Levante Ideias - Dinheiro

Reajuste para servidores

Na contramão do que foi acordado com o ministério da Economia e de olho nas eleições de 2022, o presidente Bolsonaro pediu ao ministro Paulo Guedes um estudo para reajustar o salário de servidores públicos no ano que vem, corrigindo em cerca de 5% a remuneração da categoria.

Segundo cálculos preliminares, a iniciativa custaria aos cofres públicos cerca de R$ 15 bilhões e teria que ser remanejada de outra área, uma vez que o alto percentual de despesas obrigatórias no Orçamento e o teto de gastos tornam o espaço para novos dispêndios muito limitado.

Sendo assim, está sendo cogitado retirar o valor das dotações previstas para investimentos ou até mesmo da reformulação do Bolsa Família.

Segundo o secretário do Tesouro, Jeferson Bittencourt, mesmo com a inflação mais alta nesta metade do ano – impulsionando o reajuste do teto de gastos de 2022 para cima – a expectativa é que o espaço orçamentário fique próximo dos R$ 25 bilhões.

É um montante relevante, mas não dispensa, ao cabo, a equipe econômica e o governo de ter de escolher

Bolsonaro não gostaria de somar três anos seguidos sem reajustar os salários do funcionalismo público, ainda mais que parte significativa da categoria – as forças de segurança, por exemplo – compõe sua base eleitoral.

No ano passado e neste ano, em função de ajustes fiscais aprovados em contrapartida aos gastos com a pandemia, os reajustes estão suspensos.

A partir de 2022, porém, estão liberadas eventuais mudanças na remuneração de servidores, desde que o reajuste escalonado tenha escopo limitado – ou seja, não pode entrar no mandato seguinte de qualquer governante.

E Eu Com Isso?

Tendo em vista o plano de reeleição de Bolsonaro, é bastante provável que o reajuste seja dado a uma série de categorias.

A medida, infelizmente, vai de encontro aos esforços para segurar gastos com o funcionalismo público – já considerados altos no Brasil – e à reforma administrativa.

O que deve preocupar o mercado, mais adiante, é a pressão por aumento de gastos em outras áreas do governo, colocando em risco âncoras essenciais para a manutenção das perspectivas minimamente positivas sobre o quadro fiscal do País.

Em outras palavras, há um risco de não abrir mão do chamado “pacote de bondades” completo – por exemplo, do reajuste salarial e da reformulação do Bolsa Família, colocando em risco o orçamento de 2022.

A notícia é levemente negativa para os mercados.

Este conteúdo faz parte da nossa Newsletter ‘E Eu Com Isso’.

e-eu-com-isso

Leia também: Em banho-maria | Política sem Aspas.

O conteúdo foi útil para você? Compartilhe!

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Recomendado para você

Levante Ideias - NFT
E eu com isso

Os NFTs são a arte do lucro

NFT parece ser a sigla de um título público. Algo como Notas Financeiras do Tesouro. Nada disso. NFT é a abreviatura de Non-Fungible Tokens, ou

Read More »
Levante Ideias - Dinheiro
E eu com isso

PEC dos precatórios

Nesta quinta-feira (16), a CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara dos Deputados votou e aprovou, por 32 votos a 26, a PEC (Proposta

Read More »

Ajudamos você a investir melhor, de forma simples​

Inscreva-se para receber as principais notícias do mercado financeiro pela manhã.