(Fonte: Divulgação)

Iguatemi (IGTA3) – Resultado do primeiro trimestre de 2020

A Iguatemi (IGTA3) divulgou nesta terça-feira (26), após o fechamento dos mercados, o resultado do primeiro trimestre de 2020. Os números foram bastante afetados pela Covid-19, com queda expressiva nos seus principais indicadores operacionais e provisionamento de 75 por cento dos aluguéis referentes ao mês de março.

Ao contrário das outras empresas que optaram por “linearizar” os descontos nos aluguéis, a Iguatemi optou por fazer uma provisão para devedores duvidosos (PDD). A despeito da pandemia, os resultados foram regulares e em linha com as expectativas.

Os destaques negativos ficaram por conta da queda nos números operacionais. O indicador de Vendas Mesmas Lojas (SSS) recuou 9,6 por cento no período (desconsiderando os ativos vendidos no período), enquanto o Aluguel Mesmas Lojas (SSR) caiu 26,5 por cento. Contudo, considerando apenas os primeiros dois meses do ano, os números teriam registrado crescimento de 8,1 por cento e de 8,5 por cento, respectivamente.

O lucro líquido foi fortemente impactado tanto pela queda nos resultados da operação como pelo aumento na despesa com IR, que totalizou 28 milhões de reais (88 por cento a mais que no primeiro trimestre de 2019) devido a baixas no ativo fiscal diferido de 13 milhões de reais.

O destaque positivo foi taxa de ocupação de 94,1 por cento, subindo 0,4 ponto percentual na comparação com o no primeiro trimestre de 2019 e 0,1 ponto percentual na comparação com o último trimestre do ano passado.

Os números apresentados foram regulares e esperamos impacto neutro no preço das ações da Iguatemi (IGTA3) no curto prazo. Diante do cenário atual, são as notícias relacionadas à quarentena e a disseminação da Covid-19 que vem “fazendo preço” das ações de shoppings. Por outro lado, a visão para o médio e longo prazo é bastante positiva para o desempenho das ações.

A empresa consolidou um Ebitda de 103 milhões de reais no período, o que representa uma queda de 20,5 por cento na comparação com os três primeiros meses do ano passado, e perdas de 9,2 pontos percentuais na sua margem Ebitda, que fechou o período em 65,6 por cento.

O lucro líquido ajustado por itens que não afetam o caixa (FFO) foi de 49,5 milhões de reais, 43 por cento a menos que no resultado apresentado no mesmo período do último ano.

Os resultados foram fortemente impactados pelo fechamento das suas unidades a partir de 15 de março. A companhia adiou a cobrança de aluguel de março de todos os seus lojistas para outubro com parcelamento dos valores em 5 vezes.

Além disso, reduziu as taxas de condomínio de 10 por cento e março e de entre 40 e 50 por cento em abril. Também foram concedidos descontos entre 60 por cento e 100 por cento no fundo de promoção.

A companhia captou empréstimos na ordem de 360 milhões de reais no trimestre e fechou com caixa de 960,7 milhões de reais, com nível de endividamento medido pela relação dívida líquida/Ebitda de 2,47 vezes. Os vencimentos de dívida no curto prazo (12 meses) somam apenas 121,5 milhões de reais.

A Conselho de Administração aprovou emissão de debêntures no valor de 300 milhões de reais ao custo de CDI mais 3 por cento ao ano, com prazo de anos, com objetivo de reforçar o seu caixa.

O catalisador das ações IGTA3 segue sendo a duração da quarentena nos grandes centros, bem como o ritmo de recuperação na confiança do consumidor e nas vendas do varejo físico.

* Este conteúdo faz parte do nosso boletim diário: ‘E Eu Com Isso?’. Todos os dias, o time de analistas da Levante prepara as notícias e análises que impactam seus investimentos. Clique aqui para receber informações sobre o mercado financeiro em primeira mão.

Leia também: Multiplan (MULT3) – Venda de torre comercial para Fundo Imobiliário (FII)

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Ajudamos você a investir melhor, de forma simples​

Inscreva-se para receber as principais notícias do mercado financeiro pela manhã.

Recomendado para você

Artigos

Números da Vivo

A Telefônica Brasil (VIVT3/VIVT4) apresentou nesta terça-feira (27), após o fechamento do mercado, o seu resultado do 3T20 e que, na nossa avaliação, foi regular

Read More »
Artigos

BTG compra corretora Necton

Na onda de consolidação do mercado em busca de capturar o número crescente de CPFs na bolsa, o BTG Pactual fechou a aquisição da Necton

Read More »
Política Sem Aspas

O desafio do teto – parte II

Na primeira parte dessa dupla de textos, concentrei-me em elencar e dissertar acerca das principais regras fiscais em voga hoje no Brasil. Naquela ocasião, deixei

Read More »
Artigos

Política acima de tudo!

O mercado vive uma certa trégua em relação à volatilidade mais acentuada de algumas semanas atrás. Discussões importantes foram adiadas para depois das eleições. Quem

Read More »
Fechar Menu

Fechar Painel