Levante Ideias - Domingo de Valor

Fórmulas mágicas

Na coluna de hoje irei falar sobre o modelo CAPM (Capital Asset Pricing Model) e o famoso custo médio ponderado de capital (WACC). O modelo CAPM é muito utilizado em finanças para avaliação do preço justo de empresas na bolsa de valores. Eu já falei sobre preço justo e hoje irei explicar a ciência financeira e as fórmulas mágicas por trás do cálculo da taxa de desconto.

O modelo CAPM descreve a relação entre o risco sistemático e o retorno esperado dos ativos. A ideia central do modelo é que o investidor seja recompensado de duas formas: valor do dinheiro no tempo e risco.

A fórmula mágica do CAPM que descreve o retorno esperado para um dado nível de risco é a seguinte:

Retorno esperado = retorno livre de risco (Rf) + beta da ação (b) x (retorno esperado do mercado Rm – taxa livre de risco Rf).

Re = Rf + beta x (Rm-Rf)

A primeira parte da equação representa o efeito do dinheiro no tempo e é representado pela taxa livre de risco ou custo de oportunidade. No Brasil utiliza-se a taxa de juros (Selic) como referência. Nesse caso pode ser a taxa futura de juros (DI) no seu vencimento mais líquido.

Já na segunda parte entra o nível de risco ao se investir numa empresa (ação). A diferença entre o retorno esperado do mercado e a taxa livre de risco é o chamado prêmio de risco de mercado. O excesso de retorno de mercado sobre a taxa livre de risco é multiplicado pelo beta.

Eu também já escrevi sobre o betaO beta é uma medida de risco sistemático de uma ação ou carteira de ativos em comparação com um índice de referência (Ibovespa). Em outras palavras, é uma correlação estatística entre o comportamento de uma determinada ação e o comportamento de um índice de referência num determinado período.

O modelo CAPM prevê que o retorno esperado ao se investir numa ação é igual ao retorno da taxa livre de risco acrescido do prêmio de risco (Rm-Rf). Se o retorno esperado não for igual ou maior ao retorno requerido, então o investimento não vale a pena ser feito.

Na linguagem popular, não vale a pena tomar mais risco se o retorno não for mais alto. Na média, o prêmio de risco requerido para se investir em ações é de pelo menos 5% ao ano nos países desenvolvidos.

Atualmente, a taxa de juros (Selic) está em 6,5% ao ano, mas a curva longa está inclinada e a taxa de juros aumenta quando o prazo é maior. Como a taxa é livre de risco, prefiro utilizar a taxa futura (DI) com pelo menos 5 anos de prazo. As taxas com vencimento em 2023 e 2025 estão em 11% e 12% ao ano, respectivamente.

Vamos assumir a taxa de juros livre de risco em 12% ao ano aqui no Brasil.

Agora, irei ao cálculo do retorno esperado propriamente:

Retorno esperado = 12% + beta x prêmio de mercado

Assumindo um beta de 1,2x (uma ação com mais risco) e prêmio de mercado em 5% ao ano, temos o resultado:

12% +1,2 x 5% = 18% ao ano

Esse seria o retorno esperado para o investimento numa ação de mais risco, como exemplo a Rumo Logística (RAIL3).

O modelo CAPM é muito utilizado para calcular o custo de capital próprio, que é a taxa de retorno requerida pelo investidor para colocar recursos numa empresa e/ou projeto.

A taxa de desconto para calcular o preço justo de uma empresa na Bolsa de Valores é o custo médio ponderado de capital (WACC). Assim, calcula-se o valor presente líquido dos fluxos de caixa para a empresa (DCF) ao utilizar o WACC.

A fórmula do WACC é bem simples:

WACC = Ke x E/V + Kd x (1-T) x D/V

WACC = custo da dívida (kd) x (1-imposto de renda) x D/V

Ke = custo do capital próprio

Kd = custo da dívida

E = patrimônio líquido da empresa

D = endividamento bruto da empresa

V = E + D = capitalização total da empresa (PL + dívida)

E/V = participação do capital próprio no capital total da empresa

D/V = participação do endividamento no capital total da empresa

T = Imposto de renda (geralmente é 34% por cento)

Para finalizar, irei calcular o WACC da mesma empresa: Rumo Logística.

As premissas são as seguintes: estrutura de capital (40% dívida/60% capital próprio), custo do capital próprio calculado acima (18%) e o custo de dívida é 8% ao ano (antes dos impostos), 2 pontos percentuais acima da taxa de juros Selic.

Fazendo o cálculo do WACC:

WACC = 18% x 60% + 8% x (1-34%) x 40% = 12,9% ao ano.

Essa é a taxa a ser utilizada para descontar o fluxo de caixa para a firma (DCF) para se calcular o valor justo da Rumo.

Minha missão é te ajudar a entender mais sobre Value Investinge análise fundamentalista de empresas. Por isso, continue acompanhando a minha coluna e não esqueça: se você ficou com alguma dúvida sobre as fórmulas mágicas das finanças, é só mandar um e-mail para o endereço eduardo.guimaraes@levante.com.br.

Conte comigo e até breve!

Um grande abraço,
Eduardo Guimarães

O conteúdo foi útil para você? Compartilhe!

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Recomendado para você

Levante Ideias - Congresso Nacional
E eu com isso

Não olhe para Brasília

Agosto, mês de desgosto. Esse velho ditado indica que os prognósticos para o oitavo mês do ano não são dos melhores. Há várias explicações para

Read More »
Levante Ideias - Congresso Nacional
E eu com isso

Terreno perigoso

Após o diagnóstico sobre a cifra elevada de pagamento de precatórios no Orçamento de 2022, os dois principais articuladores do governo (Ciro Nogueira, do PP

Read More »
Levante Ideias - Petróleo
E eu com isso

Resultados da BP do 2T21

A gigante do petróleo BP (BP) apresentou nesta segunda-feira (2), após o fechamento dos mercados, seus resultados do 2T21. Os números vieram fortes, bem acima

Read More »

Ajudamos você a investir melhor, de forma simples​

Inscreva-se para receber as principais notícias do mercado financeiro pela manhã.