vivara encontra-se com posição confortável de caixa líquido em torno de 311 milhões de reais, proveniente dos recursos da abertura de capital, porém a disciplina no uso de caixa, eficiência nos investimentos e da operação, permitiram a companhia gerar caixa líquido no período. A companhia segue com plano de retomada mais forte de abertura de lojas em 2021, com projeção de abertura de 40 a 50 lojas ao longo do ano.

Este conteúdo faz parte da nossa Newsletter ‘E Eu Com Isso’.

Para ficar por dentro do universo dos investimentos de maneira prática, clique abaixo e inscreva-se gratuitamente!

e-eu-com-isso

Leia mais sobre a empresa: Vivara: Resultados do 3T20.

O conteúdo foi útil para você? Compartilhe!

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Recomendado para você

Política sem Aspas, por Felipe Berenguer
Política Sem Aspas

Qual Terceira Via? | Política sem Aspas

Expressão largamente utilizada nos noticiários e na política brasileira, especialmente nesta última década, a “Terceira Via” foi consagrada a partir de teoria elaborada por um

Read More »
Levante Ideias - Câmara dos Deputados
E eu com isso

Rumo ao plenário

Na esteira do que antecipamos nesta quinta-feira (23), a comissão especial da Câmara dos Deputados aprovou a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) 32/2020, que

Read More »

Ajudamos você a investir melhor, de forma simples​

Inscreva-se para receber as principais notícias do mercado financeiro pela manhã.