Levante Ideias - Petroleo

Queda no petróleo afeta Petrobras (PETR3/PETR4)

O petróleo do tipo Brent, que é referência para a Petrobrás, sofreu mais uma derrocada nos seus preços de negociação no mercado internacional na terça-feira (21). O movimento é uma continuação do ocorrido na segunda-feira, quando os contratos futuros de petróleo do tipo WTI para maio, com vencimento em 21 de abril, chegaram a operar com preços negativos nos Estados Unidos.

Dessa forma, os contratos para o próximo vencimento – endereçados para o mês de junho, fecharam abaixo dos 20 dólares por barril, o que indica um recorde negativo dos últimos 18 anos.

Mesmo com o acordo firmado no dia 12 de abril entre os Estados Unidos e os membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo mais a Rússia (OPEP+), para que fossem realizados cortes no nível de produção vigente, a sua magnitude não parece ter sido suficiente para fazer frente à queda na demanda pela commodity por conta da redução no nível da atividade produtiva global. 

A notícia é negativa para a Petrobras (PETR3/PETR4) e esperamos impacto negativo no preço das suas ações no curto prazo. Na terça-feira, enquanto o mercado local seguia fechado devido ao feriado de Tiradentes, os American Depositary Receipts (ADR) da Petrobras negociados nas bolsas dos Estados Unidos recuaram até 3,5 por cento. Contudo, o melhor humor dos mercados internacionais na manhã desta quarta-feira pode aliviar o desempenho das ações ao longo da sessão.

Após um “alívio” no preço do petróleo com o acordo de cortes na produção no início de abril, a petroleira brasileira se vê novamente pressionada com a desvalorização da commodity. Ao longo de março, ela anunciou diversas medidas para enfrentamento da crise, como a suspensão dos dividendos programados para o ano, redução no nível de produção, captação de empréstimos para melhor gestão do capital de giro e corte dos investimentos (Capex).

Além das perdas para a empresa, pesa também o seu importante papel no lado das contas públicas. Com a queda do seu resultado operacional. o montante pago em royalties e impostos cairá vertiginosamente, reduzindo a arrecadação da união e dos estados.

O principal catalisador das ações da Petrobras no momento é a curva de contágio do coronavírus pelo mundo, posto que é a partir dela que sairão as respectivas medidas de afrouxamento das políticas de isolamento social e a volta gradual da economia, com volta da demanda por combustíveis e petróleo.

* Este conteúdo faz parte do nosso boletim diário: ‘E Eu Com Isso?’. Todos os dias, o time de analistas da Levante prepara as notícias e análises que impactam seus investimentos. Clique aqui para receber informações sobre o mercado financeiro em primeira mão.

Leia também: Petrobras (PETR3/PETR4) – Descoberta de novo óleo no pré-sal

O conteúdo foi útil para você? Compartilhe!

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Recomendado para você

Política sem Aspas, por Felipe Berenguer
Política Sem Aspas

Centro órfão | Política sem Aspas

A depender da abordagem utilizada, o universo da ciência política costuma dialogar fortemente com a ciência econômica, e vice-versa. Temas como análise de instituições e

Read More »
Levante Ideias - Eletrobras
E eu com isso

Medida Provisória aprovada

Foi com um placar apertadíssimo, mas a Medida Provisória 1.031/21, que trata da desestatização da Eletrobras, foi aprovada no Senado Federal. Teve atraso na entrega

Read More »
Levante Ideias - Commodities
E eu com isso

Commodities em alta

A semana se encerra com os investidores refazendo as contas sobre o comportamento dos preços dos ativos físicos, especialmente as commodities. O que está em

Read More »

Ajudamos você a investir melhor, de forma simples​

Inscreva-se para receber as principais notícias do mercado financeiro pela manhã.

Fechar Menu

Fechar Painel