saibaadiferencaentreacoesefundosdeacoes

Saiba a diferença entre ações e fundos de ações

Em tempos de juros baixos, precisamos diversificar nossos investimentos. Muitas vezes, isso significa colocar parte do patrimônio em renda variável. Aí vem a dúvida: é melhor comprar ações diretamente ou investir em fundos de ações?

O primeiro passo é saber quais são as diferenças entre essas duas opções. Quem compra ações diretamente está assumindo a gestão de seus investimentos. Já nos fundos de ações, existe um gestor profissional que toma estas decisões, além de ser um investimento coletivo.

Neste artigo, vamos ver com mais detalhes como funcionam os fundos de ações e a compra direta delas. Acompanhe!

O que são fundos de ações?

Os fundos de ações são um tipo de fundo de investimento, ou seja, seguem o mesmo princípio dos demais fundos: é um investimento coletivo, funcionando como uma espécie de condomínio. As pessoas interessadas compram cotas de um fundo, e o dinheiro por elas aplicado fica sob a decisão de um gestor, o qual decide como aplicá-lo.

Para isso, o gestor precisa seguir tanto as regras aplicadas para a categoria do fundo sobre sua gestão, de acordo com o determinado pela Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais), quanto o que está estipulado nos regulamentos do próprio fundo.

Nos fundos de ações, a Anbima determina que pelo menos 67% da carteira do fundo deve estar alocada em ativos de renda variável, como ações e ativos correlatos, como os BDRs (Brazilian Depositary Receipts), que são recibos de ações de empresas estrangeiras negociadas na bolsa brasileira.


Para saber tudo sobre ações e tornar-se um grande investidor na Bolsa de Valores, baixe agora o nosso e-book gratuito sobre o tema.

Não perca tempo! Clique no botão abaixo para ter acesso ao conteúdo.

e-book-ações-levante


Tipos de fundos de ações

A Anbima também classifica os fundos de ações conforme o tipo de gestão ou levando em consideração determinadas características. São eles:

  • indexados, que têm como objetivo replicar as variações de um determinado índice, como o Ibovespa;
  • ativos, que buscam superar o desempenho de um índice específico, como o Ibovespa, ou que não fazem referência a nenhum índice.

Nessa segunda categoria entram, por exemplo, fundos setoriais, de dividendos, de small caps, de sustentabilidade ou, até mesmo, fundos livres, que não têm obrigação de se concentrar em uma estratégia específica.

Tributação

Os fundos de ações sofrem incidência de IR com alíquota de 15% sobre os rendimentos. A cobrança se dá de duas formas. A primeira é pelo chamado come-cotas, que ocorre no último dia de maio e de novembro, e incide sobre os rendimentos dos últimos seis meses do fundo. A segunda é no momento do resgate, quando é cobrada a diferença.

Custos para investir

Como em todos os fundos de investimento, é cobrada uma taxa de administração, que remunera o trabalho do gestor. Nos fundos ativos, pode haver também a chamada taxa de performance, que é cobrada apenas quando o desempenho do fundo supera o do índice de referência. Assim, é um “prêmio” ao gestor por ter conquistado um retorno superior.

Prazo de resgate

O prazo de resgate varia de acordo com o fundo. É comum que o prazo para o dinheiro cair na conta após a solicitação de resgate seja longo, de 30 dias úteis, por exemplo. Isso varia de acordo com o fundo. Por isso, verifique antes de aplicar para evitar surpresas.

Quais são as vantagens e desvantagens de aplicar em fundos de ações?

Podemos citar duas grandes vantagens de optar pelos fundos de ações:

  • você conta com um gestor profissional, especializado nisso, para tomar as decisões de investimento;
  • você investe em uma cesta de ações com apenas uma única cota, o que você não conseguiria fazer com o mesmo valor comprando ações diretamente.

Entre as possíveis desvantagens, é preciso observar muito bem os custos, uma vez que as altas taxas de administração podem corroer boa parte dos rendimentos. Além disso, o investidor não tem a menor ingerência sobre os rumos dos investimentos, de forma que, se o gestor tomar decisões erradas, não há nada que se possa fazer.

Como funciona a compra direta de ações?

Nesse caso, o próprio investidor é quem escolhe em quais ações investir e qual o melhor momento para comprar e vendê-las. Ou seja, ele tem um papel muito mais ativo, o que requer conhecimento e tempo disponível para acompanhar a evolução da carteira. Para isso, é preciso abrir uma conta em uma corretora de valores e fazer suas operações por meio dela.

Tributação

Para quem vender ações no valor total de até R$20 mil dentro do mesmo mês, não há incidência de Imposto de Renda. Acima desse valor, o ganho de capital é tributado em 15%. Nos casos de day trade, em que o papel é comprado e vendido no mesmo dia, a alíquota do IR sobe para 20%.

Veja que falamos de ganho de capital, ou seja, caso você tenha prejuízo com a operação, não pagará IR. Ademais, poderá usar o prejuízo para compensar ganhos futuros. O próprio investidor é responsável pelo pagamento do tributo. Por isso, lembre-se: ao fim de cada mês, se tiver impostos a pagar, deve gerar a Darf e pagá-la no banco.

A corretora desconta, também, o chamado “dedo duro”, que corresponde a 0,005% do valor bruto da venda, apenas para que a Receita Federal seja informada de que você realizou um negócio na bolsa. Esse valor pode ser descontado quando o investidor fizer o pagamento mensal do IR.

Custos para investir

O único custo que existe para qualquer um que compre ações são os emolumentos, taxa cobrada pela bolsa correspondente a 0,031605% do valor da operação.

Fora isso, cada corretora de valores trabalha com um sistema próprio de taxas. Algumas cobram um valor mensal de taxa de custódia, outras praticam uma taxa de corretagem, que pode ser um valor fixo ou um percentual do volume negociado. Existem também as que cobram as duas e outras que não têm nenhuma taxa. O único jeito de saber é pesquisando.

Prazo de resgate

Quando você vende uma ação, o prazo de liquidação, ou seja, o tempo que o dinheiro leva para cair na sua conta, é de dois dias úteis.

Quais as vantagens e desvantagens de comprar ações diretamente?

A principal vantagem de comprar ações diretamente é que você tem todo o poder de decisão sobre o investimento. Além disso, dependendo da corretora de valores que você escolher, pode sair muito mais barato do que aplicar em um fundo de ações. Por fim, a isenção de IR para vendas de até R$20 mil no mês pode ser uma grande vantagem.

Por outro lado, é preciso saber que você sempre terá que acompanhar o investimento e será responsável não apenas pelos lucros obtidos, mas também pelas perdas.

Se você quer começar a investir em fundos de ações, procure uma corretora de valores de confiança e abra sua conta. Hoje em dia, este processo é bem simples e totalmente online. Depois disso, transfira seu dinheiro para a conta da corretora, escolha as ações e compre-as pelo site ou app da própria corretora.

E então, gostou de saber quais são as diferenças entre fundos de ações e ações? Aproveite para disseminar o conhecimento entre seus amigos e compartilhe este texto em suas redes sociais!

—— ——

Para ficar por dentro do universo dos investimentos de maneira prática, clique abaixo e inscreva-se gratuitamente!

e-eu-com-isso

—— ——

Leia também: Conheça os 4 principais tipos de Fundo de Investimento

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Ajudamos você a investir melhor, de forma simples​

Inscreva-se para receber as principais notícias do mercado financeiro pela manhã.

Recomendado para você

E eu com isso

Posto Ipiranga

Expressão consagrada pelo presidente Bolsonaro para delegar as decisões econômicas para seu ministro, o “Posto Ipiranga” serviu de apelido para Paulo Guedes, lhe dando credibilidade

Read More »
Fechar Menu
Fechar Painel