BB-2-div

Novo comando no BB

Tudo indica que André Brandão, ex-presidente do HSBC e atual head de Global Banking e Markets para as América do banco em Nova York, será o novo presidente do Banco do Brasil (BBAS3). Brandão viria para assumir o lugar de Rubem Novaes, que renunciou ao cargo inesperadamente no dia 24 de julho.

Apesar da escolha ter sido feita pelo Ministro da Economia, Paulo Guedes, e já tenha recebido o aval do Presidente da República, Jair Bolsonaro, o anúncio oficial pode demorar um pouco já que o executivo negocia uma saída amigável do HSBC.

Segundo fontes, dirigentes do Banco do Brasil já foram comunicados informalmente sobre a decisão. Após a formalização da indicação do executivo por Bolsonaro, a decisão será submetida ao comitê de exigibilidade do BB. Em caso de resposta positiva, o governo publica a indicação em Diário Oficial da União (DOU). Depois disso, a instituição financeira comunicará o nome do novo presidente em fato relevante.

A saída de Rubem Novaes pegou o mercado de surpresa. Entretanto, a escolha de André Brandão deve ser bem recebida devido ao alinhamento de ideias com o Ministro Paulo Guedes e com o presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto. Dessa forma, esperamos por um impacto positivo nas ações BBAS3 no curto prazo.

No último dia 24, Novaes entregou pedido de demissão ao presidente Jair Bolsonaro e ao ministro da Economia, Paulo Guedes. Em fato relevante divulgado pelo BB, Novaes justificou seu pedido “entendendo que a companhia precisa de renovação para enfrentar os momentos futuros de muitas inovações no sistema bancário”.

Entendemos que foi justamente essa expectativa de “renovação” que fez os investidores se controlarem nos últimos dias diante de um recuo de apenas 1 por cento nas ações BBAS3 de lá para cá. Pouco diante da inesperada renúncia.

A principal preocupação de Novaes era a instituição não conseguir acompanhar a velocidade das mudanças em curso no mercado bancário, com maior concorrência no setor devido ao surgimento das fintechs, o open banking (sistema de compartilhamento de dados dos clientes) e as novas plataformas e formas de pagamento instantâneo.

O perfil do selecionado está alinhado ao de Campos Neto, e a expectativa é de que ele leve adiante o plano de venda de ativos do banco estatal. Foi justamente sob a gestão de Brandão que o HSBC foi vendido ao Bradesco.

Atualmente o governo federal detém 50 por cento das ações BBAS3 e diversas decisões devem ser submetidas aos seus órgãos de controle, o que encarece e torna o processo decisório mais lento e burocrático.

Os números referentes ao segundo trimestre serão divulgados na próxima quinta-feira, dia 06 de agosto, antes da abertura do mercado. Assim como as ações dos demais grandes bancos, os papéis do BB (BBAS3) acumulam um retorno abaixo do Ibovespa em 2020, com queda de 35,5 por cento ante queda de 11 por cento do índice.

Além da volta da pauta “privatização” via venda de ativos, os principais catalisadores das ações do BB são: nível de rentabilidade (ROE), intensidade da queda do lucro líquido em 2020 e diminuição da distribuição de dividendos em 2020 (apenas 25 por cento do lucro líquido).

* Este conteúdo faz parte do nosso boletim diário: ‘E Eu Com Isso?’. Todos os dias, o time de analistas da Levante prepara as notícias e análises que impactam seus investimentos. Clique aqui para receber informações sobre o mercado financeiro em primeira mão.

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Ajudamos você a investir melhor, de forma simples​

Inscreva-se para receber as principais notícias do mercado financeiro pela manhã.

Recomendado para você

Artigos

Números da Vivo

A Telefônica Brasil (VIVT3/VIVT4) apresentou nesta terça-feira (27), após o fechamento do mercado, o seu resultado do 3T20 e que, na nossa avaliação, foi regular

Read More »
Artigos

BTG compra corretora Necton

Na onda de consolidação do mercado em busca de capturar o número crescente de CPFs na bolsa, o BTG Pactual fechou a aquisição da Necton

Read More »
Política Sem Aspas

O desafio do teto – parte II

Na primeira parte dessa dupla de textos, concentrei-me em elencar e dissertar acerca das principais regras fiscais em voga hoje no Brasil. Naquela ocasião, deixei

Read More »
Artigos

Política acima de tudo!

O mercado vive uma certa trégua em relação à volatilidade mais acentuada de algumas semanas atrás. Discussões importantes foram adiadas para depois das eleições. Quem

Read More »
Fechar Menu

Fechar Painel