Levante Ideias - Federal Reserve

Redução de estímulos ganha força no Fed

Em reação à divulgação da Ata do Fed, no dia de ontem, os mercados sofreram reversão e apresentaram realização, encerrando em terreno negativo.

Indícios mais evidentes e conversas mais abertas no Board sobre o início das reduções das compras líquidas por parte da Autoridade Monetária destravaram o fluxo vendedor na NASDAQ e na NYSE.

Vale dizer que a redução das compras líquidas deverá, conforme especificado em Ata, ser muito gradual e amplamente comunicada: trata-se de uma expansão do Balanço a ritmos mais moderados, não de uma redução do estoque de títulos públicos ou hipotecários, que hoje orbitam no entorno respectivo de 5,3 trilhões e de 2,4 trilhões.

O balanço do Fed soma 8,2 trilhões atualmente, ante 4,2 trilhões antes da pandemia. As reações à Ata traduzidas na curva, no entanto, não somente foram tímidas como também não se manifestaram de acordo com o que se poderia esperar, ou seja, não anteciparam discussões de altas, ainda que tênues, no início do ano de 2023.

A bem da verdade, o Fed, que tem atuado como Market Maker, dando saída a posições nas categorias de ativos que integram seu Balanço e estabilizando os mercados, tem uma difícil tarefa pela frente: a de diminuir sua participação nesses mercados sem causar sobressaltos nos yields.

Nesse sentido, em especial em um momento em que a dívida corporativa segue elevada, o número de zombie companies, cujo resultado operacional não cobre o serviço financeiro, segue crescente e o estoque da dívida pública avançou extraordinariamente no último ano, além, claro, dos efeitos de uma subida de juros sobre o crédito imobiliário e sobre as hipotecas.

Ademais, aale acompanhar de modo detido a discussão sobre subida de juros nos EUA, já que, por ora, o único vetor a contribuir com uma taxa de juros neutra mais disciplinada no horizonte brasileiro parece ser os juros internacionais.

Subindo o juro internacional, aproximado pelas fed funds longas, devemos testemunhar ainda maior avanço da nossa taxa neutra, que hoje possivelmente já se encontra acima de 7,00%.  

Até o momento, a comunicação do Fed tem lhe rendido vantagens sobre a precificação da dívida pública e sobre a estabilização dos mercados.

Na cena doméstica, o mercado brasileiro vem amargando sucessivas realizações nos últimos dias em razão do cenário político incerto, da maior percepção de risco fiscal e do contágio de remexidas internacionais.

Hoje, a Ásia fechou em queda, e o mercado Europeu segue se ajustando à divulgação da Ata.

E Eu Com Isso?

Os mercados iniciam esta quinta-feira em queda nos contratos futuros do índice americano S&P 500 e de queda nos contratos futuros do Ibovespa.

As notícias são negativas para a Bolsa.

Este conteúdo faz parte da nossa Newsletter ‘E Eu Com Isso’.

e-eu-com-isso

Leia também: Ata do FOMC.

O conteúdo foi útil para você? Compartilhe!

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Recomendado para você

Levante Ideias - NFT
E eu com isso

Os NFTs são a arte do lucro

NFT parece ser a sigla de um título público. Algo como Notas Financeiras do Tesouro. Nada disso. NFT é a abreviatura de Non-Fungible Tokens, ou

Read More »
Levante Ideias - Dinheiro
E eu com isso

PEC dos precatórios

Nesta quinta-feira (16), a CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara dos Deputados votou e aprovou, por 32 votos a 26, a PEC (Proposta

Read More »

Ajudamos você a investir melhor, de forma simples​

Inscreva-se para receber as principais notícias do mercado financeiro pela manhã.