Levante Ideias - Cielo

Resultados da Cielo (CIEL3) do 4T21

Na noite da terça-feira (02), a Cielo (CIEL3), maior empresa de adquirência do Brasil em market share, divulgou seus resultados referentes ao quarto trimestre de 2021, após o fechamento do mercado. Assim como foi visto nos últimos trimestres, a tendência de recuperação do crescimento da empresa teve continuidade reforçada nos resultados divulgados. Os destaques positivos foram novamente a Cateno e o controle de despesas.

O volume total das transações no 4T21 apresentou um aumento em relação ao ano passado, somando R$ 208 bilhões, volume 9,3% maior do que no último trimestre de 2020. Com isso, o ano de 2021 teve um acréscimo de 10,8% no faturamento total, quando comparado com o ano de 2020, tendo sido superior nominalmente em todos os trimestres.

Por sua vez, o mix de transações capturadas de cartões de crédito, modalidade com maior margem bruta, aumentou 4,2 pontos percentuais em comparação com o 4T21, chegando a 58,6% do volume total de faturamento, equivalente a 7,7% de aumento relativo.

A base ativa de clientes, seguindo o padrão utilizado de no mínimo uma transação nos últimos 90 dias, encerrou o ano em 1,2 milhão de clientes, algo que representou uma queda de 14,2% em relação ao fechamento do ano anterior. A tendência de queda de base já era esperada pela diminuição de novos credenciamentos. Tal fator está atrelado a estratégia para aumento de eficiência financeira da empresa, através de instrumentos como a redução de subsídios para novos terminais no modelo de venda, despriorizando crescimento de base atrelado a baixa rentabilidade individual.

A receita operacional líquida foi de R$ 3,14 bilhões no quarto trimestre, o que representou um aumento de 3,9% quando comparado ao último trimestre de 2020 e 4,4% comparada ao semestre anterior. A empresa conseguiu controlar bem suas despesas, o que resultou em um número em linha com o 4T20.

Em relação à Cateno, subsidiária da Cielo voltada para a gestão de cartões, observou-se uma alta na receita operacional líquida de 19,7% comparada ao quarto trimestre de 2020 e 11,3% em relação ao trimestre anterior. Esse número se traduziu em R$ 227,1 milhões de lucro líquido, recorde histórico da empresa, o que foi 6,1% maior que o quarto trimestre de 2020 e 24,1% maior que o semestre anterior. Vale ressaltar que a Cielo possui 70% de participação na joint venture.

Já o lucro líquido do trimestre fechou em R$ 337 milhões, representando uma alta de 13% em relação ao quarto trimestre de 2020 e de 59% contra o semestre anterior. Excluindo os efeitos não recorrentes, o lucro líquido veio em linha.

E Eu Com Isso?

Os números apresentados pela Cielo foram em linha com o que esperávamos, a companhia continua se esforçando em melhorar seu mix de produtos e clientes e reforçar seus controles de custos que tem surtido efeito.

Apesar disso, a empresa continua tendo desafios na expansão de suas receitas, com crescimento menor do que a indústria e apresentando mais um trimestre de queda em seu revenue yield (receita extraída por volume transacionado). Com isso, esperamos impacto neutro nos preços das ações no curto prazo.

Este conteúdo faz parte da nossa Newsletter ‘E Eu Com Isso’.

e-eu-com-isso

Leia também: Resultados da Cielo (CIEL3) do 3T21.

O conteúdo foi útil para você? Compartilhe!

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Recomendado para você

Ajudamos você a investir melhor, de forma simples​

Inscreva-se para receber as principais notícias do mercado financeiro pela manhã.