Levante Ideias - Via Varejo

Resultado da Via Varejo (VVAR3) do 1T21

A Via (VVAR3) divulgou seus resultados do 1T21 na noite desta quarta-feira (12), após o fechamento de mercado, seu primeiro resultado após a mudança do nome da companhia anteriormente conhecida como Via Varejo. O resultado veio forte e acima das expectativas em termos de receita líquida e Ebitda.

O e-commerce continuou forte, com expansão de 123 por cento no trimestre em relação ao 1T20 em termos de Valor Geral de Vendas (GMV), alcançando 48,4 por cento das vendas totais da companhia, atingindo 5,0 bilhões de reais. Resultado impulsionado pelo crescimento de vendedores em seu marketplace, de 10 mil no 4T20 para 24 mil neste trimestre, e de SKUs (produtos) que aumentou para 24 milhões em relação a 7 milhões no trimestre anterior. Se considerarmos as compras digitais com retirada na loja, o total digital representou 55,9 por cento das vendas.

Já as vendas de lojas físicas foram impactadas pelos efeitos da pandemia e apresentaram queda na comparação anual de 9,6 por cento, atingindo 5,3 bilhões de reais.

Com isso, as vendas totais (GMV) resultaram em 10,3 bilhões de reais, um crescimento de 27 por cento na comparação anual, já a receita líquida apresentou um crescimento de 19,1 por cento em relação ao mesmo trimestre do ano anterior, atingindo 7,5 bilhões de reais;

Houve melhora na margem bruta na comparação anual de 30,7 por cento para 31,4 por cento no primeiro trimestre de 2021, apesar do aumento da participação das vendas online, que em geral pioram esta linha, resultado de melhores negociações comerciais e benefícios fiscais. A margem bruta foi beneficiada por créditos fiscais no trimestre.

Por outro lado, a Via Varejo apresentou Ebitda ajustado (métrica de geração de caixa operacional) de 576 milhões de reais, uma queda de 6,1 por cento e uma contração de margem de 2,1 pontos percentuais em relação ao 1T20, atingindo 7,7 por cento. A piora no resultado se deve ao fechamento parcial das lojas físicas devido a restrições relacionadas com a pandemia e maiores gastos com publicidade para sustentar o crescimento do e-commerce.

Já o lucro líquido atingiu 180 milhões de reais, porém influenciado por incentivos fiscais, o lucro líquido comparável com o 1T20 ficou em 63 milhões de reais, representando um crescimento anual de mais de 384 por cento.

E Eu Com Isso?

Acreditamos que no trimestre passado a companhia havia solidificado seu turnaround financeiro, neste trimestre acreditamos que a companhia deve começar a colher frutos de virada estratégica. Acreditamos que os resultados acima das expectativas devem ter impacto positivo no preço das ações da Via (VVAR3) no curto prazo.

A companhia deixou claro em sua divulgação de resultado a mudança na estratégia ocorrida junto com a mudança de seu nome, colocando o cliente como foco. A Via Varejo divulgou o NPS (medida de satisfação do cliente) aumentando de 67 no 1T20 para 74 pontos no último trimestre e também evidenciou a melhora na avaliação de seus aplicativos.

A Via Varejo obteve crescimento de vendas acima do mercado pelo sexto trimestre consecutivo, resultando em ganhos de participação de mercado. A participação das vendas online da companhia partiu de 7,8 por cento no 3T19 para atingir 14,2 por cento no final do 1T21 e 16,7 por cento no dia da divulgação do resultado.

Soluções financeiras foi um destaque do resultado, mesmo considerando o fechamento das lojas, a carteira de crediário da Via teve alta de 30 por cento na comparação anual, atingindo 4,6 bilhões de reais no trimestre. Os valores transacionados pelo BanQi também seguem em alta, atingindo 520 milhões de reais, 2,5 vezes o volume visto no final do ano passado.

A estratégia de melhoria logística também vem gerando resultados interessantes, com a empresa alcançando 100 por cento dos municípios brasileiros na entrega, além da maior participação da modalidade de Entrega no Mesmo Dia (SDD – Same Day Delivery), com a empresa informando que cerca de 15 por cento das vendas foram completadas com esta modalidade no 1T21. Além disso, 42 por cento das entregas foram realizadas em um prazo de 24 horas e 65 por cento em 48 horas.

Apesar do bom resultado, ficamos atentos ao consumo de caixa da companhia que atingiu 2,0 bilhões de reais no trimestre, se mantendo com uma posição de caixa ainda confortável, com caixa líquido de mais de 1,6 bilhões de reais (considerando os recebíveis de cartão de crédito), porém levantando questões quanto à sustentabilidade do crescimento acelerado da companhia.

Enquanto isso, enxergamos seu principal competidor, o Magazine Luiza (MGLU3), que irá reportar seu resultado na noite de quinta (13), sendo capaz de manter um forte ritmo de crescimento nos últimos trimestre sem queimar caixa.

Para a Via Varejo (VVAR3), o principal catalisador é a continuidade do crescimento visto neste trimestre, provando que a companhia está correndo atrás de se consolidar no e-commerce utilizando a força de suas marcas, algo que será evidenciado conforme as divulgações de resultado da companhia.

Este conteúdo faz parte da nossa Newsletter ‘E Eu Com Isso’.

Para ficar por dentro do universo dos investimentos de maneira prática, clique abaixo e inscreva-se gratuitamente!

e-eu-com-isso

Leia mais sobre a empresa: Via Varejo (VVAR3): Resultado do 4T20.

O conteúdo foi útil para você? Compartilhe!

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Recomendado para você

Política sem Aspas, por Felipe Berenguer
Política Sem Aspas

Qual Terceira Via? | Política sem Aspas

Expressão largamente utilizada nos noticiários e na política brasileira, especialmente nesta última década, a “Terceira Via” foi consagrada a partir de teoria elaborada por um

Read More »
Levante Ideias - Câmara dos Deputados
E eu com isso

Rumo ao plenário

Na esteira do que antecipamos nesta quinta-feira (23), a comissão especial da Câmara dos Deputados aprovou a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) 32/2020, que

Read More »

Ajudamos você a investir melhor, de forma simples​

Inscreva-se para receber as principais notícias do mercado financeiro pela manhã.