Levante Ideias - Correios

Privatização dos Correios

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), afirmou nesta quinta-feira (24) que pretende votar a privatização dos Correios no plenário da Casa antes do recesso parlamentar, marcado para o dia 17 de julho.

Segundo o cronograma do deputado alagoano, o parecer do relator, deputado Gil Cutrim (Republicanos-MA), deve estar pronto nos próximos dias e será entregue na próxima reunião de líderes, marcada para a quinta-feira que vem (1º de julho).

A partir daí, deputados poderão fazer críticas e efetuar mudanças ao texto original nos 15 dias até a véspera do recesso, quando Lira gostaria de colocar a matéria em votação.

Não foram divulgados muitos detalhes sobre o Projeto de Lei, mas o presidente da Casa afirmou que haverá um cuidado para que a companhia que ganhar a licitação cumpra a obrigação de levar os Correios para áreas de difícil acesso no Brasil.

O PL chega para romper com o monopólio da estatal de serviços postais em cinco anos e permitir que o governo torne os Correios uma empresa de economia mista, para, assim, poder vender sua participação majoritária no futuro.

A proposta não tramitará em comissão especial, uma vez que foi aprovado regime de urgência para o tema, o que permite que ele seja votado diretamente no Plenário.

Houve algumas discussões específicas em comissões permanentes, mas Lira retirou o projeto destes colegiados para manter a estratégia do Planalto – de deixar o projeto com o máximo de sigilo possível, a fim de não antecipar eventuais reações contrárias à sua aprovação.

E Eu Com Isso?

Após a aprovação da Medida Provisória 1.031/21, que tratou da desestatização da Eletrobras (ELET3/ELET6), o mercado renovou suas esperanças sobre o processo de privatização dos Correios.

Ciente disso, o presidente da Câmara tem acenado com a possibilidade de votação célere, mas as chances reais de aprovação da proposta antes do recesso são bastante remotas.

Inclusive, por se tratar de um PL – e não uma MP, que tem prazo para expirar – a própria privatização dos Correios terá um caminho bastante tortuoso e pode não prosperar no Congresso Nacional.

Vamos aguardar a entrega do parecer, uma vez que parece cedo para sentir a temperatura de deputados e senadores sobre a possibilidade de privatizar a companhia de serviços postais, mas uma coisa é praticamente certa: assim como no caso da Eletrobras, a desestatização dos Correios terá um custo alto para o governo, para a própria empresa e, potencialmente, até para o contribuinte.

A notícia é levemente positiva para os mercados.

Este conteúdo faz parte da nossa Newsletter ‘E Eu Com Isso’.

e-eu-com-isso

Leia também: Reforma eleitoral.

O conteúdo foi útil para você? Compartilhe!

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Recomendado para você

Levante Ideias - Federal Reserve
E eu com isso

O Fed e a China

A terça-feira (27) começa com os mercados sob forte expectativa do que vai ocorrer nas principais economias. Há pontos que demandam atenção nos Estados Unidos,

Read More »
Levante Ideias - Dinheiro
E eu com isso

Veto ao fundão

O presidente Bolsonaro confirmou, nesta segunda-feira (26), que deve vetar o montante de R$ 5,7 bilhões destinados ao Fundo Especial de Financiamento de Campanhas (mais

Read More »

Ajudamos você a investir melhor, de forma simples​

Inscreva-se para receber as principais notícias do mercado financeiro pela manhã.

Fechar Menu

Fechar Painel