braskem

Braskem à venda

Na sexta-feira (07), após o fechamento de mercado, a Braskem (BRKM5) comunicou em fato relevante que recebeu a comunicação de sua controladora Odebrecht de que iria retomar o processo de venda de 100 por cento de sua participação na companhia.

A decisão vem pouco depois da homologação do plano de recuperação judicial da Odebrecht, que inclui a venda da Braskem no documento. A companhia contratou a Morgan Stanley para assessorar no processo para encontrar investidores interessados, porém não descarta a venda em bolsa, de modo a encontrar o melhor meio para prover melhor liquidez para a venda e valorização dos ativos da Braskem.

A Odebrecht possui atualmente 50,1 por cento do capital votante e 38,1 por cento do capital total da petroquímica, com a Petrobrás possuindo outra fatia do controle com 47 por cento do capital votante e 36,1 por cento do capital total.

A Braskem faz parte do plano de desinvestimento da Petrobras desde antes da atual gestão, porém a venda de sua fatia estava condicionada à estatal entrar em acordo com a Odebrecht para a realização da venda conjunta. Desse modo, poderiam unificar as ações da Braskem com a entrada no Novo Mercado, dando maior liquidez e valorização, facilitando a saída de ambos da companhia. É importante lembrar que a Odebrecht vinha dificultando a migração para o Novo Mercado antes.

Em 2020, as ações da Braskem (BRKM5) recuam 21,6 por cento ante queda de 11,1 por cento do Ibovespa. A desvalorização acontece devido ao cenário desafiador para o setor de atuação da companhia e as incertezas graças ao incidente em Alagoas.

A notícia é positiva tanto para a Braskem, que tem a possibilidade de melhora da governança e consequentemente destravando valor para a empresa, quanto para a Petrobrás que retoma a possibilidade de mais um desinvestimento bilionário, dando continuidade a seu processo de venda de ativos.

Atualmente a Braskem possui valor de mercado de cerca de R$ 18,6 bilhões, bem abaixo do patamar de R$ 48 bilhões no período de negociações com a holandesa LyondellBasell em 2018/2019 e a empresa encontra-se em situação financeira delicada com receitas decrescentes diante da pandemia e relação Dívida Líquida/Ebitda chegando a 7,11x.

Independentemente do processo, em nossa visão, tanto a venda privada quanto a venda em bolsa da Braskem estão condicionadas primeiramente à melhora de sua governança corporativa (unificação de ações), demandada pela atual gestão da Petrobrás. Além disso é necessário que os bancos que têm as ações da Braskem como garantia de dívidas da Odebrecht aprovem a transação.

* Este conteúdo faz parte do nosso boletim diário: ‘E Eu Com Isso?’. Todos os dias, o time de analistas da Levante prepara as notícias e análises que impactam seus investimentos. Clique aqui para receber informações sobre o mercado financeiro em primeira mão.

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Ajudamos você a investir melhor, de forma simples​

Inscreva-se para receber as principais notícias do mercado financeiro pela manhã.

Recomendado para você

tipos de ações da bolsa de valores
Artigos

Empresas preparam IPOs

Nas últimas semanas, o número de prospectos de IPO protocolados na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) aumentou em quase dez, com as companhias “aspirantes” ao

Read More »
Artigos

Resultados da WEG

A Weg (WEGE3) apresentou nesta quarta-feira (21), antes da abertura dos mercados, os seus resultados referentes ao 3T20. Os números vieram bons e acima das

Read More »
Artigos

Resultados do 2T20 da CVC

A CVC (CVCB3) apresentou nesta segunda-feira (20), após o fechamento do mercado e com atraso, seus resultados do segundo trimestre de 2020. Como era de

Read More »
Política Sem Aspas

O desafio do teto – parte I

No Comentário de nº 9 da Instituição Fiscal Independente, “Considerações sobre o teto de gastos da União”, Felipe Salto, Daniel Couri e Josué Pellegrini recortam

Read More »
Fechar Menu

Fechar Painel