Levante Ideias - Senado

Sucessão no Senado

Com a surpresa envolvendo a impossibilidade de Davi Alcolumbre (DEM-AP) se reeleger para a Presidência do Senado Federal após decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), a disputa para o comando da Casa está totalmente em aberto.

Imediatamente após a decisão inesperada, senadores já se movimentaram para estabelecer novos nomes para a disputa, demarcando posições importantes no tabuleiro de xadrez político. Alcolumbre, por exemplo, já sinalizou que vai trabalhar para eleger um senador independente do Planalto – o atual presidente teria entendido que o fato de o governo federal lavar as mãos em relação à carta, redigida pelo PP, que criticava a possibilidade de reeleição seria motivo para distanciamento político.

Na lista de nomes, já estão Antônio Anastasia (PSD-MG), Simone Tebet (MDB-MS), Eduardo Braga (MDB-AM) e, correndo por fora, Tasso Jereissati (PSDB-CE) e Eduardo Gomes (MDB-TO). O nome de Anastasia é o que mais agrada Alcolumbre neste momento, por conta da independência do senador em relação ao governo, por sua identificação com pautas liberais e pelo tamanho da bancada do PSD na Casa. Simone Tebet vem logo em seguida pelos mesmos motivos – a senadora e atual presidente da CCJ já avisou aliados que vai colocar seu nome à disposição para a disputa.

E Eu Com Isso?

A reeleição de Alcolumbre era dada como certa. O atual presidente já teria cerca de 55 a 60 votos favoráveis e o Supremo tendia a não barrar a reeleição. Diante da reviravolta, a dinâmica para o comando do Senado Federal deve ficar parecida com a da Câmara dos Deputados: o governo vai apoiar um nome e o atual presidente da Casa vai apoiar outro, e esse será o principal embate político.

O apoio de Alcolumbre deve ficar mesmo entre Anastasia ou Simone Tebet, devido à força dos seus respectivos partidos no Senado. Com as mesmas características da Câmara, a disputa do Senado será acompanhada de perto pelos investidores e não deve, independentemente do resultado, significar um revés para a agenda econômica, uma vez que ambos os lados não demonstram restrições quanto às reformas e outras pautas liberais. As eleições do Legislativo tendem a ser o principal driver político de dezembro e janeiro, junto com o Orçamento de 2021.

Este conteúdo faz parte da nossa Newsletter ‘E Eu Com Isso’.

Para ficar por dentro do universo dos investimentos de maneira prática, clique abaixo e inscreva-se gratuitamente!

e-eu-com-isso

Leia também:  Reviravolta no STF.

O conteúdo foi útil para você? Compartilhe!

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Recomendado para você

Levante Ideias - Banco Central
E eu com isso

O Copom endurece o jogo

O Banco Central (BC) divulgou, nesta terça-feira (22), a Ata da reunião de número 239 do Copom (Comitê de Política Monetária), realizada nos dias 15

Read More »
Levante Ideias - Dinheiro
E eu com isso

Tributação de dividendos

O ministério da Economia bateu o martelo sobre a proposta de tributação de dividendos, a ser enviada dentro das alterações no sistema tributário de renda,

Read More »
Levante Ideias - Google
E eu com isso

Google investigado na Europa

A Comissão Europeia abriu mais uma investigação antitruste para avaliar se o Google (GOOG) violou as regras de concorrência da União Europeia ao favorecer seus

Read More »

Ajudamos você a investir melhor, de forma simples​

Inscreva-se para receber as principais notícias do mercado financeiro pela manhã.

Fechar Menu

Fechar Painel