A Levante traz as melhores ideias de investimento

E Eu Com Isso? Semanal (de 26 a 30 de novembro)

Compartilhe

Semana de expectativas e notícias positivas

A semana começou com os mercados animados com o acordo referente à saída do Reino Unido da União Europeia, mas, na terça (27), o clima foi mais de cautela com relação a um possível acordo entre EUA e China na reunião do G20. A segunda acabou sendo bem negativa para os mercados, principalmente para o dólar, que superou os R$ 3,93 e teve a maior alta diária desde o caso da JBS. Isso fez com que o Banco Central atuasse aqui no Brasil. Por outro lado, uma fala de Eduardo Bolsonaro deixou os mercados apreensivos. O filho do presidente eleito disse que há risco de a tão esperada Reforma da Previdência não sair.

Por outro lado, na quarta-feira (28) Jerome Powell indicou que o Fed deverá subir menos a taxa de juros do que a sua própria projeção anterior, o que permite que a economia do país continue a crescer. Mais importante do que para os EUA é o que tal indicação representa para o resto do mundo, principalmente para os países emergentes (como o Brasil), que ganha destaque como opção de investimento. Aqui no Brasil, a notícia negativa do dia foi o adiamento da Cessão Onerosa (que está mais para ‘demorosa’), o que desanimou o mercado.

Na quinta-feira (29), tivemos a renovação de recorde histórico do Ibovespa. A Bolsa fechou cotada muito perto dos 90 mil pontos, a maior cotação da sua história.

Outra notícia positiva foi a divulgação na manhã desta sexta (30) do PIB brasileiro no terceiro trimestre que mostrou crescimento de 0,8 por cento, dentro do esperado por nós. Isso mostra que a economia segue em crescente recuperação e deve fechar o ano com crescimento de 1,5 por cento no ano de 2018.

O momento mais aguardado da semana pelos mercados é a reunião do G20, que terá seu dia mais importante neste sábado (1). O encontro das principais economias do mundo tem como expectativa o desenrolar da Guerra Comercial entre EUA e China e até mesmo um possível acordo entre os países.

E Eu Com Isso?

A semana lá fora foi movida por muita cautela e tensão, principalmente por conta das expectativas quanto à reunião do G20 na Argentina. Por aqui, os mercados se animaram com as notícias locais e o Ibovespa acabou tendo uma semana de recuperação e alta no índice.

 

Temer sanciona reajuste de ministros do STF

O atual presidente da República, Michel Temer, sancionou na segunda-feira (26) o reajuste para ministros do Supremo Tribunal Federal, considerado o teto do serviço público. O reajuste para o STF foi aprovado no Senado no dia 7 de novembro e foi para a sanção ou veto de Temer, que deveria ocorrer até a próxima quarta-feira (28). Os salários passam de R$ 33 mil para R$ 39 mil. A preocupação, porém, é com o “efeito cascata” gerado nas outras carreiras do funcionalismo público. O reajuste foi pautado e aprovado na Câmara no início do governo Temer. Lá atrás, o emedebista negociou com o ministro Luiz Fux a revogação do auxílio-moradia para juízes como medida compensatória à aprovação.

E Eu Com Isso?

A pauta havia sido deixada de lado no Senado, somente voltando no fim de 2018 e surpreendendo o novo governo Bolsonaro após as eleições, por ser um aumento de gastos públicos – na contramão das diretrizes do governo ainda não empossado. O ministro Fux garantiu que os juízes não receberão cumulativamente o reajuste dos salários e o auxílio moradia. No entanto, não se sabe se haverá prejuízo fiscal e qual será seu tamanho exato com o reajuste. Como reação ao reajuste, a comissão especial da Câmara dos Deputados que analisa o fim dos “penduricalhos” marcou a votação do projeto de lei para a tarde desta terça (27).


Lava Jato prende governador do Rio

Agentes da Polícia Federal bateram na porta do Palácio Laranjeiras na manhã desta quinta-feira com um mandado de prisão para o governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão. A ordem é de uma nova fase da Operação Lava Jato que investiga o esquema de “propinolândia” armado pelo ex-governador Sérgio Cabral, que utilizava indicações no Detran como moeda de troca. No total, a operação resultou em ao menos nove mandados de prisão na manhã de hoje,

E Eu Com Isso?

Após três semanas da prisão de dez deputados estaduais acusados de corrupção, a PF e procuradores da República continuam investigando mais a fundo o esquema de ilicitudes montado no Rio de Janeiro. O secretário de obras do Rio, José Iran, e operadores financeiros ligados ao governador também foram alvos de prisão. Suspeita-se que Pezão recebeu de 2007 a 2014 uma valor mensal de R$ 150 mil, fora bônus e décimo terceiro.

Petrobras (PETR3 e PETR4) – dados de produção e derrota bilionária

A Petrobras divulgou a produção média de petróleo em outubro. No mês, a produção foi de 2,7 milhões de barris por dia. O número representa um aumento de 8 por cento em relação ao mês anterior.

O fato de a estatal ter perdido ontem um processo bilionário contra a Receita Federal, referente a pagamento de 7 bilhões de reais em impostos, é negativo. A decisão ainda não é definitiva, e a Petrobras entrará com um recurso nos órgãos superiores.

E Eu Com Isso?

A produção maior no mês de outubro é positiva para a estatal petroleira. Por outro lado, a derrota na questão dos impostos é negativa. No entanto, nada é mais importante e influenciará o preço positivamente das ações do que a Cessão Onerosa, que está prestes a ser aprovada pelo governo.

A meta da companhia para 2018 está bem em linha do que ocorreu no mês de outubro, de 2,7 milhões de barris/dia. A companhia, entretanto, segue atrasada e ainda não divulgou o plano de negócios para os próximos anos, muito em função das mudanças em função da política. O aumento da produção em outubro é explicado principalmente pelo início da operação do Campo de Lula.

A Cessão Onerosa é um dos principais catalisadores do preço das ações da Petrobras no curto prazo, com a entrada de até 30 bilhões de reais no caixa da companhia. O valor irá contribuir para a redução do endividamento líquido da empresa.


Black Friday bom para o varejo eletrônico

As vendas no comércio eletrônico atingiram 3,5 bilhões de reais na Black Friday deste ano (de quinta a domingo), um crescimento de 25 por cento em relação a 2017. O resultado superou a expectativa de crescimento, que era de 15 por cento.

E Eu Com Isso?

A notícia é positiva para ações do varejo eletrônico, como B2W (BTOW3), Carrefour (CRFB3), Magazine Luiza (MGLU3), Pão de Açúcar (PCAR4) e Via Varejo (VVAR3) no curto prazo.

A B2W e Magazine Luiza apresentaram os resultados mais fortes, enquanto Via Varejo ainda apresentou problemas com o seu novo sistema de vendas eletrônicas.

B2W (BTOW3)
O crescimento nas vendas totais no varejo eletrônico (GMV) foi forte, por volta de 50 por cento em relação a 2017. Ao passo que o aplicativo Ame Digital já teve mais de um 1 milhão de downloads, com destaque positivo para o aplicativo da Americanas.com.

Magazine Luiza (MGLU3)
As vendas totais do varejo eletrônico (GMV) deverão crescer 50 por cento em relação a 2017, com excelente execução e estrutura de logística nas entregas – o crescimento mais forte do setor de varejo eletrônico.

Carrefour Brasil (CRFB3)
As vendas apresentam crescimento de 107 por cento na quinta-feira e 110 por cento na sexta-feira em relação ao mesmo período de 2017, com ganho de participação de mercado de 5 por cento.

Pão de Açúcar (PCAR4)
O grupo Pão de Açúcar estima que o crescimento das vendas foi de 10 a 15 por cento em relação ao mesmo período de 2017. O volume de vendas das lojas Extra e Pão de Açúcar foi sete vezes maior que o de uma sexta-feira normal.

Via Varejo (VVAR11)
A Via Varejo deve apresentar desempenho inferior aos seus principais concorrentes no comércio eletrônico pois a empresa ainda está enfrentando problemas com a implantação da sua plataforma digital (Via+).


Cemig (CMIG4) – Venda de participação na Light (LIGT3)

A Cemig anunciou ontem (28) em teleconferência com investidores que ainda pretende vender a sua participação de 49 por cento na Light (LIGT3), mesmo com o recente fracasso na oferta de ações subsequente (follow-on) da Light.

O objetivo da companhia é voltar a negociar com fundos interessados em ancorar a operação. Um dos dos investidores âncoras interessados é a gestora GP Investimentos.

E Eu Com Isso?

Esperamos impacto neutro no preço das ações da Cemig no curto prazo. Por outro lado, o fracasso da oferta de ações da Light teve impacto bastante negativo no preço das ações, com queda de 10 por cento no dia 27 de novembro.

A operação fracassada tinha o objetivo de vender a participação da Cemig na Light. No entanto, não houve um acordo sobre o preço para tal transação. Os investidores âncora não aceitaram pagar o valor pedido pela Cemig.

Para a Cemig, o principal catalisador para as ações no curto prazo fica por conta de uma possível privatização da estatal mineira tão discutida pelo governador eleito, Romeu Zema (Partido Novo).

A oferta de ações da Light é uma verdadeira novela mexicana, pois a empresa possui vários passivos e muita dívida, o que dificulta a precificação da oferta e o interesse dos investidores. A oferta deverá ocorrer apenas em 2019 e será positiva para a Cemig, pois reduzirá o seu elevado nível de endividamento. No caso da Light, será o começo de uma nova empresa, afinal atualmente ninguém está querendo ser sócio da empresa.

CCR (CCRO3) – Acordo de leniência

A CCR anunciou o fechamento de um acordo de leniência com o Ministério Público do Estado de São Paulo com o pagamento de uma multa de 81,5 milhões de reais para encerrar o inquérito que investigava envolvimento da empresa em irregularidades.

E Eu Com Isso?

A notícia é bastante positiva para a CCR, com impacto positivo no preço das ações (CCRO3), que fecharam ontem em forte alta de 11,2 por cento. O valor da multa de 81,5 milhões é bem inferior ao que era esperado.

A CCR e algumas de suas empresas controladas foram envolvidas em irregularidades investigadas pelo Operação Lava Jato no início de 2018.

As ações da CCR chegaram a acumular queda de 50 por cento no decorrer de 2018, pressionadas pelo envolvimento na operação da Polícia Federal e pelo fato do mercado (especialmente investidores estrangeiros) não saber a real gravidade do impacto das investigações na Governança Corporativa da CCR e qual será o impacto nos seus negócios.

A companhia tirou um peso enorme dos seus ombros e agora pode seguir o curso normal em busca de novos ativos para recompor os seus ativos de concessão, especialmente no segmento rodoviário.

XP – Abertura de capital nos EUA

A plataforma de investimentos XP planeja abrir capital na Bolsa americana da Nasdaq. Anteriormente, em 2017, a XP planejava realizar a abertura de capital (IPO) na Bolsa brasileira. No entanto, após a compra de metade da empresa pelo Itaú Unibanco, os planos mudaram e abertura de capital foi cancelada.

E Eu Com Isso?

A notícia da XP vem depois dos casos de sucesso da PagSeguro e da Stone, empresas brasileiras que levantaram valores bilionários na Nasdaq, que é a Bolsa americana com um maior foco em empresas de tecnologia.

Com a operação, a XP deve ser avaliada em 40 e 50 bilhões de reais e planeja agregar outros negócios na estrutura.

Nas últimas semanas, os IPO’s têm sido tema central de muitas novas notícias. No próximo ano, se esperam mais de 30 novas operações na Bolsa brasileiro, um claro reflexo da melhora das perspectivas. Em 2018, só ocorreram três IPOs no mercado brasileiro, todos antes do mês de abril. A volatilidade e a incerteza com as eleições fizeram que novas operações não ocorressem.

A Levante traz as melhores ideias de investimento

Tesouros não escondidos

A venda de títulos públicos para pessoas físicas somou 2,1 bilhões de reais em outubro. Este valor é recorde para o mês desde março de 2017, quando as vendas tinham atingido o maior valor da história para um mês.

E Eu Com Isso?

Pela primeira vez, o volume de investidores ativos ultrapassou 700 mil, atingindo a marca de 724.093 pessoas.

Ainda que seja um número de pessoas baixo quando comparamos ao potencial de investidores, acreditamos que, com tantas facilidades para aplicação, este número deveria ser muito maior.

A Levante traz as melhores ideias de investimento

Câmbio fixo

O Banco Central anunciou ontem uma nova norma para os gastos no cartão de crédito em moeda estrangeira. A partir de 1º de março de 2020, o câmbio será fixado levando em referência a taxa vigente no dia do gasto. A medida visa aumentar a previsibilidade que o consumidor terá no momento da compra, já que ele saberá exatamente qual será o valor em reais que irá desembolsar.

E Eu Com Isso?

Acreditamos que será ótimo para os consumidores contarem com mais transparência na hora da compra, mas, ao mesmo tempo, recomendamos que você fuja do uso de cartão de crédito em moedas estrangeiras devido ao alto peso que o IOF terá em sua conta final.

Compartilhe

Recomendado para você

Presidentes: amados ou odiados?

O fim de ano se aproxima e, com ele, o encerramento de mais um ciclo na história do Brasil e do mundo. No cenário político,

A trilha sonora da sua vida

Final de ano está chegando e o aplicativo de música Spotify já disponibilizou a lista das minhas 100 músicas mais tocadas em 2018. Assim como

Fechar Menu
Fechar Painel