ser-educacional eeci

Aquisição do Ser Educacional

O Grupo Ser Educacional (SEER3), um dos maiores grupos de educação superior do país anunciou na noite de domingo (13), em fato relevante, que avançou nas negociações para aquisição dos ativos do Grupo Laureate no Brasil.

A transação, avaliada em cerca de 4 bilhões de reais, sendo: 1,7 bilhões em dinheiro, incorporação de 623,3 milhões de dívida líquida no balanço (não representa saída de caixa) e o restante via ações da Ser Educacional (SEER3), com emissão de novas ações. Devido a emissão o controlador e fundador da empresa, Janguiê Diniz, será diluído de 57,4 por cento para 32,1 por cento, com a Laureate detendo 44 por cento das ações ordinárias.

A aquisição inclui as universidades Anhembi Morumbi, conhecida pela boa avaliação em cursos como gastronomia, medicina e desenvolvimento de jogos eletrônicos, e a FMU, duas universidades entre as mais populares de São Paulo, marcando a possível entrada forte da Ser Educacional na região com a maior economia no país. O movimento ainda necessita de aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) para seguir.

Para a conclusão da aquisição a Ser Educacional deve financiar a parcela do pagamento em dinheiro, aumentando a sua alavancagem financeira (captando dívida) de 0,2 vezes para cerca de 2,95 vezes dívida líquida/Ebitda.

Estimamos que múltiplo pago em termos de EV/Ebitda ficou por volta de 10 vezes, um pouco acima do que a empresa negociava no ano passado, antes da pandemia e quase o dobro do negociado hoje. A aquisição mais que dobrará o tamanho da empresa, passando a ter mais de 455 mil alunos em sua base.

Com a pandemia as ações da Ser Educacional (SEER3) acumulam queda de 46,5 por cento no ano e a empresa vale atualmente aproximadamente 1,9 bilhão de reais na bolsa.

Apesar do tamanho da transação e múltiplos elevados, enxergamos uma reação positiva das ações (SEER3) no curto prazo, pelos seguintes motivos:

i) A Ser possui uma estrutura mais enxuta que os pares de capital aberto no mercado, com posição forte e base crescente de alunos no Ensino à Distância (EAD);

ii) Os ativos incluem cursos como Medicina, com ticket médio mais elevado, fortes nas duas principais universidades dentro dos ativos da Laureate, Anhembi Morumbi e FMU, ampliando a base de alunos na categoria de Saúde, que já representa 52 por cento da base da Ser;

iii) A entrada em São Paulo, o maior mercado educacional do país, que deve ter uma recuperação econômica mais acelerada que outras regiões;

iv) O Ebitda, uma métrica para a geração de caixa da empresa, também mais que dobrará, passando de aproximadamente 300 a 350 milhões de reais para cerca de 800 milhões de reais por ano.

Um ponto importante e positivo da transação é que, mesmo com o Grupo Laureate detendo cerca de 44 por cento do total das ações, o contrato prevê que o poder de voto será limitado a 7,5 por cento do capital total, com a continuidade do controle do fundador Janguiê Diniz. O negócio prevê também uma listagem da Ser na bolsa americana, ainda a ser definida, de modo que a Laureate possa negociar gradualmente e desinvestir da Ser Educacional.

* Este conteúdo faz parte do nosso boletim diário: ‘E Eu Com Isso?’. Todos os dias, o time de analistas da Levante prepara as notícias e análises que impactam seus investimentos. Clique aqui para receber informações sobre o mercado financeiro em primeira mão.

 

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Ajudamos você a investir melhor, de forma simples​

Inscreva-se para receber as principais notícias do mercado financeiro pela manhã.

Recomendado para você

E eu com isso

Resultados do segundo turno

Os resultados do segundo turno das eleições municipais vieram em linha com o esperado. Conforme previmos, Bruno Covas (PSDB) venceu em São Paulo, Eduardo Paes

Read More »
E eu com isso

O brilho de novembro

O mês de novembro está se encerrando como o melhor de 2020 até agora. Até a sexta-feira (27), o Ibovespa havia subido 17,7 por cento,

Read More »
Fechar Menu

Fechar Painel