Levante Ideias - Como funcionam e mais rendem

Infraestrutura em baixa

Ainda na fase de transição com o governo Temer, o governo Bolsonaro fixou como meta de mandato investir, no mínimo, 250 bilhões de reais em infraestrutura por ano. Com mais da metade da atual legislatura já completa, a realidade é que esse saldo deve ficar longe da meta.

Segundo levantamento divulgado, os investimentos totais (públicos e privados) em infraestrutura tem rondado a casa dos 100 bilhões de reais nos últimos anos.

Em 2019, o valor foi de 118 bilhões de reais; já em 2020 esse montante atingiu os 115 bilhões de reais.

Ao olhar com mais detalhe para tais cifras, percebe-se que aproximadamente dois terços dos investimentos vêm do setor privado e um terço é proveniente de gastos públicos.

Desde o ano passado, o governo federal tem trabalhado na aceleração da agenda de concessões e privatizações para angariar mais recursos do setor privado.

São exemplos a desestatização da Eletrobras e do porto de Santos, além dos leilões do 5G na telefonia celular, de terminais de aeroportos e companhias de saneamento, assim como relicitações de rodovias federais.

Entre os obstáculos para um aporte privado mais robusto no setor, estão a insegurança jurídica, a falta de marcos legais atualizados, a autonomia das agências reguladoras, o ambiente político-institucional do País, entre outras variáveis de menor porte.

Nesse contexto, o avanço de algumas agendas e marcos regulatórios é ponto positivo na tentativa de atrair mais capital.

E Eu Com Isso?

É improvável que a meta prometida pelo governo seja cumprida, mesmo com perspectivas de investimentos levemente mais positivas para o ano de 2021. Em 2022, ano eleitoral, geralmente essas decisões são adiadas.

Ao mesmo tempo, é necessário compreender uma mudança de paradigma nos investimentos em infraestrutura no Brasil, o que justifica, em partes, o não cumprimento da meta.

Desde o governo Temer, os investimentos públicos nesse segmento, como proporção do Produto Interno Bruto (PIB), têm decrescido fortemente – em decorrência do teto de gastos e do orçamento altamente engessado. Por outro lado, a parcela de investimentos privados como proporção do PIB segue estável nos últimos anos, próxima dos 1,10 por cento.

Logo, diante de um Estado incapaz de investir e um setor privado ainda reticente, o governo não conseguirá entregar os 250 bilhões anuais para a infraestrutura – reforçando que esse é um dos grandes desafios da atual conjuntura econômica brasileira. A notícia é levemente negativa para a economia.

Este conteúdo faz parte da nossa Newsletter ‘E Eu Com Isso’.

e-eu-com-isso

Leia também: Sucesso na infraestrutura.

O conteúdo foi útil para você? Compartilhe!

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Recomendado para você

Levante Ideias - Banco Central
E eu com isso

O Copom e o Fomc

Todas as atenções do mercado financeiro, tanto brasileiro quanto internacional, estarão voltadas para as reuniões do Copom (Comitê de Política Monetária) e do Fomc (Federal

Read More »
Levante Ideias - Congresso Nacional
E eu com isso

Mais um parecer

Após a divulgação do segundo parecer da reforma administrativa (PEC 32/2020), que tramita em comissão especial na Câmara dos Deputados, o deputado e relator da

Read More »

Ajudamos você a investir melhor, de forma simples​

Inscreva-se para receber as principais notícias do mercado financeiro pela manhã.