Levante Ideias - Bittar EECI

Novo relatório

O senador Márcio Bittar, relator da PEC Emergencial (186/2019), entregou novo parecer da proposta nesta terça-feira (2), abrindo caminho para a votação da medida nesta quarta (3), no plenário do Senado, em primeiro turno. A entrega do relatório foi feita após acordo entre líderes sobre o teor da proposta, que foi mais uma vez desidratada, mas, desta vez, preservou grande parte do esqueleto de ajustes fiscais relevantes.

Segundo o presidente da Casa, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), não há a possibilidade de fatiamento da proposta e não serão criadas novas despesas sem contrapartida. Ao mesmo tempo, o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), anunciou, também nesta terça (3), que chegou a um acordo com a maioria dos deputados para votar a PEC diretamente em plenário, sem a necessidade de tramitação pelas comissões, assim que ela for aprovada no Senado.

Das mudanças efetuadas pelo relator Márcio Bittar, comparando o atual relatório com a versão anterior, destaca-se: i) a retirada da obrigatoriedade de medidas de ajuste das contas públicas, em 2 anos, para estados e municípios; ii) a exclusão do Fies e do Prouni do programa de redução de benefícios fiscais; iii) a queda da vedação que evitava a utilização de emendas individuais no pagamento de pessoal e encargos; iv) a possibilidade de contratação de despesas continuadas durante a calamidade pública, desde que apontada a origem da receita; v) além de, claro, o abandono da desvinculação dos recursos para saúde e educação, ponto polêmico que fez com que a PEC ficasse travada desde a última semana.

Senadores ainda articulam para apresentar uma emenda, e aprová-la com a votação, que retira da contenção de gastos imposta pelo gatilho os benefícios utilizados no combate à pobreza, como o Bolsa Família. A princípio, circulou que o Bolsa Família seria retirado do teto de gastos e ligou alerta da equipe econômica, mas a equipe técnica do senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), autor da emenda, retificou que a mudança diz respeito somente à questão dos gatilhos.

E Eu Com Isso?

Com os ajustes, a PEC finalmente parecer pronta para votação. Senadores devem aprovar a proposta em primeiro turno já nesta quarta (3), analisando o texto em segundo turno na quinta (4) e, com a aprovação, liberando-o para a Câmara. É de interesse de todos que a tramitação seja célere neste momento.

Com o anúncio da nova versão e da rapidez de tramitação prevista na Câmara, o Ibovespa virou na tarde desta terça (3), com investidores revertendo o humor sobre o tema – havia um receio quanto à possibilidade de fatiamento ou de maiores desidratações da PEC. No entanto, é importante notar que a medida, ainda que tenha preservado o esqueleto de gatilhos, só deve ter efeito fiscal no médio e longo prazo. Com a aprovação no Senado nesta quarta (3), o mercado deve seguir reagindo bem ao desfecho da questão.

Este conteúdo faz parte da nossa Newsletter ‘E Eu Com Isso’.

Para ficar por dentro do universo dos investimentos de maneira prática, clique abaixo e inscreva-se gratuitamente!

e-eu-com-isso

Leia mais: Tributar banco é mau negócio.

O conteúdo foi útil para você? Compartilhe!

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Recomendado para você

Levante Ideias - Câmara dos Deputados
E eu com isso

Rumo ao plenário

Na esteira do que antecipamos nesta quinta-feira (23), a comissão especial da Câmara dos Deputados aprovou a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) 32/2020, que

Read More »
Levante Ideias - Bitcoin China
E eu com isso

BC chinês proíbe criptomoedas

A semana está terminando como começou, com notícias da China provocando turbulências no mercado financeiro. A diferença, desta vez, é que a volatilidade está ocorrendo

Read More »

Ajudamos você a investir melhor, de forma simples​

Inscreva-se para receber as principais notícias do mercado financeiro pela manhã.