Levante Ideias - Análise dados

Passaporte para os lucros

Home bias. Em tradução livre, viés doméstico. Explicando, é a tendência dos investidores de preferirem ativos de seu país de origem, em vez de diversificar. Esse é um fenômeno global, não limitado aos investimentos, mas mais presente neles. Mesmo nos Estados Unidos, o mais aberto dos mercados de investimentos, o viés doméstico predomina.

Esse fenômeno é ainda mais prevalente no Brasil. A explicação é simples. Além das barreiras “naturais” ao investimento internacional, como a falta de informação sobre os ativos, a barreira da língua e as dificuldades operacionais, investir no Exterior sempre foi desencorajado no Brasil. As razões eram estratégicas. Um país de capitais escassos deveria estimular que eles fossem investidos no desenvolvimento nacional. O que seria justificável para os governantes representou uma tragédia para os investidores. Um dos princípios básicos da gestão de portfólios é a diversificação de risco. E isso vai muito além da divisão renda fixa x renda variável. Diversificar para valer requer colocar dinheiro em países diferentes, tanto emergentes quanto desenvolvidos. A ideia, facilmente comprovada na prática, é que a diacronia entre os ritmos econômicos melhora os ganhos. A desaceleração da economia brasileira pode ser compensada pela velocidade da economia americana (ou chinesa), e vice-versa.

No entanto, esta quinta-feira (22) pode ser considerada o início de uma nova era nesse aspecto. Em setembro, a B3 anunciou o plano de dar acesso aos pequenos investidores também. Na terça-feira (20), ela comunicou que a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) aprovou as últimas mudanças no regulamento da bolsa para permitir as transações. E a partir de hoje começa a valer a autorização da CVM para que os pequenos investidores tenham acesso a um mercado antes restrito aos investidores qualificados, com pelo menos 1 milhão de reais em aplicações financeiras. Agora, todos poderão negociar os Brazilian Depositary Receipts (BDR), recibos de ações de empresas internacionais e os Exchange Traded Funds (ETF) ou fundos de índices internacionais listados na bolsa brasileira.

Além de poder proteger seu patrimônio dos solavancos da economia brasileira por meio da diversificação em outros países e moedas, o pequeno investidor poderá ter acesso a setores ainda pouco representados no mercado doméstico. Por exemplo, as grandes companhias americanas de tecnologia e as promissoras empresas de biotecnologia dedicadas ao desenvolvimento de medicamentos.

A oferta é vasta. Atualmente, estão disponíveis 671 BDR na B3, número superior às cerca de 400 empresas brasileiras listadas, com a vantagem de que é possível investir nesses papéis pagando em reais e sem a necessidade de fazer remessas de recursos para o Exterior, um processo ainda burocrático.

Claro, tanta diversidade pode levar o investidor a ter o comportamento de uma criança em uma loja de brinquedos – querer comprar tudo ao mesmo tempo agora. Evite a tentação. Assim como ocorre com as ações brasileiras, os BDR oferecem os mesmos riscos. As ações das empresas oscilam em Wall Street pelos mesmos motivos que causam solavancos no pregão da B3, e é preciso fazer uma análise criteriosa antes de comprometer seu capital.

INDICADORES – Os pedidos iniciais de seguro-desemprego nos Estados Unidos recuaram significativamente na semana encerrada em 18 de outubro. Segundo o Departamento de Trabalho, nessa semana foram 787 mil pedidos, queda de 55 mil pedidos ante a semana anterior. Foi a primeira vez desde maio que o índice ficou abaixo de 800 mil pedidos.

A sessão começa com uma leve alta dos contratos futuros de Ibovespa. No entanto, não se descarta uma volatilidade durante a sessão, devido às expectativas no mercado internacional. Apesar de cada vez menos provável, um eventual pacote de ajuda econômica nos Estados Unidos continua no radar. Além disso, hoje deve ocorrer o último debate entre Donald Trump e Joe Biden, elevando mais ainda a expectativa.

* Este conteúdo faz parte do nosso boletim diário: ‘E Eu Com Isso?’. Todos os dias, o time de analistas da Levante prepara as notícias e análises que impactam seus investimentos. Clique aqui para receber informações sobre o mercado financeiro em primeira mão.

O conteúdo foi útil para você? Compartilhe!

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Recomendado para você

Levante Ideias - Selic
E eu com isso

A Selic vai subir 1%

Na terça-feira (03) e na quarta-feira (04) haverá mais uma reunião do Copom (Comitê de Política Monetária). Desde a edição passada, em junho, estava mais

Read More »
Levante Ideias - Congresso Nacional
E eu com isso

Sempre o fiscal

A semana começa movimentada no cenário político, com a volta das atividades legislativas e investidores de olho no quadro fiscal de 2022, a ser definido

Read More »
Levante Ideias - Robinhood
E eu com isso

IPO da Robinhood

A Robinhood (HOOD), polêmica corretora americana voltada ao investidor pessoa física, estreou na NASDAQ na última sexta-feira (30), em uma sessão bastante volátil. Após chegar

Read More »
Copel - E Eu Com Isso - Levante
E eu com isso

Copel vai vender Compagas

Dois eventos ocorridos recentemente parecem ter, enfim, destravado o processo de privatização da Compagas, distribuidora de gás canalizado controlada pela Copel (CPLE6), tendo também como

Read More »
Levante Ideias - Papel
E eu com isso

Resultados da Irani (RANI3) do 2T21

A Irani (RANI3), empresa de papel e celulose focada em papel para embalagem, divulgou na última sexta-feira (30) seus resultados referentes ao segundo trimestre deste

Read More »

Ajudamos você a investir melhor, de forma simples​

Inscreva-se para receber as principais notícias do mercado financeiro pela manhã.