Levante Ideias - Petróleo Petrobrás Plataforma

E Eu Com Isso? – 06/11/18

Petrobras (PETR3 e PETR4) – resultado do terceiro trimestre de 2018

Logo antes da abertura dos mercados de hoje, a Petrobras divulgou os números do terceiro trimestre. O resultado da companhia foi bom e com melhora nas margens, principalmente em função da cotação mais alta do petróleo e do dólar no trimestre.

A receita líquida e o Ebitda vieram dentro do esperado. No entanto, o lucro líquido de 6,6 bilhões de reais foi impactado por item não recorrente (class action).

E Eu Com Isso?

Esperamos impacto positivo no preço das ações (PETR3 e PETR4) no curto prazo.

A receita líquida totalizou 98,3 bilhões de reais no trimestre, alta de 16 por cento em relação ao segundo trimestre e de 37 por cento em relação ao mesmo período de 2017.

Já o Ebitda ajustado totalizou 29,86 bilhões de reais, aumento de 57 por cento em relação ao mesmo período de 2017, a margem melhorou de 27 por cento em 2017 para 30 por cento no trimestre atual.

Na última linha, o lucro líquido somou 6,6 bilhões de reais no trimestre e 23,7 bilhões nos noves primeiros meses de 2018. A expectativa de lucro líquido do mercado era de 9,636 bilhões de reais no trimestre.

O resultado foi impactado negativamente pelos acordos para encerramento das investigações das autoridades norte-americanas (DOJ e SEC) no valor de 3,5 bilhões de reais. Sem considerar este evento não recorrente, o lucro líquido no trimestre teria sido de 10,3 bilhões de reais.

A Petrobras continuou gerando caixa (8,1 bilhões de reais no trimestre) e reduziu o seu nível de alavancagem financeira, com relação dívida líquida/Ebitda caindo de 3,67 vezes em dezembro de 2017 para 2,96 vezes em setembro de 2018. A geração de caixa foi impulsionada pelos seguintes recebimentos: 1,7 bilhão de reais recuperados pela operação Lava Jato e 1,6 bilhão de reais referentes a segunda fase do programa de subvenção do diesel.

Já o endividamento líquido da Petrobras era de 72,9 bilhões de dólares em setembro de 2018, queda de 14 por cento em relação a dezembro de 2017. A venda de ativos pode contribuir para a queda do endividamento ainda em 2018 (ex: Pasadena e TAG).

Acreditamos que a Petrobras deverá alcançar a meta de nível de endividamento: relação dívida líquida/Ebitda de 2,5 vezes no final de 2018.

Destacamos que a cessão onerosa do pré-sal e a possível de venda de participação nas refinarias deve ficar para o próximo presidente eleito, somente em 2019.

 

Gostou do conteúdo? Aproveite para receber diretamente na sua caixa de e-mails, de segunda a sexta, as notícias e opiniões que impactam os seus investimentos. É super fácil: se você se cadastrar neste link, a partir do próximo dia útil já vai passar a receber os conteúdos 😉

O conteúdo foi útil para você? Compartilhe!

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Recomendado para você

Política sem Aspas, por Felipe Berenguer
Política Sem Aspas

Recesso, pero no mucho…

Existe, no imaginário popular, uma ideia fixa que procura associar o recesso parlamentar à inatividade de políticos de Brasília. De fato, os corredores do Congresso

Read More »
Levante Ideias - Inflação
E eu com isso

Inflação supera expectativas

A sexta-feira começa com a divulgação do IPCA-15 (Índice de Preços ao Consumidor Amplo – 15) de 0,72% em julho, levemente abaixo do 0,83% de

Read More »

Ajudamos você a investir melhor, de forma simples​

Inscreva-se para receber as principais notícias do mercado financeiro pela manhã.

Fechar Menu
Fechar Painel