irbr3

IRB Brasil Re (IRBR3) – Demissão de contador e negação de insolvência

Na última quinta (21), a empresa de resseguros IRB Brasil Re (IRBR3) demitiu o contador Paulo Daniel Araújo da Rocha, diretor de controladoria da resseguradora. De acordo com a mídia, a demissão por justa causa foi devido a alegação de “fraude em contratos”. O IRB ainda não se pronunciou oficialmente sobre o caso.

Além da demissão de seu contador, na última semana, o IRB se reuniu com clientes para esclarecer que, apesar de estar sendo alvo de uma fiscalização especial da reguladora Susep, não tem problemas de solvência e seguirá cumprindo seus contratos.

O IRB argumenta que tem condições de resolver o problema transformando ativos que hoje não são elegíveis para as provisões em ativos elegíveis. Um exemplo seria vender uma participação imobiliária e transformar os recursos numa aplicação financeira. 

Somado a isso, no dia 4 de maio, a empresa já havia anunciado que adiou a divulgação do resultado do primeiro trimestre de 2020 para 18 de junho.

A saga negativa do IRB continua: renúncia de membros do Conselho de Administração, fiscalização da Susep devido à falta de garantias técnicas na operação, saída de mais um responsável por “assinar” as demonstrações financeiras e contábeis do IRB e postergação da divulgação do resultado do primeiro trimestre de 2020.

No momento atual, a visibilidade sobre o balanço do IRB Brasil (IRBR3) é muito baixa, pois o resultado do primeiro trimestre será divulgado apenas em 18 de junho. 

As ações da empresa (IRBR3) acumulam queda de por 81,6 cento em 2020, comparado à queda de 29 por cento do Ibovespa no mesmo período.

Em nossa visão, a empresa deveria realizar uma teleconferência antes dessa data a fim de dar uma satisfação muito necessária ao mercado em relação às notícias acima. Até lá, novos capítulos negativos vão surgindo, o que mantém nossa perspectiva negativa com o papel no curto prazo.

Em fevereiro, a insuficiência de provisões técnicas que motivou a fiscalização agora em maio era de 300 milhões de reais. Esse valor, conforme a apresentação feita à clientes pelo IRB, é a diferença entre a necessidade de provisões de 9,8 bilhões e os 9,5 bilhões em ativos elegíveis para constituí-las.

A relação entre os ativos que a empresa tem e que são elegíveis para as provisões e a necessidade de provisões técnicas precisa ser superior a 100 por cento. No IRB, ela estava perto de 98 por cento em fevereiro.

Esse percentual se deteriorou nos meses seguintes, uma vez que o IRB alega que o indicador foi prejudicado pela desvalorização cambial, que se acentuou em março e abril. Foi esse aumento de desenquadramento que levou à fiscalização da Susep recentemente. 

No final de abril, Bradesco e Itaú pediram para deixar o Conselho de Administração e, na semana passada, Thaís Peters também renunciou. Ela foi eleita para o cargo em 19 de setembro de 2019 para ser suplente de Pedro Duarte Guimarães, que deixou a companhia em março quando era o presidente interino do conselho.

Em resumo, apenas nas últimas semanas, a empresa adiou a divulgação de resultados, perdeu membros do conselho, sofreu fiscalização da Susep e registrou a saída do contador. Isso sem considerar o fato gerador apontado pela gestora Squadra em fevereiro sobre a existência de indícios que apontavam para lucros recorrentes “significativamente inferiores” aos lucros contábeis reportados pela companhia.

Por último, as más notícias sobre o IRB parecem não ter fim e as incertezas sobre as demonstrações financeiras da companhia crescem a cada dia no mercado, com falta de transparência da companhia sobre os assuntos discutidos acima.

* Este conteúdo faz parte do nosso boletim diário: ‘E Eu Com Isso?’. Todos os dias, o time de analistas da Levante prepara as notícias e análises que impactam seus investimentos. Clique aqui para receber informações sobre o mercado financeiro em primeira mão.

Leia também: IRB: destruição de valor parte 2

O conteúdo foi útil para você? Compartilhe!

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Recomendado para você

Levante Ideias - Eletrobras
E eu com isso

Medida Provisória aprovada

Foi com um placar apertadíssimo, mas a Medida Provisória 1.031/21, que trata da desestatização da Eletrobras, foi aprovada no Senado Federal. Teve atraso na entrega

Read More »
Levante Ideias - Commodities
E eu com isso

Commodities em alta

A semana se encerra com os investidores refazendo as contas sobre o comportamento dos preços dos ativos físicos, especialmente as commodities. O que está em

Read More »
Levante Ideias - Eletrobras
E eu com isso

Senado aprova MP da Eletrobras

Nesta quinta-feira (17), foi aprovada no Senado a medida provisória (MP) 1.031, que viabiliza a privatização da Eletrobras (ELET3/ELET6). A votação foi apertada, tendo 42

Read More »
Levante Ideias - JBS
E eu com isso

JBS faz aquisição na Europa

Na tarde desta quinta-feira (16), após o fechamento de mercado, a JBS (JBSS3), maior produtora de proteína animal e alimentos processados do mundo, anunciou em

Read More »

Ajudamos você a investir melhor, de forma simples​

Inscreva-se para receber as principais notícias do mercado financeiro pela manhã.

Fechar Menu

Fechar Painel