Helbor (HBOR3) – Resultado operacional do primeiro trimestre de 2020

A incorporadora Helbor (HBOR3) divulgou na noite da última quinta-feira (16) sua prévia operacional do primeiro trimestre de 2020. 

O resultado foi bom em termos de vendas contratadas, especialmente venda de estoque pronto, e volume de entregas, o que deve impulsionar a geração de caixa no trimestre.

Do lado negativo, foi possível perceber um aumento considerável no cancelamento de vendas (distratos) 

Como a empresa antecipou seus lançamentos para o 4T19, não houve novos lançamentos no primeiro trimestre deste ano. 

O volume de vendas atingiu 242 milhões de reais (parte Helbor), o maior volume de vendas dos últimos 6 anos mesmo em um trimestre sem lançamentos.

A velocidade de vendas (VSO) atingiu 11,9 por cento no primeiro trimestre, acima dos 9,7 por cento apresentados no mesmo período de 2019. Este foi o melhor VSO registrado no primeiro trimestre desde 2014.

Esperamos impacto ligeiramente positivo no preço das ações da Helbor (HBOR3) no curto prazo, pois o resultado operacional da Helbor no trimestre deverá impulsionar a geração de caixa e a redução do endividamento.

Por outro lado, o resultado mostrou os primeiros impactos da quarentena do Covid-19: adiamento de lançamentos e aumento dos distratos devido à queda renda, com fechamento dos stands de vendas devido à quarentena.

Os distratos representaram 23,4 por cento das vendas brutas no trimestre, bem acima dos 9,8 por cento registrados no trimestre anterior.  O lado positivo é 72 por cento do forte volume de vendas correspondem a unidades concluídas, o que deve se traduzir em geração de caixa para a companhia.

As primeiras prévias operacionais das empresas do setor nos fazem acender o sinal amarelo sobre a expectativa de bons números para seus respectivos resultados trimestrais que devem ser divulgados em maio.

A paralisação começou a poucas semanas e a amostragem ainda é pequena, porém, a tendência é que estes os cancelamentos de vendas (distratos) aumentem no segundo trimestre de 2020. A classe média vinha se recuperando, mas muitos trabalhadores podem ter sua renda impactada durante o período.

O setor de construção civil vinha de forte retomada em 2019, especialmente para o segmento de média e alta renda. Agora, as empresas do setor se veem obrigadas a adiar lançamentos devido ao fechamento dos stands de vendas devido à quarentena do Covid-19.

O principal catalisador das ações do setor será o comportamento do cancelamento de vendas que tanto afetou o setor no passado. Os primeiros sinais, pedidos de renegociação dos contratos e atrasos nos pagamentos já começaram.

* Este conteúdo faz parte do nosso boletim diário: ‘E Eu Com Isso?’. Todos os dias, o time de analistas da Levante prepara as notícias e análises que impactam seus investimentos. Clique aqui para receber informações sobre o mercado financeiro em primeira mão.

Leia também:Cyrela (CYRE3) – Resultado do quarto trimestre de 2019

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Ajudamos você a investir melhor, de forma simples​

Inscreva-se para receber as principais notícias do mercado financeiro pela manhã.

Recomendado para você

Votação em Senado
E eu com isso

Votação da Lei de Falências

A nova Lei de Recuperação Judicial e Falência, apelidada de Lei de Falências no Congresso, será pautada nesta quarta (25) em plenário no Senado Federal.

Read More »
Bull Market EECI
E eu com isso

Ninguém segura o touro

Os números mostram que o Ibovespa retomou seu fôlego em novembro. No mês, até a terça-feira (24), a alta acumulada é de 16,9 por cento.

Read More »
Fechar Menu

Fechar Painel