facebook eeci

Acordo do Facebook

Nesta terça-feira (23), o Facebook (FB) e os reguladores australianos entraram em um acordo a respeito do pagamento pelas notícias vinculadas nas plataformas da companhia. Assim, o Facebook terá caminho para negociar diretamente com as editoras/empresas de notícias ou seus conglomerados, evitando o pagamento obrigatório que seria imposto pelo governo australiano.

O Facebook chegou a bloquear a postagem e o compartilhamento de notícias através de suas plataformas digitais no dia 18, o que, segundo estimativa dos editores, reduziu em 20 por cento o tráfego de leitores de fora da Austrália. O fato também gerou duras críticas do primeiro-ministro australiano, que chamou a medida de “desnecessária e autoritária”.

E Eu Com Isso?

Após a notícia, as ações do Facebook (FB) reagiram bem e fecharam a sessão da terça-feira (23) em alta. Nas próximas sessões, acreditamos que o desempenho das ações será impactado pelo formato das leis que vêm sendo debatidas no Senado australiano.

A discussão a respeito deste assunto é complexa e envolve diversas diretrizes. A mais discutida recentemente foi polêmica envolvendo o bloqueio do compartilhamento imposto pelo Facebook na última semana – o que foi visto como uma espécie de ataque à livre imprensa e um corte ao acesso à informação no país.

Sob outra perspectiva, a pergunta que os reguladores vêm fazendo no mundo todo é se as big techs (e em especial o Google e o Facebook) não adquiriram um poder de influência forte demais capaz de impactar alguns pilares da sociedade.

No caso australiano, parece haver uma preocupação também com o mercado de publicidade local, que segue com uma fatia muito menor que o Google e o Facebook detém no território. A regulação, prevendo que estas empresas sejam obrigadas a pagar pelas notícias, ameniza a crise para as empresas tradicionais de mídia e o jornalismo “old school”.

Vemos esta questão extrapolando para outras regiões e países muito em breve. O caso na Austrália deve puxar a fila e servir como prerrogativa. As companhias terão que lidar com esta previa no sapato nos próximos anos.

A despeito disso, os seus resultados ainda estão bem longe de serem impactos de maneira relevante com tais medidas, muito embora uma maior percepção de risco possa afetar o desempenho de suas ações após novos litígios.

Este conteúdo faz parte da nossa Newsletter ‘E Eu Com Isso’.

Para ficar por dentro do universo dos investimentos de maneira prática, clique abaixo e inscreva-se gratuitamente!

e-eu-com-isso

Leia mais: Liderança da Apple.

 

O conteúdo foi útil para você? Compartilhe!

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Recomendado para você

Levante Ideias - Congresso Nacional
E eu com isso

Não olhe para Brasília

Agosto, mês de desgosto. Esse velho ditado indica que os prognósticos para o oitavo mês do ano não são dos melhores. Há várias explicações para

Read More »
Levante Ideias - Congresso Nacional
E eu com isso

Terreno perigoso

Após o diagnóstico sobre a cifra elevada de pagamento de precatórios no Orçamento de 2022, os dois principais articuladores do governo (Ciro Nogueira, do PP

Read More »
Levante Ideias - Petróleo
E eu com isso

Resultados da BP do 2T21

A gigante do petróleo BP (BP) apresentou nesta segunda-feira (2), após o fechamento dos mercados, seus resultados do 2T21. Os números vieram fortes, bem acima

Read More »

Ajudamos você a investir melhor, de forma simples​

Inscreva-se para receber as principais notícias do mercado financeiro pela manhã.