imagem-conteudo-tivit

E Eu Com Isso? – 23/11/18

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

IPOs devem ficar só para 2019

A empresa de tecnologia Tivit e o banco mineiro BMG, que pretendiam abrir capital na Bolsa (IPO) na primeira quinzena do mês de dezembro, devem adiar a listagem somente para o ano de 2019.

E Eu Com Isso?

A notícia não é boa para o mercado, visto que a postergação ocorre devido ao momento mais complicado dos mercados internacionais (muitos investidores estrangeiros participam das operações) e também sobre um forte questionamento dos preços pedidos pelo mercado. Os IPOs desse final de ano iriam funcionar como um termômetro para as próximas operações de 2019. O próximo ano será muito movimentado e esperamos mais de 30 operações para o próximo ano, com ótimas oportunidades.

Em 2018, só ocorreram três IPOs no mercado brasileiro, e todos antes do mês de abril. A volatilidade e a incerteza com as eleições fizeram com que novas operações não ocorressem.

O adiamento da Tivit já é certo, visto que a companhia está em busca de Investidor Âncora para dar suporte na operação já para o mês de janeiro. Já no caso do BMG, as suspeitas de que a operação não ocorre neste ano crescem a cada dia. O principal questionamento do mercado ficou com os preços pedidos por ambas empresas.

 

Gostou do conteúdo? Aproveite para receber diretamente na sua caixa de e-mails, de segunda a sexta, as notícias e opiniões que impactam os seus investimentos. É super fácil: se você se cadastrar neste link, a partir do próximo dia útil já vai passar a receber os conteúdos 😉

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Recomendado para você

Petrobras: STF decidirá sobre refinarias

Nesta quarta-feira (30) recomeça o processo de julgamento e votação dos ministros do Supremo Tribunal Federal a respeito da legalidade do processo de venda da

Risco fiscal e aumento da dívida pública

Na coluna de hoje, vou falar sobre a deterioração das contas públicas do Governo Federal, o aumento do déficit público, a consequente alta nas taxas

Fechar Menu
Fechar Painel